Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Novo santo português, ex-arcebispo de Braga, em livro editado pela diocese de Viana

Canonização ocorrerá em novembro

em

Bartolomeu dos Mártires (Lisboa, 1514; Viana do Castelo, 1590). Foto: Wikipedia

A vida e mensagem de Bartolomeu dos Mártires, cuja canonização ocorrerá em novembro, é o tema do livro que a Diocese de Viana do Castelo lança este mês, informou hoje a paróquia local onde o novo santo está sepultado.


“Este livro quer aproximar o coração e a alma de São Bartolomeu dos Mártires de crianças, jovens e adultos, trazendo a humildade de quem sempre colocou de lado prazeres e vaidades”, explica o pároco de Monserrate, Vasco Gonçalves, na nota hoje enviada à imprensa.

É naquela paróquia, em plena ribeira de Viana do Castelo, que está situada a igreja de São Domingos, do século XVI, e onde se encontra o relicário com os restos mortais do novo santo português.

A igreja integra o antigo convento de Santa Cruz, depois designado de São Domingos, que, tal como a igreja, foi mandado construir por Frei Bartolomeu dos Mártires. Foi naquele convento que o beato morreu a 16 de julho de 1590 e onde se encontra sepultado.

Intitulada “A Luz de um Santo”, da autoria Eugénio Pinto Bolota, a publicação, a lançar este mês pelo secretariado diocesano da catequese de Viana do Castelo e pela Paróquia de Nossa Senhora de Monserrate, tem “capa dura, 40 páginas e é ilustrada a cores”.

Em julho, o Vaticano anunciou, por decisão do Papa Francisco, a canonização de Bartolomeu dos Mártires, que decorrerá dias 09 e 10 de novembro.

Bartolomeu dos Mártires foi declarado venerável em 23 de março de 1845, pelo papa Gregório XVI, e beato, em 04 de novembro de 2001, pelo papa João Paulo II.

Bartolomeu dos Mártires (nascido Bartolomeu Fernandes) nasceu em Lisboa, em 03 de maio de 1514, e morreu em Viana do Castelo, em 16 de julho de 1590.

Foi arcebispo de Braga entre 1559 e 1582, tendo tido uma participação importante no Concílio de Trento, como um elemento destacado da ala renovadora da Igreja de então.

Em Viana do Castelo não ficou apenas conhecido por ter mandado construir o convento tal como a igreja contígua, mas sobretudo pela sua dedicação aos pobres.

“Conta-se que, numa noite fria, estava Bartolomeu na sua cela no convento de Santa Cruz e, ao ouvir alguém na rua, atirou-lhe pela janela o colchão e travesseiro da sua pobre cama, passando a dormir sem conforto algum nas duras tábuas. Dar aos pobres é o mesmo que passar aos céus”, lê-se na nota enviada.

Renunciou como arcebispo em 23 de fevereiro de 1582 e recolheu-se no convento em Viana do Castelo, onde morreu a 16 de julho de 1590.

Bartolomeu dos Mártires foi sempre apelidado pelo povo como o “arcebispo santo, pai dos pobres e dos enfermos” e insistiu, em vida, na deposição dos seus restos mortais naquele convento, numa altura em que a diocese local ainda não existia, sendo liderada por Braga.

Anúncio

Viana do Castelo

Viana do Castelo prepara construção de novo centro para proteção civil municipal

Proteção Civil

em

Foto: DR

A Câmara de Viana do Castelo aprovou hoje, por unanimidade, a abertura do concurso público para a construção de um novo centro de proteção civil municipal, num investimento estimado em mais de 885 mil euros.

O investimento é justificado, segundo a proposta socialista hoje aprovada em sessão do executivo municipal, pela falta de condições do atual espaço ocupado por aquele serviço, no quartel dos Bombeiros Sapadores de Viana do Castelo.

“O edifício atual não dá resposta às novas exigências. É necessário criar novos espaços onde se possam desenvolver e dar resposta a todas as atividades que lhe são legalmente atribuídas”, refere o documento aprovado pelo executivo.

