Seguir o O MINHO

Canoagem

O balanço de meio ano de Fernando Pimenta no Benfica

Canoísta de Ponte de Lima já conquistou medalhas suficientes para poder dispensar uma a cada jogador da equipa de futebol.

em

O canoísta limiano Fernando Pimenta analisou esta terça-feira o seu percurso no Benfica, para onde se mudou em março, deixando o seu Clube Náutico de Ponte de Lima de sempre, para ficar ligado ao clube de Lisboa até dezembro de 2021.

Foto: Divulgação / Isabel Cutileiro / SL Benfica

“A transição para o Benfica foi um grande momento na minha careira, como atleta e como pessoa. Foi um momento fantástico entrar num clube com esta dimensão. Qualquer atleta, por mais vezes que diga que não, tem sempre o bichinho de representar um clube assim”, confessou.

Numa entrevista à BTV, canal do clube, o embaixador da canoagem nacional e da vila de Ponte de Lima falou dos seus resultados desportivos de águia ao peito. Citado no site dos ‘encarnados’, Pimenta salienta que todos os sucessos resultaram de muito trabalho, sem se esquecer quem é e de onde veio.

“Tenho trabalhado muito para estes resultados, nunca deixando de ser o Fernando Pimenta de sempre. Acho que isso é muito importante para um atleta, apesar de conseguir resultados de excelência, manter-se fiel e igual a si próprio”, disse.

Foto: Divulgação / Isabel Cutileiro / SL Benfica

Questionado sobre a canoagem em Portugal, o atleta defendeu que a modalidade “merecia muito mais”.

“No meu caso, estando agora no Benfica, as pessoas reconhecem-me mais facilmente, também pelos resultados internacionais, mas por estar na maior potência desportiva nacional”, ressalvou.

Foto: Divulgação / Isabel Cutileiro / SL Benfica

Sobre o futuro, Fernando Pimenta mostrou-se preparado para lutar pelo seu objetivo maior: Tóquio 2020.

“O principal objetivo é o apuramento Olímpico. É só em agosto de 2019, mas a preparação começa agora. Estou focadíssimo como sempre estive até agora. Se tiver de abdicar das coisas que abdiquei até agora, estar longe da família e dos amigos, que é o que custa mais, eu abdico. Psicologicamente estou preparado e fisicamente também. Sei o caminho que tenho de percorrer até chegar lá”, assegurou.

Num dia muito preenchido, em que fez exames médicos e conheceu melhor os cantos à casa, o atleta de Ponte de Lima, frisou, ainda, aquilo que sente ao vestir de vermelho e branco.

“Representar o Benfica dá-nos outra responsabilidade. Ao estarmos a trabalhar com um clube que já tem um historial enorme em termos de modalidades é totalmente diferente. Quando estamos com a camisola do Benfica temos de pensar muito bem nas nossas ações”.

Em pouco mais de sete meses, incluindo um mês de férias, o supercampeão já conquistou onze medalhas – e se, nos Europeus de canoagem, que decorreu por altura do Campeonato da Europa de futebol, foi notícia que as medalhas da seleção portuguesa já permitiam dispensar uma a cada jogador da seleção de futebol, agora, a mesma ideia pode aplicar-se às medalhas coleccionadas por Fernando Pimenta ao serviço do Benfica, cujo número também já permite dispensar uma medalha a cada jogador equipa principal de futebol.

Principais resultados de Fernando Pimenta pelo Benfica

1.º | Campeonato Nacional de Controlo de Velocidade / K1 2000 metros / Março
1.º | Campeonato Nacional / Fundo / Abril
1.º | Taça de Portugal / K1 1000 metros / Abril
1.º | Taça de Portugal / K1 500 metros / Abril
1.º | Campeonato da Europa / K1 1000 metros / Junho
3.º | Campeonato da Europa / K1 500 metros / Junho
2.º |Campeonato da Europa / K1 5000 metros / Junho
2.º | Jogos do Mediterrâneo / K1 500 metros / Junho
1.º | Campeonato do Mundo / K1 1000 metros / Agosto
1.º | Campeonato do Mundo / K1 5000 metros / Agosto
1.º | Pré SuperCup / K1 600 metros / Setembro

 

O MINHO: Todas as Notícias sobre Fernando Pimenta

Anúncio

Canoagem

Mundial de maratonas: Canoísta Sérgio Maciel (Viana) candidato ao pódio

Na China

em

Foto: DR / Arquivo

Os canoístas José Ramalho, em K1, e Sérgio Maciel, que defende o título em C1 sub-23, são os principais candidatos portugueses a uma medalha nos mundiais de maratonas, que decorrem de quinta-feira a domingo em Shaoxing, na China.

