Seguir o O MINHO

Região

“Nanotecnologia já mudou o futuro e está a mudar a economia”, diretor do INL

em

A nanotecnologia “já mudou” o futuro e está a mudar a economia, ao criar instrumentos que influenciam o dia-a-dia, desde o acordar, à saúde e às políticas ambientas, defendeu o responsável pelo Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL).


Em entrevista à Lusa, a propósito da organização pelo INL do maior congresso dedicado à nanotecnologia em Portugal, sob o tema “A nova Economia” e que vai decorrer entre 19 e 20 de outubro, Lars Montelius explicou que a nanotecnologia “já está à nossa volta”, nos telemóveis, computadores, instrumentos de medição médicos, mas que ainda há quem “não tenha entendido isso”.

O diretor-geral do INL apontou como exemplos algumas das tecnologias que a instituição sediada em Braga está a desenvolver, em áreas como a saúde e o bem-estar, ou urbanização e mobilidade, que podem, no futuro, “salvar vidas” ao ajudar na deteção de doenças, ou ao contribuir para a diminuição da quantidade de sal nos alimentos.

Esta nova economia é, na verdade, como a nanotecnologia vai mudar o nosso futuro e como já mudou. Muitas pessoas não entendem que a nanotecnologia já está à nossa volta“, afirmou o responsável.

Segundo Lars Montelius, a nanotecnologia tem muitas aplicações no dia-a-dia, nos nossos computadores, telefones, assistentes digitais, pulseiras para mediar a atividade de cada um.

“Nós podemos encontrá-la já quando começamos a acordar pela manhã, porque podemos recriar a luz natural no interior, o que nos faz acordar muito melhor”, começou por explicar.

Ao lavar o rosto podemos ter sensores no espelho que podem olhar para você e ver se você está começando a ficar com uma gripe pela forma como você mexe os seus olhos (…). Há muitas coisas nas quais se pode usar a nanotecnologia. O carro no futuro será como um computador que o leva de um lugar para o outro, pode até não ser seu próprio carro, um carro que você apenas usa quando precisar”, explanou.

No INL, disse, são três as áreas de aplicação da nanotecnologia que estão a ser trabalhadas, havendo já instrumentos resultantes desse trabalho.

Urbanização e mobilidade, saúde e bem-estar e segurança. Se falamos de urbanização e mobilidade, há muitas coisas a acontecer, as pessoas deslocam-se para as cidades e vivem em cidades que podem facilmente ficar poluídas. Estamos a criar um dispositivo de monitorização ambiental que pode ajudar a evitar a entrar em cidades que não são agradáveis e que podem ajudar as autoridades a entender o que fazer para as tornar mais agradáveis”, descreveu.

Já na saúde e bem-estar, o responsável destacou a possibilidade de ajudar na deteção precoce de doenças como Alzheimer ou Parkinson, mas também cancro, permitindo “salvar vidas”.

Lars Montelius salientou que estes instrumentos são “fáceis de utilizar”, exemplificando, com o sal, como podem funcionar.

“O sal é apenas um cristal e agora temos um método em que podemos pegar nesses cristais e torná-los mais pequenos. Se usarmos esse sal na comida, precisamos de cerca de 10 vezes menos sal para obter a mesma sensação de sal na boca, porque as peças de sal são muito menores”, desenvolveu.

Sobre o congresso, o diretor-geral do INL explicou que vai reunir “pessoas de todos os setores” para “falarem de nanotecnologia como o motor da economia e realmente entender o poder dela”.

Atualmente no INL trabalham cerca de 230 investigadores de cerca de 30 nacionalidades mas o trabalho daquele laboratório não se restringe a Braga: “Estamos a desenvolver cerca de 40 projetos e, além das pessoas que trabalham aqui nesses projetos, estamos a trabalhar com outras pessoas em Portugal e em outros lugares. Trabalhamos em todo o mundo”, disse.

Lars Montelius salientou ainda a capacidade do INL em gerar emprego.

“Nestes três anos conseguimos ter mais 1.000 empregos criados diretamente ligados aos nossos projetos”, apontou.

Anúncio

Região

Cascatas de Melgaço e do Gerês entre as mais belas de Portugal

Cascatas

em

Fotos: Wikicomons

O portal Sapo Viagens escolheu as cascatas mais belas de Portugal, incluíndo duas na zona do Gerês, concelho de Terras de Bouro, e uma em Castro Laboreiro, Melgaço.

Na freguesia de Vilar da Veiga, zona do Gerês, as cascatas em destaque são as de Fecha de Barjas, mais conhecida como Tahiti, e as cascatas do Arado, ambas bastante procuradas por banhistas.

Cascata Fercha de Barjas, Gerês

Cascata do Arado, Gerês

Já em Melgaço, na zona de Castro Laboreiro, uma mais desconhecida do grande público – cascata de Laboreiro, também figura na lista.

Cascata do Laboreiro, Melgaço

Lista das cascatas mais belas de Portugal

Casctata da Faia d’Água Alta, Mogadouro

Cascatas do Rio Poio, Alvão

Cascatas de Fisgas do Ermelo, Mondim de Basto

Cascata Fercha de Barjas, Gerês

Cascata do Poço de Bacalhau, Açores

Cascata do Pego do Inferno, Tavira

Cascata do Laboreiro, Melgaço

Cascata do Arado, Gerês

Cascata de Pitões das Júnias, Montalegre

Cascata da Ribeira Grande, Açores

Cascata da Cabreia, Sever do Vouga

Continuar a ler

Braga

Polícia Municipal bloqueia entradas na praia de Adaúfe. Condutores revoltados

Estado de Alerta

em

Foto: Carlos Dobreira

A Polícia Municipal de Braga bloqueou a entrada na praia fluvial de Adaúfe, em Braga, ao início da tarde deste domingo, causando alguma revolta nos condutores que para lá se dirigiam, confirmou O MINHO junto de Nuno Ribeiro, coordenador daquela autoridade.

