Seguir o O MINHO

Ave

Novo bloco de partos do Hospital de Famalicão tem sala sensorial única no país

Saúde

em

Foto: Ilustrativa

O novo bloco de partos do Centro Hospitalar do Médio Ave (Hospital de Famalicão) inclui uma sala sensorial, única neste contexto em Portugal, e será palco de uma formação técnica aos profissionais na próxima segunda-feira, foi hoje anunciado. Recentemente inaugurado, este espaço surgiu no âmbito da iniciativa “Humanização do Parto” e inclui uma Sala Snoezelen, a única em Portugal em contexto de bloco de partos.

A Terapeuta Ocupacional Ana Lúcia Frutuoso, da ZenSenses – Terapia pelos Sentidos, que é a entidade parceira nesta iniciativa, irá orientar uma sessão de formação técnica aos profissionais do novo espaço de apoio às parturientes do CHMA, em Famalicão, revelou aquele hospital, em comunicado enviado a O MINHO. Médicos, enfermeiros e auxiliares ficarão, assim, habilitados a utilizar os novos equipamentos inseridos nas salas sensoriais recentemente inauguradas.

O novo bloco de partos, cuja inauguração aconteceu no passado dia 03 de setembro, surge no “âmbito da iniciativa Humanização do Parto, coordenada pela médica Saritta Nápoles, que parte do princípio de que a mulher é protagonista de um momento transcendente que é o trabalho de parto e o parto, eventos normais e fisiológicos na vida de cada uma”, explica o hospital.

“Deste modo, cada sala individual está dotada de inúmeros equipamentos que poderão facilitar todo o trabalho de parto e tornar este acontecimento numa experiência positiva, feliz e inesquecível na vida de cada família. Em suma, pretende-se eliminar o máximo possível o aspeto de ambiente hospitalar, transmitindo às famílias confiança e serenidade, tão necessárias durante o trabalho de parto”, refere a nota.

De acordo com a unidade hospitalar, as condições físicas e materiais deste espaço “permitem receber as grávidas e parturientes num ambiente de calma e serenidade, propício ao estímulo de sensações através de música, vídeos, aromas, cores e diferentes efeitos”.

“Cada equipa de médicos, enfermeiros e auxiliares será́ treinada para usar elementos táteis (fibras óticas, temperatura, diferentes texturas), vibratórios (colchão vibratório, massajadores, colunas de som), visuais (colunas de água, projetores de luz), auditivos (músicas adequadas ao gosto, sons com frequências específicas, voz) e ainda olfativos (aromaterapia, cremes aromáticos e massagens)”, refere o hospital.

O projeto contou com “um forte apoio da comunidade local, destacando-se a Fundação Rotária e o Rotary Internacional, clubes rotários de Famalicão, Santo Tirso e Trofa, o MarShopping, o Espaço Yogin, a Savior – Artigos Têxteis e Natália Silva – Atelier de Costura e a ZenSenses – Terapia pelos Sentidos, responsável pela criação do ambiente multissensorial”.

Populares