Seguir o O MINHO

Ave

Nuno Melo exclui-se de corrida a líder do CDS

Eurodeputado de Joane, Vila Nova de Famalicão

em

Foto: DR /Arquivo

O eurodeputado Nuno Melo excluiu-se hoje da corrida à sucessão de Assunção Cristas na liderança do CDS e sugeriu que deve ser um dos cinco deputados eleitos a avançar em congresso.


Em declarações à agência Lusa, Nuno Melo afirmou que, na “atual conjuntura difícil” do partido, saída das legislativas, o futuro líder terá de poder “enfrentar o primeiro-ministro” nos debates quinzenais e “medir talentos” no parlamento, que agora tem deputados de dois partidos próximos “da área” do CDS, Iniciativa Liberal e Chega.

O vice-presidente e eurodeputado não toma posição sobre os candidatos já “em reflexão”, incluindo o deputado João Almeida, embora admitindo que haverá, fora do parlamento, potenciais candidatos com muito peso e “capacidade política” para liderar os centristas.

Nuno Melo diz ser o caso de Nuno Magalhães, Lobo Xavier, Adolfo Mesquita Nunes, Diogo Feio e Filipe Lobo D’Ávila.

O “atual momento, muito singular” na vida do partido, que nas legislativas de domingo se viu reduzido de 18 para cinco deputados, com 4,25% dos votos, não é comparável com a situação de 1991, quando o CDS era o único do espaço do centro-direita na Assembleia da República.

Agora, o caminho deverá passar por “chamar jovens e grupos de pessoas” de outras correntes e com outras experiências para conseguir “um ressurgimento” do partido.

E dramatizou: “Nesta fase, o objetivo não é só levantar, é também a sobrevivência do partido.”

À Lusa, Nuno Melo defendeu uma reflexão aprofundada sobre o que correu mal com o partido nas legislativas, sugerindo até “uma espécie de estados gerais” do CDS e da direita.

Um encontro onde estivessem sectores da sociedade até agora mais afastados do partido, das áreas empresariais ou culturais, exemplificou.

À Lusa, Nuno Melo defendeu uma reflexão aprofundada sobre o que correu mal com o partido nas legislativas, sugerindo até “uma espécie de estados gerais” do CDS e da direita.

Um encontro onde estivessem sectores da sociedade até agora mais afastados do partido, das áreas empresariais ou culturais, exemplificou.

Anúncio

Ave

Famalicão inaugura ‘monobloco’ em dia de aniversário da cidade

Dia da Cidade

em

Foto: Divulgação / CM Famalicão

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, foi o cicerone da sessão solene do Dia da Cidade, que se realizou esta quinta-feira à tarde, na entrada principal do Parque da Devesa, junto à estação rodoviária.

O espaço, um dos grandes cartões de visita da cidade, passou a ser simbolicamente chamado de Praça da Cidadania e ostentará como elemento de homenagem aos famalicenses o símbolo do concelho e a palavra Famalicão em monobloco.

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Esta foi uma das formas que o município de Vila Nova de Famalicão encontrou para marcar o Dia da Cidade 2020, que se realizou realizou em circunstâncias muito especiais com uma grande homenagem coletiva do presidente ao território pela forma como Vila Nova de Famalicão soube reagir à pandemia da covid – 19.

“O que é justo este ano é medalhar todos os famalicenses”, disse o autarca aquando a apresentação da proposta para as comemorações do Dia da Cidade 2020.

“Os famalicenses deram e estão a dar uma resposta exemplar, não só ao nivel profissional – os profissionais da saúde, da segurança pública, os voluntários das corporações de bombeiros, mas também muitos profissionais de outras áreas, como a recolha do lixo, o setor alimentar, agricultores, indústrias e seus trabalhadores, transportadoras e seus motoristas de ligeiros e pesados, etc… -, mas também ao nível pessoal, pela forma como as pessoas souberam recolher-se ao confinamento familiar e sabem acatar as regras da DGS, ajudando desta forma a combater a propagação da covid 19”.

Continuar a ler

Ave

Despiste seguido de capotamento na A7 faz um ferido

Sentido Famalicão-Guimarães

em

Foto: Facebook de Bombeiros de Famalicão

Uma pessoa sofreu ferimentos na sequência de um despiste, seguido de capotamento, na Autoestrada n.º 7, em Famalicão, disse a O MINHO fonte do CDOS.

Por motivos que estão por apurar, a viatura terá entrado em despiste quando seguia no sentido Famalicão-Guimarães, ao quilómetro 28,7.

Para o local foi mobilizada uma ambulância de socorro dos Bombeiros de Famalicão, prestando primeira assistência à vítima, cuja idade não foi possível apurar.

O sinistrado foi transportado para uma unidade hospitalar por aquela corporação.

O alerta foi dado cerca das 13:30 horas.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Ave

Guimarães isenta pagamento de taxas da Feira Retalhista e do Mercado Municipal

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Câmara de Guimarães deliberou a isenção de pagamento das taxas da Feira Retalhista e do Mercado Municipal até ao final do ano, anunciou hoje a autarquia.

A medida visa apoiar os comerciantes, na retoma da sua economia em época de contingência no âmbito da prevenção à pandemia covid-19.

Em comunicado, a autarquia afirma que, segundo as estatísticas oficiais disponíveis na presente data, o surto epidémico aparenta estar controlado, mas a pandemia provocou uma disrupção do tecido económico e do emprego cujos efeitos apenas agora se começam a sentir em toda a sua amplitude.

Portanto, considera a câmara, tonar-se indispensável que tais medidas se prolonguem no tempo, como forma de mitigar as dificuldades atualmente sentidas pelas famílias e pelas empresas radicadas no Município.

No Mercado Municipal e na Feira Retalhista de Guimarães existe um plano de contingência que obriga a limitação de acessos de clientes, de distanciamento, de comerciantes, de espaços de venda, pelo que o município entende ser necessário apoiar estes comerciantes, na retoma da sua economia.

Continuar a ler

Populares