Seguir o O MINHO

Braga

Homem suspeito de agredir companheira com catana em Vila Verde

Vítima foi encontrada na rua por vizinhos

em

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Um homem, de 71 anos, sofreu ferimentos no rosto e no abdómen, esta quinta-feira ao final da tarde, depois de, alegadamente,tentar agredir a companheira, de 60, no lugar de Regualde, em Cabanelas, concelho de Vila Verde, onde o casal reside há cerca de um ano.


Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Segundo O MINHO apurou no local, a vítima terá sido agredida com uma faca com cerca de 10 centímetros depois de ter agredido a mulher com uma catana com cerca de 50.

O alerta foi dado por vizinhos, cerca das 18:30, depois de terem encontrado o homem ensanguentado, na via pública, na rua de Regalde.

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Ao local acorreram seis operacionais, com duas ambulâncias e uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER).

Os dois intervenientes na contenda foram transportados para o Hospital de Braga com ferimentos considerados ligeiros, embora o homem tenha sido dirigido para o bloco operatório, apresentando-se num estado mais gravoso que a mulher.

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Dado o aparato do alerta inicial, foi ainda mobilizada uma equipa de intervenção rápida da GNR, que acabou por não atuar.

Militares da GNR de Prado apreenderam as duas armas brancas e o caso passou para alçada da Polícia Judiciária que está a investigar, não deixando de parte que poderá ter sido o homem a agredir primeiro a companheira e esta ter agido em legítima defesa.

Notícia atualizada às 22h54 com informação da Polícia Judiciária

Anúncio

Braga

Contabilista e inspetor das Finanças de Braga acusados de corrupção

Justiça

em

Foto: DR

O Ministério Público (MP) acusou um contabilista e um inspetor tributário da Direção de Finanças de Braga de corrupção, num processo de alegados favores que terá envolvido a oferta de uma secretária antiga e duas cadeiras.


Em nota hoje publicada na sua página, a Procuradoria-Geral Distrital do Porto refere que o contabilista está acusado de corrupção ativa e o inspetor de corrupção passiva.

O MP considerou indiciado que o contabilista trabalhava para empresas que estavam a ser alvo de inspeções tributárias e de inquéritos criminais, em novembro e dezembro de 2015.

Nesse sentido, terá contactado o inspetor arguido, para que este contactasse os inspetores incumbidos das inspeções às ditas empresas, “no sentido de ser posto ao corrente do andamento das mesmas e de que nos relatórios constassem as informações que pretendia”.

Ainda segundo o MP, o contabilista ofereceu ao inspetor uma secretária antiga e duas cadeiras, “convencido de que, assim, este agiria no intuito de favorecer as sociedades no âmbito das inspeções tributárias”.

O inspetor aceitou aqueles objetos, no valor de 1.000 euros, que colocou em sua casa, “disponibilizando-se a dar as informações que pudesse”.

Continuar a ler

Braga

Braga protesta contra racismo e morte de George Floyd

Sábado, na Avenida Central

em

Foto: DR

A cidade de Braga também se vai associar aos protestos “Vidas Negras Importam” e “Resgatar o futuro – não lucro”, estando marcada uma manifestação para sábado, a partir das 17:00, na Avenida Central.


A manifestação é convocada por um grupo de ativistas de Braga que articulou a ação com as autoridades de saúde e camarárias para garantir o “estreito cumprimento das normas da Direção-Geral da Saúde”.

Marta Dias, uma das ativistas, explicou a O MINHO que haverá setores separados para garantir o distanciamento social e que todos os participantes terão que usar máscara.

Estão previstos cerca de 100 manifestantes.

No comunicado enviado às redações, é adiantado que a manifestação “Vidas Negras Importam” (traduzido do inglês Black Lives Matter) tem como objetivo “mostrar solidariedade com os muitos protestos que estão a ocorrer nos Estados Unidos da América, e também um pouco por todo o mundo, na sequência do falecimento do cidadão negro George Floyd, vítima de asfixia por um agente da polícia no dia 25 de maio, em Minneapolis”.

O grupo de ativistas salienta que “também em Portugal são muitos os casos de violência policial contra corpos negros”.

“O mito de que Portugal não é um país racista perpetua esta violentação dos corpos negros, o apagamento do passado colonial e as narrativas luso tropicalistas sustentam estes abusos”, refere o manifesto.

Noutro plano, “Resgatar o futuro, não o lucro” pretende alertar para que “a crise causada pela pandemia da covid-19 veio deixar bem claro que não estamos todos no mesmo barco quanto às consequências inerentes a esta crise”, nota o comunicado.

“Se o normal é o salário dos gestores do Novo Banco (2 milhões) ser maior que o apoio que o Ministério da Cultura dedicou para as mais de 100 mil pessoas que tentam sobreviver no setor da cultura, então não queremos voltar ao normal”, realça o grupo, lembrando “as 300 mil pessoas obrigadas a trabalhar a recibos verdes, que viram o seu trabalho cancelado a receberem metade do valor do limiar da pobreza”.

“Saímos à rua em defesa do nosso futuro coletivo, dos nossos direitos e da nossa dignidade, para resgatar o futuro, e não o lucro”, conclui o manifesto.

Continuar a ler

Braga

Menino de cinco anos tenta disparar arma de fogo em Braga. GNR foi chamada

Perigo

em

Foto: DR

Um menino de cinco anos tentou disparar uma arma de fogo quando brincava, no passado dia 02 de junho, em Crespos, concelho de Braga.


Segundo relata a GNR, aquela criança, e uma outra de sete anos, tinham acesso livre à arma, que não se encontrava acondicionada a um cofre e com cadeado no gatilho, conforme dita a lei.

Após uma denúncia, os militares foram à casa dos menores confirmando o relatado, acabando por exercer um mandado de busca domiciliária que culminou com a apreensão de uma arma de alarme e um carregador com cinco munições.

Divulgação GNR

Os factos foram comunicados ao Tribunal Judicial de Braga e à Comissão Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Braga.

A GNR relembra que para possuir uma arma de fogo legalmente, é necessário respeitar algumas normas de segurança no domicílio.

O portador que se separe fisicamente da arma de fogo deve colocá-la no interior de um cofre ou armário de segurança não portáteis, sempre que exigido.

Nos casos não abrangidos pelo descrito anteriormente, deve o portador retirar à arma peça cuja falta impossibilite o seu disparo, que deve ser guardada separadamente, ou apor-lhe cadeado ou outro mecanismo que impossibilitem o seu uso, ou fixá-la a parede ou a outro objeto fixo por forma que não seja possível a sua utilização.

Continuar a ler

Populares