Seguir o O MINHO

Futebol

“Não ter público nos estádios é quase matar o futebol”, lamenta Vítor Oliveira

I Liga

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

O treinador Vítor Oliveira reconheceu hoje que os futebolistas do Gil Vicente estarão “excessivamente condicionados” na retoma da I Liga em plena pandemia de covid-19, lamentando a falta de “passos maiores” na preparação.


“Os jogadores querem e gostam de jogar, mas é preciso criar condições para que apenas se preocupem em jogar bem, ganhar e defender as cores do seu clube. Com as regras bem definidas, que ainda não estão, é mais fácil para todos. Não diria que é um futebol anormal, mas é diferente daquilo que estamos habituados”, frisou o experiente técnico, na conferência de antevisão ao duelo com o Portimonense.

O campeonato vai ser reatado na quarta-feira, com a deslocação dos minhotos ao terreno do antepenúltimo classificado, no primeiro dos 90 desafios das últimas 10 rondas, que serão realizadas sob fortes restrições e sem público nos estádios até 26 de julho, após quase três meses de paragem motivada pela pandemia de covid-19.

“Trabalhámos afincadamente para que os jogadores se apresentem em condições satisfatórias, mas é uma situação completamente nova. Ninguém pode fazer julgamentos precisos sobre como as equipas irão aparecer e como será a qualidade dos jogos e os resultados. É uma incógnita grande e até nós estamos curiosos”, contou.

Defendendo que os 18 clubes “arrancam em igualdade de circunstâncias”, Vítor Oliveira mostrou-se satisfeito com o “empenhamento” do plantel gilista em “trazer verdade desportiva e levar a prova até ao fim”, apesar da preocupação com “dúvidas permanentes dos jogadores, que provocaram desconcentração e afetaram a qualidade exigida”.

“Não fizemos uma coisa extremamente importante: aqueles particulares que antecedem o início do campeonato e dão para aquilatar melhor o potencial, valorização e crescimento da equipa. A parte física será preocupante e teremos de ter muita atenção às lesões. Mais grave que isso tudo, não ter público nos estádios é quase matar o futebol”, criticou.

Sem “grandes alterações” em perspetiva, o treinador só pensa em “voltar rapidamente aos níveis de confiança, físicos e psicológicos” verificados em meados de março, de forma a culminar “com tranquilidade” o regresso administrativo ao principal escalão, a partir do Campeonato de Portugal, na sequência do ‘caso Mateus’.

“Não vamos dizer que a manutenção está muito difícil, mas temos vários exemplos de equipas que estavam praticamente garantidas e não conseguiram os objetivos. Penso que isso não vai acontecer aqui, mas é muito importante não facilitar. Damos as coisas por consumadas e depois andamos com as calças na mão sem necessidade”, alertou.

Ao abrigo do protocolo estabelecido para o reinício da I Liga, os plantéis de Portimonense, Gil Vicente, Famalicão e FC Porto submeteram-se no domingo à primeira fase de despistagem obrigatória da covid-19, com um período de antecedência de 72 horas a cada encontro, tendo os ‘galos’ revelado na segunda-feira a ausência de casos positivos.

Vítor Oliveira viajará ao Algarve sem o extremo brasileiro Lourency, suspenso depois de ter cumprido uma série de cinco cartões amarelos no empate caseiro frente ao Santa Clara (1-1), em 08 de março, enquanto o defesa Fernando Fonseca sofreu uma lesão da sindemose, que tem implicado um longo processo de recuperação pós-operatória.

O Gil Vicente, nono colocado, com os mesmos 30 pontos de Moreirense e Santa Clara, visita o Portimonense, antepenúltimo, com 16, seis abaixo da zona de salvação, na quarta-feira, às 19:00, no Portimão Estádio, no jogo inaugural da 25.ª jornada do campeonato, que é liderado pelo FC Porto, com 60 pontos, mais um que o campeão Benfica.

Além da I Liga, também a final da Taça de Portugal, entre ‘dragões’ e ‘águias’, integra o plano de desconfinamento face à pandemia de covid-19, ainda em data e local a designar.

Anúncio

Futebol

Fernando Gomes quer seleções a conquistarem novo título no próximo mandato na FPF

Seleções nacionais

em

Foto: DR

Conquistar um título de futebol masculino é um dos objetivos apresentados para o próximo mandato na Federação Portuguesa de Futebol (FPF) de Fernando Gomes, atual presidente e candidato único às eleições de sexta-feira.

O líder federativo, eleito pela primeira vez em 2012, apresentou hoje os 120 compromissos para o mandato 2020-2024, começando com os previstos para a primeira época, em resposta à pandemia provocada pelo novo coronavírus.