“Temos três medalhados no Europeu (Sérgio Maciel, Adriano Conceição e Marco Oliveira), pelo que temos a ambição de conseguirmos pelo menos dois pódios. Além destes, temos ainda o José Ramalho que já recuperou da fratura que sofreu a duas semanas do Europeu”, disse à agência Lusa o selecionador, Rui Câncio.

No sábado, José Ramalho procura o único título internacional que lhe falta na carreira, depois de ter acumulado já seis cetros como o mais forte da Europa.

Aos 37 anos, o vila-condense já foi medalha de prata em 2012 e medalha de bronze em 2009, 2014 e 2016, contudo nunca subiu ao mais alto lugar do pódio mundial, feito que procura agora no Oriente.

Na quinta-feira, o atleta luso disputa ainda a ‘short race’, uma prova de 3.400 metros, que tem uma fase preliminar que qualifica os 20 mais fortes para a final.

Nas canoas, Sérgio Maciel está também habituado a pódios e apresenta-se na China com a responsabilidade de tentar manter o ouro conseguido em 2018 na Vila de Prado.

Sérgio, que surge como vice-campeão da Europa deste ano, já tinha sido ‘vice’ mundial em 2017, um ano depois de ser prata no escalão júnior e dois de ser bronze em C2, com Marco Apura, agora a competir na pista e a procurar um lugar para os Jogos de Tóquio2020.

Adriano Conceição também compete em sub-23, neste caso em K1, no qual se destacou no verão com a medalha de bronze Europeu em Decize, França.

O outro elemento com experiência de medalhas em grandes provas internacionais é o júnior Marco Oliveira, com o bronze em C1 igualmente na competição gaulesa.

“O percurso aqui na China tem características invulgares, com muitas voltas e, acima de tudo, várias zonas em que só passa um de cada vez, momentos propícios para ataques. É importante estar na frente ou não perder a ligação para quem lidera”, completou Rui Câncio.

Portugal apresenta-se com uma seleção de sete canoístas.

Continuar a ler

Canoagem

Fernando Pimenta em entrevista descontraída com Rui Unas

O canoísta Fernando Pimenta foi o convidado do programa “Maluco Beleza”, do popular humorista Rui Unas. Regressado de um período de férias na Ásia, o atleta de Ponte de Lima falou sobre vários assuntos relacionados com a sua vida e com a modalidade, sempre de forma leve e descontraída.

em

O canoísta Fernando Pimenta foi o convidado do programa “Maluco Beleza”, do popular humorista Rui Unas.

Regressado de um período de férias na Ásia, o atleta de Ponte de Lima falou sobre vários assuntos relacionados com a sua vida e com a modalidade, sempre de forma leve e descontraída.

Continuar a ler

Canoagem

Canoísta de Ponte de Lima com duas medalhas de ouro nos Olympic Hopes 2019

Olympic Hopes 2019

em

Foto: DR / Arquivo

Beatriz Vaz Fernandes, atleta com 15 anos que representa atualmente o Clube Náutico de Ponte de Lima, conquistou duas medalhas de ouro e uma de prata durante os Olympic Hopes 2019, que decorrem desde sexta-feira, em Brastislava, Eslováquia.

A jovem cadete limiana, que integra a comitiva de 12 elementos da seleção nacional, surpreendeu no sábado ao terminar a prova de C1 500 metros com o tempo de 02.27.400 (minutos), subindo ao lugar mais alto do pódio para receber a medalha de ouro, à frente da alemã Justine Boettcher e da bielorrussa Hanna Naletska.

No domingo, em C1 200 metros, Beatriz Fernandes venceu nova medalha de ouro para Portugal, com o tempo de 51.540 (segundos), à frente da alemã Boettcher Justine (52.400) e da norte-americana Albrecht Emma (53.300).

A limiana traz ainda uma medalha de prata na bagagem destes jogos direcionados para atletas cadetes, juvenis e juniores, depois de alcançar também o segundo lugar na prova de C1 1000 metros, no passado sábado.

Com 15 anos, Beatriz Vaz Fernandes leva já 17 medalhas de ouro no curriculo nacional e internacional, de acordo com dados fornecidos pela Federação Portuguesa de Canoagem através do seu portal online.

Os Olympic Hopes são uma das provas mais importantes para escalões de formação entre os 15 e os 17 anos a nível mundial, juntando este ano perto de 900 atletas de mais de 30 países.

 

Continuar a ler

Populares