Seguir o O MINHO

Cávado

Município de Esposende investe 1,7 milhões em saneamento nas Marinhas

em

O Município de Esposende vai investir 1,7 milhões de euros na rede de saneamento básico no lugar do Monte, freguesia de Marinhas, que servirá cerca de 200 habitações e mais de 600 habitantes, informou hoje fonte camarária.


Para além da instalação da rede de drenagem de águas residuais domésticas, a empreitada contempla também a remodelação da rede de abastecimento de água e a ampliação e remodelação da rede de drenagem de águas pluviais, incluindo a reposição de pavimentos na plataforma total dos arruamentos.

A obra tem um prazo de execução de cerca de um ano e meio e deverá ter início no segundo trimestre de 2017.

 

logo Facebook Fique a par das Notícias de Esposende. Siga O MINHO no Facebook. Clique aqui

Anúncio

Cávado

Esposende dá “apoio excecional” de quase 20 mil euros a clubes e associações

Política

em

Foto: Divulgação / CM Esposende / Arquivo

A câmara de Esposende vai atribuir cerca de 20 mil euros de “apoio excecional” aos clubes e associações desportivas do concelho, por estar “ciente das dificuldades” e “contingências” que aquelas instituições atravessam em tempos de pandemia.

Em comunicado, aquela autarquia do distrito de Braga explica que o apoio “destina-se ao pagamento das taxas de inscrição e seguros dos atletas do escalão Sénior nas associações e federações das respetivas modalidades”.

Segundo o texto, “face à atual situação de pandemia e ao Estado de Calamidade vigente e tendo em consideração as diretrizes da Direção Geral de Saúde, que não permitem a presença de público nos eventos desportivos, os clubes viram reduzidos os meios financeiros por falta de bilheteira, que permitiam dar resposta às suas despesas correntes e para a manutenção da atividade”.

A autarquia realça que aquela é uma “medida de caráter excecional e balizada no tempo”.

São ainda apoiadas a realização de atividades desportivas, a concretização de projetos junto de populações com necessidades educativas especiais, a integração de crianças e jovens indicados pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em risco, o desenvolvimento de projetos fomentados pelo município, a compra de equipamentos e material de treino e, ou, pedagógico, a formação de técnicos habilitados e na sua atividade desportiva regular.

Continuar a ler

Cávado

Pescadores de Esposende com redes biodegradáveis para reduzir plástico no oceano

Ambiente

em

Imagem ilustrativa

A Câmara de Esposende lançou um estudo-piloto para “fomentar o uso de redes biodegradáveis” na atividade piscatória de forma a promover a sustentabilidade, contribuindo para combater a existência de plástico sintético no oceano.

O projeto E-REDES, feito em parceria com a Empresa Municipal Esposende Ambiente, a Universidade do Minho e a Associação de Defesa do Ambiente – Rio Neiva, com um custo global de 250 mil euros, arrancou esta semana com a primeira de nove campanhas de recolha, quantificação e tipificação do lixo marinho arrojado na costa de Esposende, no distrito de Braga.

Na sua página da Internet, o município explica que o E-REDES é comparticipado em 200 mil euros, ira ter uma duração de 18 meses e vai abranger os 16 quilómetros da costa de Esposende que integram o Parque Natural do Litoral Norte.

Aquele projeto consiste em fornecer redes biodegradáveis à comunidade piscatória local e envolve a “avaliação das propriedades físicas e da durabilidade de monofilamentos inovadores, a viabilidade do fabrico de artes com os mesmos e a eficiência pesqueira de redes construídas a partir de materiais biodegradáveis quando comparadas com redes convencionais”.

“Outro elemento chave do projeto E-REDES prende-se com a identificação de fontes de lixo marinho e a avaliação da quantidade e natureza do lixo arrojado às praias. Esta informação é crucial para uma tomada de ação na eliminação das origens do lixo marinho e contribuirá para o desenho de futuras medidas de gestão, baseadas numa monitorização constante e sistemática, suportando os gestores e decisores com as evidências necessárias”, explica.

A autarquia explica que “os problemas ecológicos e socioeconómicos derivados do abandono, perda ou descarte de equipamentos de pesca são uma preocupação crescente” e que redes de emalhar e tresmalho, usadas primariamente na pequena pesca, costeira e artesanal, “têm um elevado potencial de produzir pesca-fantasma e contribuem diretamente para a problemática do lixo marinho, mas também afetam espécies não-alvo de pesca, como aves e mamíferos marinhos, algumas das quais ameaçadas”.

Além daqueles problemas, contribuem ainda “para a introdução de materiais plásticos sintéticos não biodegradáveis na cadeia alimentar”.

Segundo o texto, “a quantidade, distribuição e efeitos de equipamentos de pesca perdidos aumentou substancialmente nas últimas décadas, devido à rápida expansão no esforço de pesca (definido pela dimensão das frotas que partem para o mar e o tempo durante o qual estas podem pescar) e devido ao uso de matérias sintéticos, altamente duráveis, no fabrico das artes”.

O E-REDES permitirá “avaliar a sustentabilidade da utilização de materiais biodegradáveis, enquanto alternativa viável às redes convencionais sintéticas, tendo em conta o seu custo e a eficiência pesqueira, mas avaliando os impactos económico, ambiental e social”.

O projeto foi eleito no âmbito do concurso Small Grants Scheme#1 dos EEA Grants, através do qual a Islândia, o Liechtenstein e a Noruega estabelecem o objetivo de reduzir as disparidades sociais e económicas na Europa.

Continuar a ler

Barcelos

Covid-19: Morreu mais um utente de casa de saúde mental em Barcelos

Surto já fez três vítimas mortais

em

Foto: Vítor Vasconcelos / O MINHO

Morreu mais um utente da Casa de S. João de Deus, em Barcelos, infetado pelo novo coronavírus, elevando para três o número de vítimas que faleceram em unidades de saúde para onde tinham sido entretanto transferidos, disse hoje fonte da instituição.

Em resposta escrita enviada à Lusa, a instituição acrescenta que, no total, foram registados 81 infetados, entre 66 utentes e 15 colaboradores.

Sublinha que, na maioria dos casos, os infetados estão assintomáticos.

“Nos casos concretos de infeção, as pessoas em causa estão em isolamento de acordo com as indicações das entidades competentes/autoridade de saúde”, diz ainda.

Covid-19: Morreram dois utentes de casa de saúde mental em Barcelos

Aquela Casa de Saúde pertence ao Instituto S. João de Deus (ISJD), uma IPSS que presta cuidados em regime de internamento a cerca de 2.000 pessoas nos âmbitos da psiquiatria e saúde mental, cuidados continuados e cuidados paliativos.

O comunicado sublinha que todos os estabelecimentos do ISJD têm implementados planos de contingência, que incluem zonas de isolamento “claramente definidas”.

Acrescenta que os profissionais de saúde estão formados e informados sobre as precauções a tomar e os procedimentos a implementar.

A Casa de Saúde de S. João de Deus tem 160 colaboradores e 300 utentes internados.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,2 milhões de mortos em mais de 48,7 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.792 pessoas dos 166.900 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

Populares