“Este é um tempo em que teremos de garantir a estabilidade estrutural da nossa própria casa”, frisou Fernando Gomes, no referido documento a que a Lusa teve acesso, em que preconiza a manutenção das atividades da FPF, o combate à covid-19 no futebol e a preparação das medidas pensadas antes da pandemia, no primeiro ano, para, depois, executá-las nas três últimas épocas.

Entre os compromissos para 2020/21, Gomes pretende desenhar programas de apoio aos clubes das competições federativas, mediante a disponibilidade do organismo, e reestruturar os quadros competitivos.

“Ganhar um título internacional de futebol masculino” é um dos desígnios do atual presidente e recandidato, assim como chegar à liderança dos ‘rankings’ de futsal, masculino e feminino, e alcançar uma fase final de futebol feminino, além de candidatar Portugal à organização de competições europeias e mundiais.

Gomes pretende alcançar os 300 mil federados – eram 220 mil em março – e um mínimo de 10% femininas – 11 mil em fevereiro – e criar o programa ‘FPF na Escola’, para promover o contacto dos alunos do ensino básico com a modalidade.

A FPF pretende ainda incrementar a sua intervenção social, promovendo iniciativas conjuntas com outras modalidades coletivas para promoção do desporto, e dinamizar a prática, com campanhas de sensibilização sobre o papel dos pais no desenvolvimento dos filhos e a prática saudável do desporto.

Deste manifesto consta ainda a criação da III Liga de futebol masculino, em 2021/22, a criação de novas competições para os escalões de formação e o desenvolvimento da Liga feminina, através da monitorização e aprofundamento do programa de incentivos.

Gomes pretende criar uma ‘casa das transferências’, para promover a transparência das transações, promover a formação dos dirigentes e premiar o ‘fair play’ de clubes e atletas e desenvolver uma aplicação tecnológica sobre o desenvolvimento e desempenho dos jogadores das competições federativas.

“Sei que eu e a minha equipa falamos com a consciência de quem cumpriu, ao longo de oito anos, com os compromissos que estabelecemos com os nossos sócios. Prometemos, eu e a minha equipa, continuar a trabalhar para que do nosso futebol, passado, presente e futuro, se possa ver, cada vez melhor, um grande Portugal”, frisou Fernando Gomes.

O atual líder federativo candidata-se a um terceiro mandato, novamente com Humberto Coelho, João Vieira Pinto, Pedro Pauleta, José Couceiro, Pedro Dias, Mónica Jorge e Rui Manhoso na direção, num elenco que vai contar ainda com o antigo avançado Hélder Postiga e José Alberto da Costa Ferreira, atual presidente da associação de Viseu.

Relativamente ao atual mandato registam-se as saídas de Carlos Coutada, Elísio Carneiro, que transita para o Conselho Fiscal, e Júlio Vieira, assim como de Hermínio Loureiro, que tinha suspendido o mandato de vice-presidente em janeiro, na sequência da acusação do Ministério Público na operação ‘Ajuste Secreto’, e que foi ‘substituído’ por Couceiro.

Júlio Vieira, atual diretor cooptado e antigo presidente da associação de Leiria, é o primeiro suplente ao executivo, numa lista que volta a contar ainda com Joaquim Evangelista, presidente do Sindicato de Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF), e com o treinador Jesualdo Ferreira.

Cláudia Santos é a cabeça de lista para o Conselho de Disciplina (CD), para suceder a José Manuel Meirim, Luis Verde de Sousa vai liderar o Conselho de Justiça (CJ), enquanto os líderes dos restantes órgãos se mantêm, casos de José Fontelas Gomes, no Conselho de Arbitragem (CA), de Ernesto Ferreira da Silva, no Conselho Fiscal (CF), e de José Luís Arnaut, na Mesa da Assembleia-Geral (MAG).

Fernando Gomes, de 68 anos, candidata-se a um terceiro mandato, depois de ter concorrido sem oposição às eleições de 04 de maio de 2016, alcançando 92% dos votos, e de ter sido eleito pela primeira vez em 10 de dezembro de 2011, ao derrotar Carlos Marta por 10 votos (46 contra 36), sucedendo a Gilberto Madail na presidência da FPF.

O ato eleitoral vai decorrer na sede da FPF, na Cidade do Futebol, em Oeiras, entre as 15:00 e as 17:00, seguindo-se a posse dos novos órgãos sociais, às 18:00.

