Seguir o O MINHO

Braga

Mulher atacada por vespa asiática no quinto andar de prédio em Braga

em

Vespa velutina jovem. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Uma mulher de 82 anos, de Braga, foi, anteontem, picada por uma Vespa Velutina (dita asiática) e teve de receber tratamento, uma injeção com um anti-histamínico, no Hospital local, tendo regressado a casa uma hora depois. Evitou-se, assim, um possível choque anafilático que poderia ser fatal. Como já sucedeu meia dúzia de vezes, em Portugal.

A picadela não seria notícia, se não se desse o caso de algumas vespas terem chegado ao quinto andar do apartamento onde reside, na Rua Engenheiro José Afonso Fonseca, estando o ninho empoleirado numa árvore de grande porte, ao nível do sexto andar do prédio, numa zona próxima do rio Este e da ciclovia que cruza a Variante à cidade, a Avenida D. Frei Bartolomeu dos Mártires.

Sucede que, na zona, há locais com buracos no solo, onde as vespas se começaram, também, a instalar, o que causa preocupação aos moradores.

Ao O MINHO, o especialista em apicultura, Franclim Marques, de Braga, adiantou que o veneno da vespa asiática é um pouco mais forte do que o das vespas comuns ou das abelhas, o que faz com que seja muito doloroso, mas apenas representa perigo para pessoas que têm alergias: “nos últimos anos, houve cinco ou seis casos de morte em Portugal por causa da sua picada”, explicou, salientando que as pessoas com alto grau de alergia têm de ser injetadas 15 a 30 minutos depois da ocorrência, sob pena de esta ser fatal.

Contactado a propósito, o Comandante dos Bombeiros Sapadores, Nuno Osório, disse que uma equipa especializada tem destruído diariamente cinco a seis ninhos no concelho: “em 2021 destruímos 600, este ano vamos em mais de 300”, salientou, frisando que, o prazo médio entre o aviso que chega à corporação e a ida ao local é de três dias, podendo ser um pouco superior em época de fogos.

Atualmente, os Sapadores têm mais de 50 pedidos em lista de espera.

O responsável apela aos bracarenses no sentido de que reportem os casos de aparecimento de ninhos ‘asiáticos’ num só endereço, o “[email protected]”, isto para evitar a dispersão de informações que era tradicional até agora.

No caso em apreço, o de um ninho ao nível do sexto andar, o Comandante salienta que os bombeiros possuem uma arma própria com as respetivas balas especiais que furam os ninhos, destruindo-os. Quando o ninho está perto do solo é usada uma lança que o perfura e inutiliza.

“Leiam manual de boas práticas”

Sobre a destruição de ninhos Franclim Marques, que é dirigente da Associação de Apicultores Portugueses, membro da Comissão de Acompanhamento para a Vigilância e Controlo da Vespa asiática e foi um dos autores do «Manual de Boas práticas na destruição de ninhos de Vespa Velutina», ( e que muitos bracarenses conhecem por ter sido vereador na Câmara pelo CDS) aconselha os apicultores, os agricultores e os cidadãos em geral, a lerem-no já que está disponível gratuitamente no site do ICNF- Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas.

Salienta que a destruição de ninhos deve ocorrer entre fins de março e fins de outubro, época em que se reproduzem e morrem, estando vazios nos meses de Inverno.

Diz que está a ser feito, a nível nacional e através de armadilhas próprias, um trabalho de captura de vespas reprodutoras, tentando evitar que o inseto se multiplique como vem sucedendo: “são vespas superreprodutoras que é preciso controlar”, salientou.

EM FOCO

Populares