Seguir o O MINHO

Canoagem

O balanço de meio ano de Fernando Pimenta no Benfica

Canoísta de Ponte de Lima já conquistou medalhas suficientes para poder dispensar uma a cada jogador da equipa de futebol.

em

O canoísta limiano Fernando Pimenta analisou esta terça-feira o seu percurso no Benfica, para onde se mudou em março, deixando o seu Clube Náutico de Ponte de Lima de sempre, para ficar ligado ao clube de Lisboa até dezembro de 2021.

Foto: Divulgação / Isabel Cutileiro / SL Benfica

“A transição para o Benfica foi um grande momento na minha careira, como atleta e como pessoa. Foi um momento fantástico entrar num clube com esta dimensão. Qualquer atleta, por mais vezes que diga que não, tem sempre o bichinho de representar um clube assim”, confessou.

Numa entrevista à BTV, canal do clube, o embaixador da canoagem nacional e da vila de Ponte de Lima falou dos seus resultados desportivos de águia ao peito. Citado no site dos ‘encarnados’, Pimenta salienta que todos os sucessos resultaram de muito trabalho, sem se esquecer quem é e de onde veio.

“Tenho trabalhado muito para estes resultados, nunca deixando de ser o Fernando Pimenta de sempre. Acho que isso é muito importante para um atleta, apesar de conseguir resultados de excelência, manter-se fiel e igual a si próprio”, disse.

Foto: Divulgação / Isabel Cutileiro / SL Benfica

Questionado sobre a canoagem em Portugal, o atleta defendeu que a modalidade “merecia muito mais”.

“No meu caso, estando agora no Benfica, as pessoas reconhecem-me mais facilmente, também pelos resultados internacionais, mas por estar na maior potência desportiva nacional”, ressalvou.

Foto: Divulgação / Isabel Cutileiro / SL Benfica

Sobre o futuro, Fernando Pimenta mostrou-se preparado para lutar pelo seu objetivo maior: Tóquio 2020.

“O principal objetivo é o apuramento Olímpico. É só em agosto de 2019, mas a preparação começa agora. Estou focadíssimo como sempre estive até agora. Se tiver de abdicar das coisas que abdiquei até agora, estar longe da família e dos amigos, que é o que custa mais, eu abdico. Psicologicamente estou preparado e fisicamente também. Sei o caminho que tenho de percorrer até chegar lá”, assegurou.

Num dia muito preenchido, em que fez exames médicos e conheceu melhor os cantos à casa, o atleta de Ponte de Lima, frisou, ainda, aquilo que sente ao vestir de vermelho e branco.

“Representar o Benfica dá-nos outra responsabilidade. Ao estarmos a trabalhar com um clube que já tem um historial enorme em termos de modalidades é totalmente diferente. Quando estamos com a camisola do Benfica temos de pensar muito bem nas nossas ações”.

Em pouco mais de sete meses, incluindo um mês de férias, o supercampeão já conquistou onze medalhas – e se, nos Europeus de canoagem, que decorreu por altura do Campeonato da Europa de futebol, foi notícia que as medalhas da seleção portuguesa já permitiam dispensar uma a cada jogador da seleção de futebol, agora, a mesma ideia pode aplicar-se às medalhas coleccionadas por Fernando Pimenta ao serviço do Benfica, cujo número também já permite dispensar uma medalha a cada jogador equipa principal de futebol.

Principais resultados de Fernando Pimenta pelo Benfica

1.º | Campeonato Nacional de Controlo de Velocidade / K1 2000 metros / Março
1.º | Campeonato Nacional / Fundo / Abril
1.º | Taça de Portugal / K1 1000 metros / Abril
1.º | Taça de Portugal / K1 500 metros / Abril
1.º | Campeonato da Europa / K1 1000 metros / Junho
3.º | Campeonato da Europa / K1 500 metros / Junho
2.º |Campeonato da Europa / K1 5000 metros / Junho
2.º | Jogos do Mediterrâneo / K1 500 metros / Junho
1.º | Campeonato do Mundo / K1 1000 metros / Agosto
1.º | Campeonato do Mundo / K1 5000 metros / Agosto
1.º | Pré SuperCup / K1 600 metros / Setembro

 

O MINHO: Todas as Notícias sobre Fernando Pimenta

Anúncio

Canoagem

Apuramento Olímpico: Fernando Pimenta apurado para as meias em K1 1000

Em Szeged

em

Foto: DR/Arquivo

O canoísta Fernando Pimenta iniciou hoje a defesa do título mundial de K1 1000 com o primeiro lugar na sua eliminatória, indo agora disputar na sexta-feira o acesso à final em Szeged, Hungria.

Pimenta liderou a sua prova de início ao fim, concluindo-a em 3.29,87 minutos, batendo o norueguês Lars Magne Ullvang, a 1,04 segundos, e o australiano Van der Westhuyzen por 1,90.

O acesso à final, que qualifica os cinco primeiros para os Jogos Olímpicos Tóquio2020, é disputado na tarde de sexta-feira em três semifinais, nas quais apuram os três mais fortes.

Em C2 1000, Marco Apura e Bruno Afonso seguem em frente com o sexto lugar na sua eliminatória, que cumpriram sem grande esforço, uma vez que a meio deixaram de disputar os primeiros lugares.

Na sexta-feira à tarde os moldes de apuramento são iguais aos de Pimenta, com a passagem à final dos três melhores de cada uma das séries: no caso da C2 1000, há oito embarcações com entrada direta para Tóquio2020.

Esta tarde, competem os dois K4 500, compostos por Emanuel Silva, João Ribeiro, Messias Baptista e David Varela, bem como Teresa Portela, Joana Vasconcelos, Francisca Laia e Francisca Carvalho.