Continuar a ler

Futebol

João Pedro Sousa admitiu que jogo com Portimonense foi “o menos conseguido da época”

FC Famalicão

em

Foto: DR

O treinador do Famalicão admitiu hoje que a derrota frente ao Portimonense, “foi o jogo menos conseguido da época”, mas garantiu que a equipa já “está preparada” para o Tondela, no encontro da 30.ª jornada da I Liga de futebol.

João Pedro Silva, na conferência de antevisão da partida com o Tondela, referiu que o trabalho para o próximo jogo passou por “perceber onde se pode magoar” o adversário para conseguir a vitória.

“Em relação ao último jogo temos que perceber o porquê de uma exibição tão negativa. Assumimos que foi o jogo menos conseguido da época e temos que trabalhar sobre o jogo. Perceber onde é que o Tondela nos pode ferir e onde é que podemos magoar o Tondela, neste curto espaço de tempo também temos que treinar e recuperar e já estamos preparados para este novo desafio”, admitiu o técnico.

O treinador famalicense, questionado sobre o facto de ver beliscado o objetivo de garantir o quinto lugar no final do campeonato, desvalorizou.

“O maior de todos os objetivos, não fugindo a questão nenhuma, é tentar ganhar os últimos cinco jogos. Nós somos profissionais e estamos obrigados a isso”, referiu.

João Pedro Sousa abordou ainda a questão de o Famalicão ter perdas de pontos com adversários da parte inferior da tabela, lembrando que é com essas equipas que os famalicenses encontram mais dificuldades.

“É um facto. Fizemos bastantes pontos com as equipas da metade superior da tabela e não tantos como gostaríamos com as da parte inferior. São equipas e formas de jogar diferentes, estamos a encontrar mais dificuldades, principalmente nos jogos em casa, com as equipas pior classificadas e há momentos do jogo em que percebemos que temos de melhorar. Esses momentos do jogo estão identificados e temos de dar uma resposta diferente”, afirmou também.

O treinador não quis comentar eventuais interesses de outros clubes em contratá-lo, mas garantiu que “tudo o que se fala, não retira um milímetro de atenção”.

“Para mim é um orgulho estar associado ao Famalicão. Esse é o meu maior orgulho. Tenho contrato com o Famalicão e estou orgulhoso com o crescimento do clube”, salientou.

O Famalicão, no sexto lugar, com 45 pontos, desloca-se este domingo, às 19:15 horas, ao reduto do Tondela, que ocupa o 15.º lugar, com 30, para um encontro da 30.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Continuar a ler

Futebol

Artur Jorge convoca jovens Fabiano, Samuel Costa e Sanca no Braga

Convocatória

em

foto: Divulgação / SC Bragal

O treinador interino do SC Braga, Artur Jorge, convocou hoje os jovens Fabiano, Samuel Costa e Sanca para a receção ao Desportivo das Aves, sábado, da 30.ª jornada da I Liga de futebol.

Fabiano é um lateral direito brasileiro de 20 anos que, na época que findou recentemente, alinhou na equipa B. Com a mesma idade, Sanca é um extremo que jogou sobretudo nos sub-23, mas também na equipa secundária dos minhotos.

Artur Jorge chamou ainda o jovem médio Samuel Costa (19 anos, equipa B e sub-23), sendo que este, ao contrário dos dois primeiros, não é uma estreia nas convocatórias da equipa principal.

O técnico que substituiu Custódio Castro na quarta-feira, após o desaire em Vila do Conde, diante do Rio Ave (4-3), não vai poder contar com Esgaio, Fransérgio e Rolando, castigados, nem com Sequeira e Tormena, lesionados.

Wilson Eduardo, que hoje se despediu do clube cinco épocas depois (o seu contrato terminava a 30 de junho e não foi renovado), também sai da lista de convocados.

O defesa central Wallace, ausente das opções há muito tempo, também terminou o seu vínculo aos bracarenses e deixou de integrar igualmente (no dia 01 de julho) os trabalhos da equipa principal.

SC Braga, quarto classificado, com 50 pontos, e Desportivo das Aves, 18.º e último, com 14, defrontam-se a partir das 21:30 de sábado, no Estádio Municipal de Braga, jogo que será arbitrado por Manuel Mota, da associação de Braga.

Lista dos 21 convocados:

– Guarda-redes: Matheus, Eduardo e Tiago Sá.

– Defesas: Pedro Amador, Fabiano, David Carmo, Bruno Viana, Bruno Wilson, Raul Silva e Diogo Viana.

– Médios: Samuel Costa, André Horta, João Novais, Palhinha.

– Avançados: Sanca, Abel Ruiz, Ricardo Horta, Paulinho, Trincão, Rui Fonte e Galeno.

Continuar a ler

Populares