Redes Sociais

Famalicão

Nuno Melo será cabeça de lista do CDS às europeias

a

Foto: DR/Arquivo

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, anunciou hoje que o vice-presidente Nuno Melo será o cabeça de lista do partido nas europeias no próximo ano, em eleições a que os democratas-cristãos concorrerão sozinhos.

Imagens: SIC Notícias

“Queria dizer-vos em primeira mão que proporei aos outros órgãos do partido que seja, não apenas o nosso eurodeputado, mas também o nosso cabeça de lista às próximas eleições europeias”, anunciou Assunção Cristas, perante o 27.º Congresso do CDS-PP, que decorre até domingo em Lamego (Viseu).

Assunção Cristas fez questão de chamar ela própria ao palco Nuno Melo, a quem deu um abraço antes de o eurodeputado começar a sua intervenção.

Pouco depois das 20:00, e após Telmo Correia ter elogiado a prestação de Nuno Melo em Bruxelas, Assunção Cristas pediu um minuto ao presidente da Mesa do Congresso, Luís Queiró.

“Um minuto porque o congressista que se segue é alguém que nos habituou a palavras rigorosas, a espírito combativo, a ser um adversário que impõe muito respeito, a ser uma pessoa de profundíssimas convicções”, descreveu Assunção Cristas, antes de anunciar a escolha de Nuno Melo.

Nas eleições europeias de 2009, Nuno Melo foi o cabeça de lista do CDS-PP, tendo sido eleito deputado ao Parlamento Europeu em 07 de junho desse ano, juntamente com Diogo Feio.

Em 2014, o CDS-PP concorreu às europeias, dessa vez numa coligação com o PSD, e Nuno Melo foi em quarto lugar da lista conjunta, tendo sido o único eleito dos democratas-cristãos.

João Nuno Lacerda Teixeira de Melo, 51 anos, nasceu em Vila Nova de Famalicão, onde é atualmente presidente da Assembleia Municipal.

Advogado e consultor jurídico, no CDS-PP é atualmente vice-presidente e foi líder do grupo parlamentar entre 2004 e 2006.

Nuno Melo foi eleito deputado à Assembleia da República nas legislaturas iniciadas em 1999, 2002 e 2005, pelo círculo de Braga, distrital que voltou a liderar recentemente.

Na Assembleia da República, desempenhou também funções como vice-presidente da Assembleia da República na X Legislatura e presidiu à VI Comissão de Inquérito à Tragédia de Camarate.

No Parlamento Europeu, chefia a delegação portuguesa do CDS-PP pelo grupo do PPE desde 14 de julho de 2009 e é membro efetivo na Comissão das Liberdades Cívicas, Justiça e Assuntos Internos.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Famalicão

Homem morre afogado no rio Ave

Na freguesia de Pedome.

Publicado

a

Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

Um homem morreu afogado na tarde desta terça-feira, no Rio Ave, nas imediações da Ponte de Serves, em Pedome, no concelho de Vila Nova de Famalicão.

No local estão diversos operacionais dos Bombeiros Voluntários de Riba de Ave, com 16 operacionais e seis viaturas, estando no local patrulhas da Guarda Nacional Republicana, do Posto Territorial de Riba de Ave.

O Piquete da Diretoria do Norte da Polícia Judiciária, no Porto, foi chamado para ao local.

Continuar a ler

Famalicão

Famalicão com consultas de medicina dentária através do Serviço Nacional de Saúde

“Saúde Oral para Todos”.

Publicado

a

Sede do ACES Ave, em Delães. Foto: Divulgação / CM Famalicão

O município de Vila Nova de Famalicão integra a linha da frente de municípios que vão receber o programa “Saúde Oral para Todos” que vai permitir a disponibilização de consultas de medicina dentária através do Serviço Nacional de Saúde, anunciou hoje a autarquia.

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, esteve esta terça-feira, em Lisboa, para formalizar a adesão do município ao protocolo promovido pelo Governo, assumindo assim, todos os encargos financeiros com os equipamentos necessários para a criação de um consultório dentário num Centro de Saúde do concelho, através de um investimento municipal que deverá rondar os 50 mil euros.

Quase um terço dos municípios terão consultório de saúde oral no SNS

Por sua vez, o Governo compromete-se a realizar as obras necessárias no espaço dedicado às consultas de medicina dentária, assim como assegurar os recursos humanos habilitados (médico dentista e auxiliar técnico), os consumíveis necessários e as adequadas condições de funcionamento do espaço. O gabinete deverá ficar disponível em meados do próximo ano.

“É uma excelente oportunidade para conseguirmos garantir a toda a população o acesso à prestação de cuidados de saúde essenciais e de proximidade” afirma a propósito Paulo Cunha, acrescentando que o investimento do município surge no âmbito das “políticas de apoio social desenvolvidas pela Câmara Municipal, através de uma parceria com a Administração Regional de Saúde do Norte, e irá contribuir para a promoção de uma política efetiva de combate às assimetrias territoriais e sociais”.

O autarca aproveitou a oportunidade para reafirmar a disponibilidade do município para continuar a cooperar com o Governo no que diz respeito aos cuidados de saúde, adiantando que “as autarquias desempenham, ao nível local, um papel preponderante, no âmbito do bem-estar das populações, constituindo-se como uma plataforma naturalmente capaz de congregar os vários domínios de atuação das políticas públicas”.

O protocolo será ratificado numa das próximas reuniões do executivo municipal.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Famalicão

Famalicão alarga gratuitidade de manuais escolares aos 8.º e 9.º anos em 2018/2019

A autarquia investiu, este ano, cerca de 400 mil euros em manuais escolares.

Publicado

a

Foto: DR

A Câmara de Vila Nova de Famalicão vai alargar, no próximo ano letivo, a gratuitidade dos manuais escolares em “regime de empréstimo” aos 8.º e 9.º anos, disse hoje à Lusa o presidente da autarquia, Paulo Cunha.

“No próximo ano letivo manteremos a oferta das fichas de apoio ao primeiro ciclo, que é um apoio que não está abrangido pela iniciativa governamental, e concedermos os manuais escolares em regime de empréstimo até ao 9.º ano. É uma decisão que já está tomada”, garantiu o autarca.

Paulo Cunha comprometeu-se ainda, caso o Governo avance com o empréstimo dos manuais escolares até ao 9.º ano no ano letivo 2018/2019, a “aplicar a verba que seria para prestar esse serviço na área da Educação”.

Para o autarca, “este é um apoio fundamental para o concelho”, acrescentando que “no que diz respeito à educação, o orçamento municipal tem elasticidade para chegar onde for necessário”.

Segundo referiu, “a autarquia investiu, este ano, cerca de 400 mil euros em manuais escolares”, na aquisição de 17.763 fichas de apoio para o 1.º ciclo e 10.585 euros em manuais escolares para o 7.º ano.

“No total, saem beneficiados 6.500 alunos, sendo cerca de 5.000 do 1.º ciclo e 1.500 do 7.º ano”, referiu, explicando que “o investimento estimado por cada aluno do 7.º ano é de 176 euros e cerca de 25 euros para cada criança do 1.º ciclo”.

No ano letivo, que se iniciou segunda-feira, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão alargou a gratuitidade dos manuais escolares ao 7.º ano de escolaridade, mantendo a oferta das fichas de trabalho a todas as crianças do 1.º ciclo do ensino básico.

O município conseguiu ainda, através do Banco de Livros Escolares, arrecadar mais de mil manuais usados do 8.º ao 12.º ano, distribuindo-os por 254 famílias.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Populares