As eliminatórias femininas qualificam diretamente o primeiro barco para a final, nas masculinas não.

No caso do K4 500, as sete melhores do Mundo garantem vaga no Japão.

Os mundiais da Hungria reúnem um recorde de 102 países e mais de 1000 atletas.

Continuar a ler

Canoagem

Apuramento Olímpico: Teresa Portela apurada para as meias no K1 200, Pimenta foi ao K1 500… treinar

Nos Mundiais de canoagem na Hungria disputam-se grande parte das vagas para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020

em

Foto: DR / Arquivo

Portugal estreou-se hoje nos Mundiais de canoagem, em Szeged, Hungria, com os esperados apuramentos de Teresa Portela em K1 e Hélder Silva em C1 para as meias-finais dos 200 metros, tendo a qualificação olímpica na mira.

Antecipadamente anunciando que iria abdicar do resultado em K1 500, Fernando Pimenta, que percebeu que não poderia conjugar os horários com os favoritos 1.000 metros, foi último na sua série e assim ficou liberto de mais provas na distância menor.

Teresa e Hélder, que sabiam que não havia em discussão qualquer vaga para a final, concluíram as suas eliminatórias em quarto e em segundo lugares, respetivamente, pelo que agora vão às ‘meias’ de sexta-feira em busca da desejada vaga na regata das medalhas.

Se Teresa alimenta a esperança de conquistar uma das cinco vagas olímpicas do K1 200, Hélder está consciente de que os seus prediletos 200, nos quais competiu no Rio2016, foram trocados pelos 1.000 nas canoas, distância em que vai competir na quinta-feira e na qual não tem o mesmo rendimento.

Na quinta-feira, Fernando Pimenta inicia a defesa do título mundial de K1 1.000 e a C2 1.000 de Marco Apura e Bruno Afonso o percurso que esperam culmine na final, na qual os oito melhores atingem Tóquio2020.

O K4 500 de Joana Vasconcelos, Teresa Portela, Francisca Laia e Francisca Carvalho sabe que o primeiro lugar na sua eliminatória dá final direta, o mesmo não acontecendo no masculino com a tripulação de Emanuel Silva, João Ribeiro, Messias Baptista e David Varela, sem essa benesse.

Dinamarca, Polónia, Bielorrússia e Canadá são os principais obstáculos ao sonho do quarteto luso.

Na paracanoagem, Norberto Mourão venceu a sua série de VL2 e, na quinta-feira, lutará na final por um dos seis melhores resultados, que o levarão aos Jogos Paralímpicos.

Floriano Jesus foi quarto e falhou a final por um lugar, enquanto Hugo Costa foi sexto e vai à final B.

Programa da seleção de Portugal para quinta-feira (horas de Lisboa)

– Eliminatórias:

08:21 C2 1.000 Marco Apura/Bruno Afonso.

08:28 K1 1.000 Fernando Pimenta.

16:27 K4 500 Emanuel Silva/João Ribeiro/Messias Baptista/David Varela.

16h39 K4 500 Joana Vasconcelos/Teresa Portela/Francisca Laia/Francisca Carvalho.

Paracanoagem

– Finais:

15:30 – VL2 200 Norberto Mourão

Continuar a ler

Canoagem

Apuramento Olímpico: Erro da organização deixa seleção de canoagem retida em Budapeste

Canoístas portugueses decidem em Szeged apuramento para Tóquio 2020

em

Fernando Pimenta à partida do Aeroporto do Porto: Foto: Facebook

Um ‘mal-entendido’ da organização dos mundiais de canoagem da Hungria atrasou um dia para esta terça-feira a chegada da seleção de Portugal a Szeged, condicionando a sua preparação para o momento decisivo rumo a Tóquio2020.

“Viajar à tarde para chegar à noite e descansar era a nossa ideia. Não sei como foi possível, mas a organização não tinha a informação da nossa chegada. Não encontraram solução e tivemos de improvisar dormida em Budapeste. Só hoje, após o almoço, e depois de vários inconvenientes adiamentos, desbloquearam a situação e viemos para Szeged, a 175 quilómetros”, lamentou Ricardo Machado.

Em declarações à agência Lusa, o vice-presidente da Federação portuguesa referiu que este contratempo, entre outras coisas, “causou natural ‘stress’ e ansiedade” ao grupo e alterou “o plano de treinos e rotina de descanso” para a competição, que principia já na quarta-feira.

“São muitas equipas, 102 países e mais de 1.000 atletas. Pode acontecer… pena que tenha sido connosco. De qualquer forma, isto não nos abate. A equipa está muito bem preparada, confiante e mais do que motivada para lutar pelo apuramento para os Jogos Olímpicos”, completou.

Teresa Portela em K1 200 e Hélder Silva em C1 200 são os primeiros a entrar em ação, num dia em que Fernando Pimenta vai fazer K1 500, “prova de cujo resultado vai abdicar”.

“Quando o inscrevemos ainda não sabíamos se a prova colidia em termos de horários com os 1.000 metros, que são a prioridade. Como assim é, ele vai apresentar-se, mas ficará pelas eliminatórias”, assumiu.

De quarta-feira a domingo, os mundiais de canoagem definem boa parte das vagas para os Jogos Olímpicos Tóquio2020, sendo que o apuramento terá uma segunda fase, continental, e ainda mais restrita, em maio de 2020.

Com o foco nos Jogos do Japão estão mais de 1.000 canoístas em representação de 102 países.

A Lusa viajou a convite da Federação Portuguesa de Canoagem.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares