Seguir o O MINHO

Futebol

Na China, respeitou-se mais o isolamento, diz treinador de Guimarães em Wuhan

em

As medidas de isolamento foram mais respeitadas na China do que têm sido em Portugal, considera o treinador de futebol vimaranense Luís Estanislau, que trabalhava em Wuhan, cidade na origem do surto do novo coronavírus, responsável pela covid-19.

Depois de um período de isolamento em Wuhan, urbe com cerca de 11 milhões de habitantes, entre 22 de janeiro e 01 de fevereiro, o preparador físico do Hubei Chufeng Heli, do terceiro escalão da China, está agora a viver o mesmo cenário em Guimarães, cidade de onde é natural, e considerou estar mais enraizada na população chinesa a “cultura de respeitar as ordens do Governo”, sem “necessidade de contrariar”.

“Na China, fecha-se uma cidade de 11 milhões, está feito e acabou. Alguém manda, alguém decide e toda a gente cumpre, porque há essa cultura de [se] respeitar as decisões do Governo. Aqui [Portugal], como vivemos numa democracia de livre expressão, cada um pode dizer aquilo que quiser e bem lhe apetecer”, disse à Lusa o técnico, de 27 anos, que rumou a Wuhan no início de 2019 para integrar uma equipa com mais dois vimaranenses: o treinador principal, Luiz Felipe, e o treinador de guarda-redes, Miguel Matos.

Apesar das medidas de contenção em solo luso não serem, a seu ver, “tão drásticas” como as tomadas na China, até pela “capacidade económica” díspar dos dois países, Luís Estanislau realçou que Portugal está agora “no caminho certo”, sem “grandes dramatismos”, após a “demora” inicial em “perceber a dimensão” da Covid-19, já classificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como pandemia.

O técnico lembrou ter-se apercebido da gravidade da epidemia em 22 de janeiro, quando a equipa técnica regressou a Wuhan após um estágio de cinco semanas, em Kunming (sul da China), mas viu cancelado o voo do dia seguinte para as Filipinas, para a semana de férias do Ano Novo Lunar, antes do regresso aos treinos de preparação para a época que iria começar em 07 de março.

Num período de “dois a três dias”, recordou, tudo fechou na cidade, à exceção dos supermercados, locais onde os consumidores eram obrigados a utilizar máscara, óculos e luvas, sob pena de serem colocados “logo em casa” pelas autoridades assim que saíssem dos estabelecimentos.

“A partir do momento em que temos máscaras, óculos na cara, podemos tocar em tudo. Não vamos conseguir tocar nem na boca, nem no nariz, nem nos olhos [canais de propagação do novo coronavírus]”, explicou, tendo dito ainda que, na hora de chegar a casa, deitava a máscara ao lixo e desinfetava os óculos.

Apesar das restrições impostas, o número de mortes na China subiu de 17 para 259, até 01 de fevereiro, quando a equipa técnica foi repatriada num voo com 17 portugueses entre 250 cidadãos de várias nacionalidades europeias.

Depois da quarentena no hospital Pulido Valente, em Lisboa, e da “normalidade” com que viveu os últimos dias de fevereiro, Luís Estanislau viu-se obrigado a um segundo isolamento forçado, em Guimarães, cidade que, a seu ver, tem cumprido as recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS).

“Fui ao supermercado e vi pouquíssimas pessoas na rua, e mesmo no supermercado. Talvez pela proximidade a Felgueiras [um dos epicentros do surto, a 20 quilómetros], as pessoas possam ter um pouco mais de receio de sair”, observou.

O preparador físico, que também já trabalhou nos escalões de formação do Vitória SC e do Sporting, confirmou ainda que a equipa técnica quer voltar ao Hubei Chufeng Heli, clube com o qual tem contrato até ao final de 2020, mesmo sem ainda saber a data em que regressa a competição.

Anúncio

Desporto

Braga melhor que Porto e Sporting na formação de jogadores, diz diretor

SC Braga

em

Foto: Divulgação / SC Braga (Arquivo)

O SC Braga é o segundo clube de futebol em Portugal na formação, só atrás do Benfica, defendeu hoje Hugo Vieira, diretor executivo dessa área do clube minhoto.

“Com toda a honestidade, e porque conheço todas as realidades a nível nacional e algumas internacionais, por aquilo que o SC Braga tem feito, o que temos à disposição em termos de infraestruturas e de recursos humanos, o SC Braga é, neste momento, o segundo clube em Portugal [na formação]”, afirmou o dirigente em videoconferência com a comunicação social.

Para Hugo Vieira, os bracarenses estão à frente de Sporting e FC Porto e só perdem para as ‘águias’.

“O Benfica lidera neste momento a formação. Vivemos com objetividade e, neste momento, é o clube com melhores condições em Portugal”, afirmou.

Segundo dados de Hugo Vieira, o SC Braga tem 15 equipas de competição e 230 atletas, mais as escolinhas em vários polos, que movimentam mais cerca de 800 crianças.

Entre funcionários, colaboradores, técnicos, médicos e fisioterapeutas, a cidade desportiva, casa da formação ‘arsenalista’, alberga 116 pessoas.

O antigo jogador (defesa-central que passou por Braga, italianos da Sampdoria, Sporting, Vitória de Setúbal e Beira-Mar) afirmou que a aposta na formação pelo clube liderado por António Salvador é cada vez maior e “por convicção, não por necessidade”.

A intenção passa por ter uma base alargada de jogadores de qualidade e contratados cada vez mais cedo.

“Temos investido fortemente no ‘scouting’ para termos a tal base maior e mais forte, mas a nossa estratégia é só a pensar em nós. Há quem pense em contratar o máximo de miúdos possível para secarem o que está à volta, mas nós optamos por contratar só os que precisamos”, disse.

Hugo Vieira destacou a crescente chamada de atletas dos vários escalões às seleções nacionais respetivas e revelou que os próximos talentos a “dar cartas” na equipa principal, como Pedro Neto (hoje no Wolverhampton) ou Trincão (FC Barcelona na próxima época), constam de “um documento interno”.

O diretor executivo da formação disse ainda ser “um orgulho imenso para toda a estrutura ver os ‘Trincões’ da vida singrarem e seguirem o seu caminho: os campeonatos serão bem-vindos, mas essas são as nossas grandes vitórias”, disse numa alusão à transferência de Trincão, em janeiro, por 31 milhões de euros, para o colosso catalão.

A formação alimentar a equipa principal “é claramente um objetivo do clube” e o seu treinador “deve estar dentro desse pensamento”, frisou.

“Porque podemos fazer um ótimo trabalho desde os petizes até à equipa B, mas depois, se as portas não estiverem abertas, não faria sentido algum, mas isso não tem acontecido”, disse.

Hugo Vieira disse ainda concordar com a decisão da Federação Portuguesa de Futebol em terminar todos os campeonatos dos escalões mais jovens.

“A nossa vontade é que isso não tivesse acontecido, mas foi a decisão mais sensata e tivemos que acatar. Tudo vamos fazer para que [os jogadores] percam o menos possível e, sem nunca pôr em causa a saúde de ninguém, estaremos preparados para podermos reatar os treinos”, disse.

Considerou ainda que o confinamento provocado pela covid-19 “vai trazer um novo futebol”, considerando que outros clubes passarão a apostar mais na formação, e lamentou a situação vivida em Itália por causa da pandemia, país onde jogou durante três temporadas (1997-2000), na Sampdoria.

“É uma situação que me preocupa. As pessoas transmitem-me que estão a viver um cenário de guerra. Tenho um amigo em Bergamo, um dos sítios mais fustigados, e ele só me diz que espera que nós não passemos o que eles estão a passar”, disse.

Continuar a ler

Desporto

Braga apoia com 515 mil euros equipas de formação

Reunião de câmara

em

Foto: DR / Arquivo

São cerca de 515 mil euros. A Câmara de Braga vota segunda-feira, em reunião do Executivo, uma proposta do pelouro do Desporto de assinatura de um contrato-programa com o Sporting Clube de Braga para a época desportiva 2019/2020 de 349.500 euros.

A minuta do acordo, da autoria da vice-presidente Sameiro Araújo, refere que o contributo municipal se destina a um plano de formação de atletas de várias modalidades, integrando, ainda, a cedência de espaços desportivos municipais, caso da piscina grande do Complexo da Rodovia, do Campo da Ponte, do estádio 1.º de maio, e do polidesportivo da Rodovia. Este apoio, se fosse pago, através de aluguer, correspondia a uma verba de 385 mil euros.

Já o subsídio monetário de 349 mil, será pago em cinco prestações. O contrato estipula que a verba não pode ser utilizada para outros fins.

Na ocasião, os vereadores da coligação PDS/CDS, bem como os da oposição, PS e CDU, nalisam uma proposta idêntica de apoio à Associação de Futebol de Braga, de 150 mil euros, neste caso para o pagamento dos custos de inscrição, seguros e cartões dos atletas dos escalões de formação (juniores, juvenis, iniciados, infantis e benjamins). Para apoio à formação, são propostos, ainda, 15 mil euros para o Arsenal Clube da Deveza.

Continuar a ler

Desporto

Patrocinador do SC Braga vai comprar dez ventiladores para o Hospital de Braga

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

A empresa de apostas ‘online’ Betano está a apoiar, através da iniciativa “SC Braga Solidário” o hospital daquela cidade, contribuindo para arrecadar 270 mil euros, para fazer face à pandemia de covid-19, adiantou em comunicado.

Este valor será usado para comprar dez ventiladores, 15 mil máscaras e 500 fatos de proteção hospitalar, detalhou a empresa, recordando que o apoio faz parte de uma iniciativa contínua e prolongada que a Betano “está a desenvolver nos países europeus onde opera e que começou com a doação de 250 mil máscaras para o sistema de saúde na Grécia e está a ser atualmente lançada na Roménia e em Chipre”, indicou o grupo.

A iniciativa em Portugal, disse a Betano, conta com “pequenos números, mas que tornam maiores instituições como o SC Braga, a fazer a diferença no apoio à sua cidade e ao seu país”.

Continuar a ler

Populares