Durante a apresentação do projeto, o presidente da Câmara, José Maria Costa, disse o novo edifício está previsto para terrenos situados junto ao quartel dos Bombeiros Sapadores de Viana do Castelo.

O autarca socialista afirmou ainda que o município vai candidatar a empreitada ao Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR).

“O POSEUR financia este tipo de equipamentos. A urgência em aprovar a abertura do concurso público é para ver se ainda conseguimos financiamento na fase final da reprogramação do programa”, especificou.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Biscoito que acalma animais criado por aluna do Politécnico de Viana vence prémio

IPVC

em

Foto: Divulgação / IPVC

A edição deste ano do concurso regional Poliempreende premiou o projeto de uma aluna do curso de Enfermagem Veterinária da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), anunciou hoje aquela instituição.

Catarina Rocha apresentou o DELICALM, um projeto de comercialização de biscoitos calmantes naturais para cães e gatos, que têm na sua composição duas plantas: a camomila e raiz de valeriana. Um produto que poderá vir a completar uma lacuna no mercado de biscoitos funcionais naturais e despertar o interesse dos tutores para a existência desta alternativa mais saudável.

Os biscoitos Delicalm diferenciam-se, segundo Catarina Rocha, “pela sua composição natural e sem cereais”.

“A Delicalm poderá vir a completar uma lacuna no mercado de biscoitos funcionais naturais e despertar o interesse dos tutores para a existência desta alternativa mais saudável”, acrescenta.

A ideia surgiu no âmbito e realizou o Plano de Negócios no âmbito da unidade curricular de “Gestão de Empresas”. Reconhecida a necessidade crescente de administração de calmantes a animais muito stressados em situações como viagens de carro, idas ao veterinário, passeios, ou mesmo patologias comportamentais, Catarina Rocha constatou que os calmantes atualmente utilizados pelos tutores são medicamentosos e causam habituação.

“Este produto surgiu para criar uma alternativa às substâncias medicamentosas, de forma a não causar habituação ao animal nem ser tóxica. O stress nos animais pode ser causado por diversos fatores, por vezes difíceis de contrariar, mas que são a causa de muitas doenças. Então o objetivo desta marca é utilizar biscoitos funcionais de modo a trazer bem-estar aos animais e consequentemente aos seus tutores”, explica.

Quanto aos produtos presentes no mercado, os biscoitos Delicalm diferenciam-se pela sua composição natural e sem cereais. A Delicalm, espera Catarina Rocha, “poderá vir completar uma lacuna no mercado de biscoitos funcionais naturais e despertar o interesse dos tutores para a existência desta alternativa mais saudável”.

O produto que tem na sua composição duas plantas, a camomila e a raiz de valeriana, com reconhecidos e comprovados efeitos calmantes, foi já testado em animais e com resultados muito positivos.

Os biscoitos, com sabores apreciados pelos animais, são produzidos na versão para cão e para gato, respetivamente DELICALM Dog e DELICALM Cat.

Em segundo lugar, neste concurso regional do Poliempreende, ficou o projeto que contemplava o desenvolvimento de um ventilador mecânico a utilizar em situações de emergência.

O objetivo era o de dar resposta ao rápido e exponencial crescimento dos casos de covid-19, tendo como consequência a sobrelotação dos hospitais com a criação de equipamento de baixo custo e de produção rápida.

O terceiro classificado foi o projeto Old but Gold, uma ideia de negócio que consiste na criação de novas utilidades, peças artísticas e produtos, que na sua composição tenham uma elevada percentagem de matéria-prima provenientes de objetos e produtos em final de ciclo de vida, promovendo a sua reutilização, reconversão, valorização e “upcycling”, ou seja, recriutilização, ou reutilização criativa.

Este ano o Poliempreende, e devido à pandemia, decorreu em formato on-line, tendo o júri, constituído pelos representantes da Caixa Agrícola, da BIC Innovation e da Incubo, avaliado os projetos a concurso no passado dia 16 de setembro. Para além dos prémios monetários (os valores do 1º, 2º e 3º Prémios Regionais são, respetivamente, 2000 (dois mil), 1500 (mil e quinhentos) e 1000 (mil) euros), os vencedores podem ainda usufruir de Prémios Complementares Regionais, nomeadamente a incubação das empresa

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana do Castelo pede estudo sobre segurança da ponte Eiffel

Infraestruturas

em

Foto: DR

O presidente da Câmara de Viana do Castelo afirmou hoje que vai pedir um estudo às condições de segurança da ponte Eiffel, devido ao previsível acréscimo de trânsito que os novos acessos ao porto de mar vai gerar.

“É previsível que, com os novos acessos ao porto de mar, haja um acréscimo de trânsito na ponte Eiffel. Por isso, vou solicitar ao Ministério das Infraestruturas um estudo sobre as fundações da ponte”, afirmou o socialista José Maria Costa.

O autarca, que falava no período antes da ordem do dia da reunião camarária de hoje, justificou a realização do estudo com a necessidade de o concelho “ter um conforto técnico em relação à segurança da ponte”.

José Maria Costa adiantou que, devido às obras de modernização e eletrificação da linha ferroviária do Minho, que liga o Porto a Vigo, na Galiza, “houve reforço da estrutura da ponte e que a mesma está monitorizada”.

“Sabemos que a Refer é bastante escrupulosa com a segurança. A minha perceção é que é muito ciosa dessa segurança, mas vamos pedir este estudo”, reforçou.

A construção dos acessos rodoviários ao porto de mar foi iniciada em fevereiro de 2019.

Os novos acessos, com 8,8 quilómetros e reivindicados há mais de quatro décadas, terão duas faixas de rodagem de 3,5 metros de largura, e representam um investimento superior a nove milhões de euros.

A obra é financiada pela Câmara de Viana do Castelo e pela Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL).

Hoje, o autarca adiantou que a realização do estudo integra o acordo negociado na terça-feira com a associação de moradores do Cabedelo, para permitir retomar a construção da última fase dos acessos ao porto de mar da cidade, parada desde 11 de setembro.

A empreitada foi embargada por aquela associação que contesta o abate de 30 dos 170 plátanos existentes nos 628 metros daquela artéria.

A ponte Eiffel sobre o rio Lima, com 142 anos, entrou, em 2019, em processo de classificação como imóvel de interesse nacional.

Aquela travessia metálica, que liga a cidade de Viana do Castelo a Darque, encontra-se classificada como património da cidade e constitui um símbolo da arquitetura do ferro do século XIX, sendo hoje um ex-líbris de Viana do Castelo.

Tem 645 metros de comprimento, é composta por dois tabuleiros metálicos, sendo o superior rodoviário, para trânsito automóvel e pedestre, e o inferior ferroviário.

Inaugurada em 1878, a ponte metálica sobre o rio Lima foi desenhada pela casa Eiffel de Paris e substituiu a ponte em madeira que ligava o então terreiro de São Bento à margem esquerda do rio Lima, junto à capela de São Lourenço, na freguesia de Darque.

A empresa de Gustave Eiffel também foi encarregada da construção.

As obras começaram em março de 1877 e foram concluídas em maio do ano seguinte, sendo que a 30 de junho de 1878 foi inaugurado o troço ferroviário entre Darque e Caminha.

A última intervenção realizada na ponte centenária foi realizada em 2016, para a substituição dos aparelhos de apoio da travessia rodoferroviária sobre o rio Lima, num investimento de 117.790 euros.

Em 2014, a travessia foi alvo de uma empreitada de substituição integral do piso do tabuleiro rodoviário, que se encontrava “totalmente esburacado”.

Aquela obra, da responsabilidade da Refer, foi concluída dias antes de a travessia completar 136 anos de existência (30 de junho).

Em 2007, toda a estrutura recebeu uma grande intervenção de reabilitação, que durou quase dois anos e que custou 15 milhões de euros.

Continuar a ler

Populares