Seguir o O MINHO

Região

Mundial de canoagem de mar em Viana e Esposende cancelado

Covid-19

em

Foto: Divulgação / Federação Portuguesa de Canoagem

A Federação Internacional de Canoagem (ICF) cancelou a realização do Campeonato do Mundo de Canoagem de Mar 2020, que iria decorrer em Viana do Castelo e Esposende, de 1 a 6 de setembro.


A decisão deve-se às condicionantes impostas pela pandemia e foi tomada pelo organismo internacional, em conjunto com a organização local, Federação Portuguesa de Canoagem e Nelo.

Apesar do cancelamento internacional, em comunicado, a Federação Portuguesa de Canoagem adianta que está a ser ponderada a realização, nas mesmas datas, de uma competição de canoagem de mar, estando, no entanto, esta decisão sempre dependente do aval das autoridades de saúde nacionais.

Apesar do referido cancelamento, a ICF mantém a esperança na realização de algumas competições internacionais em 2020, razão pela qual os organizadores das Taças do Mundo de Slalom em Tacen, na Eslovénia (16 a 18 de outubro), e em Pau, em França (6 a 8 de novembro), continuam a trabalhar com esse objetivo, o mesmo acontecendo com os promotores da Taça do Mundo prevista para Szeged, na Hungria (23 a 27 de setembro), destinada à velocidade e à paracanoagem, e da Taça do Mundo de Águas Bravas em La Seu d’Urgell, em Espanha (23 a 25 de outubro).

Anúncio

Braga

Prémio distingue Serviço de Anestesiologia do Hospital de Braga

Carla Ferreira, interna de anestesiologia, é autora do trabalho vencedor

em

Foto: Divulgação / Hospital de Braga

O Serviço de Anestesiologia do Hospital de Braga foi distinguido pelo desenvolvimento do trabalho “Hip Arthroscopy in the Ambulatory Setting – Our Reality”, no primeiro Congresso online da International Association for Ambulatory Surgery, no passado dia 07 de novembro, anunciou hoje aquela unidade hospitalar.

O vencedor foi oficialmente divulgado na sessão “Free Paper Session”, que decorreu pela primeira vez em formato virtual, e o prémio que distingue a autora deste trabalho, Carla Ferreira, interna de anestesiologia, traduziu-se numa inscrição gratuita para o Congresso Mundial de Cirurgia Ambulatória, em 2022.

Em comunicado, o Hospital de Braga realça que “o desenvolvimento deste trabalho destacou-se pela originalidade do tema relativamente a este procedimento cirúrgico praticado em regime de ambulatório, mas também pelo estudo descritivo e resultados demonstrados que revelam a alta diferenciação deste Serviço do Hospital de Braga”.

“A possibilidade de realização deste trabalho apenas foi possível com a colaboração do Serviço de Ortopedia, em ambiente de trabalho conjunto, definindo-se as práticas mais adequadas para cada doente”, acrescenta.

O Hospital de Braga refere que, nos últimos anos, a cirurgia em regime de ambulatório tem sido uma prática reconhecida na resposta hospitalar, caracterizando-se pela sua multidisciplinaridade, envolvendo diferentes equipas e grupos profissionais, com garantia de elevados padrões de qualidade e segurança no tratamento dos doentes.

“A distinção deste trabalho, reconhecido a nível mundial, representa a excelência e a dedicação contínua para uma resposta adequada aos cuidados de saúde hospitalar em situações clínicas diferenciadoras”, conclui a instituição.

Continuar a ler

Região

Removido amianto das carruagens que vão circular na Linha do Minho

Anunciou a CP

em

Foto: Pedro Luís Silva / O MINHO (Arquivo)

A CP – Comboios de Portugal concluiu a operação de remoção do amianto nas 36 carruagens compradas à espanhola Renfe que precisavam daquele tipo de intervenção, antes do inicialmente previsto, foi hoje divulgado.

“A CP – Comboios de Portugal concluiu, na passada semana, a operação de remoção do amianto das 36 carruagens (do total de 51 unidades) compradas a Espanha, antes da data inicialmente prevista, que era a primeira semana de dezembro”, anunciou hoje a CP, em comunicado.