Depois de no dia anterior a polícia ter levado a cabo ações de sensibilização junto de pessoas que se aglomeravam e consumiam álcool fora dos espaços permitidos, hoje decidiram adotar uma medida preventiva após perceberem que a lotação máxima de banhistas estava a ser excedida, segundo as normas em vigor durante o corrente Estado de Alerta.

Banhistas aglomerados consomem álcool na praia de Adaúfe em Braga. Polícia teve de intervir

“Como medida preventiva, decidimos colocar uma equipa da PM em prevenção durante toda a tarde naquele espaço e bloqueamos a entrada com uma viatura-reboque para impedir que mais automobilistas acedessem à praia”, explicou.

“Alguns condutores ficaram revoltados mas têm de compreender que estamos a fazer cumprir as regras”, sublinhou, acrescentando que “não houve identificações nem multas”.

Os agentes voltaram a realizar ações de sensibilização junto dos banhistas que hoje estavam “mais bem comportados”, não existindo situações de consumo de álcool fora do bar nem grandes aglomerados, apesar da praia estar lotada.

Praias fluviais de Braga e Fafe atingem lotação máxima logo ao início da manhã

Recorde-se que, desde as 10:00 horas desta manhã de domingo, a aplicação Info Praia dava Adaúfe como já tendo atingido a lotação máxima de banhistas, conforme previamente assinalado em decreto-lei pelo Conselho de Ministros.

Continuar a ler

Cávado

Homem salvo na praia de Apúlia por nadadores-salvadores, enfermeira ‘à civil’ e INEM

Resgate

em

Foto: DR / Arquivo

Um homem de 61 anos sofreu uma paragem cardiorrespiratória enquanto se encontrava no areal da praia de Pedrinhas, em Apúlia, ao início da tarde deste domingo, disse a O MINHO fonte do CDOS de Braga.

A vítima começou a sentir-se mal e acabou por perder os sentidos, deixando de respirar, para grande aflição da esposa que se encontrava ao lado.

Uma enfermeira que se encontrava no areal em lazer assistiu à situação e iniciou manobras de suporte imediato de vida, com auxílio de uma equipa de dois nadadores-salvadores da Associação Coordenada Decimal que faziam a vigia naquele espaço.

Rapidamente chegou a viatura médica de emergência e reanimação do INEM com desfribilhador acabando por reverter a situação de óbito da vítima.

Os nadadores-salvadores pediram o auxílio de uma pick-up de apoio, pertencente à associação, e que se encontrava no areal em Viana do Castelo, que rapidamente se deslocou para Esposende.

Com ajuda da carrinha, foi possível transportar a vítima até à ambulância, uma vez que ainda se encontrava “a uma longa distância” do local onde esta estava estacionada, disse fonte dos Bombeiros de Fão, corporação que mobilizou a viatura de emergência.

Pedro Verne e Miguel Oliveira, da coordenação dos nadadores-salvadores, prestaram o primeiro apoio psicológico à mulher da vítima, que se encontrava bastante abalada. Pouco depois, chegou a equipa de psicólogos do INEM, composta por médico e enfermeiro, para prestar assistência mais especializada à esposa.

A vítima foi depois estabilizada pelos Bombeiros de Fão já dentro da ambulância e conduzida para o Hospital de Braga com acompanhento diferenciado do médico da VMER de Barcelos, sendo considerado um “ferido grave”.

A GNR de Esposende registou a ocorrência.

Fonte dos bombeiros indicou que o papel dos nadadores-salvadores nesta ocorrência foi “fundamental” para que tudo corresse pelo melhor.

Paramédico nos Pirinéus no auxílio

O MINHO falou com Pedro Verne, coordenador dos nadadores-salvadores da Associação Coordenada Decimal, para perceber como funciona a equipa neste tipo de ocorrências.

Pedro é paramédico de uma equipa de resgate nos Pirinéus, durante a época de inverno, enquanto o companheiro Miguel, que o acompanha, é elemento da Cruz Vermelha, com ambos a terem bastante conhecimento para ocorrências de doença súbita. Foram eles que conduziram a pick-up que resgatou o homem do areal.

Foi nos explicado que esta associação está presente em todas as praias de Viana do Castelo, mas também em três do concelho de Esposende, assim como nas praias de Caminha com uma moto-4.

“Em Esposende temos nadadores na praia de Pedrinhas/Cedovém, na Praia da Barra em Suave Mar e ainda em Cepães. Fazemos anda uma ponte entre a praia da Gelfa, em Caminha, e Vila Praia de Âncora, com recurso a uma moto-4”, conta.

Quanto à carrinha pick-up que foi fundamental para rapidamente resgatar a vítima do areal, o responsável explica que funciona em Viana do Castelo mas está sempre pronta para alguma ocorrência grave em toda a extensão do areal minhoto, desde o Forte do Cão, mais a Norte, até à zona de Esposende.

Há ainda o apoio de uma viatura Amarok, do Instituto de Socorro a Náufragos, paga pela Câmara de Viana do Castelo, que é tripulada por um fuzileiro da Marinha e por um nadador-salvador, que também esteve na ocorrência de Esposende, a pedido da associação.

As viaturas fazem ainda vigilância em praias não vigiadas, por uma questão de prevenção e para assegurar o bem estar de todos os banhistas, independentemente se a praia está concessionada.

“Acho que é importante perceber que os nadadores-salvadores no Minho salvam centenas de vidas todos os anos, e que tentamos marcar a diferença para com os banhistas, que são sempre a nossa grande preocupação”, finalizou.

Continuar a ler

Populares