De acordo com a empresa, as primeiras três carruagens estarão prontas a circular no final de janeiro, assim que estiverem concluídos os trabalhos de reparação, remodelação de interiores e pintura que prosseguem na oficina da CP de Guifões, em Matosinhos, no distrito do Porto.

A previsão é de que a totalidade do parque de carruagens, da série ARCO, esteja disponível até ao final do ano de 2022.

Estas carruagens compradas à ferroviária espanhola vão circular na linha do Minho, após a conclusão das obras em curso, pela Infraestruturas de Portugal, no troço Viana do Castelo – Valença.

Para assegurar a realização destes comboios, a CP está também a recuperar locomotivas da série 2600, nas suas oficinas de Contumil, acrescentou.

Segundo a CP, das sete locomotivas necessárias para a futura operação da linha do Minho, quatro estão já totalmente recuperadas e três encontram-se, de momento, na fase final de recuperação.

“O restante calendário de reparação do parque de 21 locomotivas 2600, necessárias para tracionar as carruagens, prevê a disponibilidade de cinco locomotivas por ano em 2021 e 2022. A reparação das restantes quatro locomotivas será realizada em 2023”, acrescentou a empresa portuguesa de transporte ferroviário.

Em 15 de setembro, a Renfe revelou que o contrato de venda de 51 carruagens à CP por 1,61 milhões de euros estipula que cabe à companhia portuguesa retirar o amianto que existe nalgumas delas, depois do Jornal Económico ter avançado, com base numa notícia do La Voz de Galicia, que o conjunto de comboios usados “envolvem um risco acrescido devido ao facto de entre os seus materiais se contar o amianto”, tendo sido essa a razão que levou a Renfe a abandonar a operação daquelas composições, entre a Galiza e o País Basco.

A CP esclareceu nesse mesmo dia que a remoção do amianto em 36 das carruagens compradas à Renfe estava prevista no plano de recuperação daquele material e que todas elas estariam descontaminadas até à primeira semana de dezembro.

Continuar a ler

Braga

Amares aprova isenções na água, lixo e saneamento para apoiar comércio local

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

A câmara de Amares aprovou hoje por unanimidade um “pacote de medidas” de apoio aos restaurantes e ao pequeno comércio com o objetivo de “minimizar os graves prejuízos” causados pela atual pandemia de covid-19.

Em informação disponibilizada à Lusa, a autarquia explica que as medidas aprovadas em reunião de câmara incluem a adoção do logótipo “Eu faço compras em Amares” e a isenção total da fatura da água, lixo e saneamento a todos os restaurantes e similares (cafés, pastelarias), a todas as lojas de pequeno comércio (até 200 metros quadrados) e a pequenos negócios com porta para a rua.

As “medidas excecionais” vão vigorar nos meses de novembro e dezembro e serão reavaliadas no início de janeiro, alertando a autarquia que as isenções “pressupõem uma utilização racional dos recursos”, pelo que, em cada situação, não poderão ser superiores “aos custos da fatura no mês equivalente de 2019”.

As medidas foram propostas por uma comissão das três forças políticas que compõem o executivo camarário (PSD/CDS-PP, PS e pelo Movimento Amares Independente e Solidário (MAIS).

“Vivemos hoje tempos difíceis que perturbam a estabilidade económica da restauração e do pequeno comércio. Na verdade, esta situação da pandemia impõe que se tomem medidas excecionais por vivermos também tempos excecionais”, sublinhou o vice-presidente da autarquia, Isidro Araújo.

Portugal contabiliza pelo menos 3.897 mortos associados à covid-19 em 260.758 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O país está em estado de emergência desde 09 de novembro e até 08 de dezembro, período durante o qual há recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado.

Durante a semana, o recolher obrigatório tem de ser respeitado entre as 23:00 e as 05:00, enquanto nos fins de semana e feriados a circulação está limitada entre as 13:00 de sábado e as 05:00 de domingo e entre as 13:00 de domingo e as 05:00 de segunda-feira.

Continuar a ler

Populares