Seguir o O MINHO

Braga

MP quer que declarações de antigo dono da MAN/Braga sejam lidas no julgamento dos TUB

Proposta rejeitada pelos cinco advogados de defesa dos arguidos

em

Foto: DR

A magistrada do Ministério Público que representa a acusação no julgamento de um alegado caso de corrupção nos TUB-Transportes Urbanos de Braga esclareceu o Tribunal coletivo de Braga de que o pedido que fizera para que fossem lidas as declarações feitas em sede de inquérito, por Abílio Meneses da Costa, o proprietário da MAN/Braga, já falecido, seria na qualidade de testemunha e não como arguido.

Os depoimentos do empresário incriminam os quatro arguidos, acusando-os de terem recebido ou pago luvas na comercialização de autocarros daquela marca.

Inicialmente, Abílio Costa era arguido no processo, mas, quando a acusação foi concluída, em dezembro de 2017, passou a testemunha.

A proposta da magistrada foi rejeitada, na ocasião e em bloco, pelos cinco advogados de defesa dos arguidos Vítor Sousa, Cândida Serapicos, Luís Vale, Luis Paradinha e a própria MAN-Portugal.

Artur Marques argumentou que a leitura das declarações é “ilegal” porque foram prestadas na qualidade de arguido, pelo que, “não podem valer em audiência se não puderem ser contraditadas”, como é o caso.

Salientou que, parte das declarações foram feitas sem a presença de advogado e outra parte, a um órgão de policial criminal, a PJ/Braga, sem a presença da autoridade judicial.

A tese do jurista foi seguida pelos restantes defensores, com destaque para Paulo Monteiro, para quem, se forem lidas em audiência configurariam uma “nulidade insanável” em termos de produção de prova.

Face à posição da defesa e à complexidade da questão, o coletivo de juízes anunciou que decidiria, a seu tempo, o rumo a dar ao requerimento.

Denúncia à PJ de Braga

O empresário Abílio Augusto Meneses da Costa, que denunciou à justiça o alegado ‘esquema’ de corrupção nos TUB-Transportes Urbanos de Braga e nos de Coimbra, não prestou declarações para “memória futura” dado que, no inquérito, foi sempre ouvido na qualidade de arguido e não como testemunha.

A antiga ‘Oficina Senhor dos Aflitos’, por ele gerida, era a representante da multinacional alemã MAN na cidade.

Nas declarações à PJ/Braga, a quem entregou um dossier sobre o assunto, Abílio Costa disse ter aceitado ser uma espécie de firma-cofre para as alegadas atividades de corrupção da MAN no país: a ‘Oficina’ pagava as luvas aos gestores das empresas públicas de transportes e a MAN creditava-lhe o dinheiro quando lhe fornecia autocarros.

Os arguidos negam esta tese, dizendo que atuou “por vingança pessoal” por não lhe terem emprestado dinheiro quando estava em dificuldades.

Anúncio

Braga

Bananeiro em Braga à espera de milhares na véspera de Natal

Bananas e Moscatel

em

Foto: Divulgação

Aproxima-se o Natal e, com ele, uma das tradições mais afamadas da cidade de Braga, comer uma banana e beber moscatel na Casa das Bananas, mais conhecida como Bananeiro.

Nos dias que antecedem o Natal, com especial incidência para a tarde/início de noite da consoada (dia 24), os bracarenes (e não só) acorrem à rua do Souto para fazer cumprir a tradição.

A adesão costuma ser tanta que cria-se uma verdadeira multidão, com largos milhares de pessoas, de copo (de plástico) numa mão e uma banana amadurecida na outra.

A verdadeira história do Bananeiro de Braga. E de Viana

Manuel Jorge, o atual proprietário, não deixou morrer o hábito que já vinha do pai, Manuel Rio, fundador do atual bananeiro, criando, nos últimos anos, uma verdadeira tradição.

 

Continuar a ler

Braga

Vladislav Delay e Mão Morta “Redux” entre destaques do gnration, em Braga, até março

Espetáculos

em

Foto: Divulgação / Arquivo

A programação do primeiro trimestre de 2020 no espaço gnration, em Braga, vai contar com nomes como Vladislav Delay, Jana Winderen e Peter Burr, para além de um cine-concerto dos Mão Morta, em formato “Redux”.

Em comunicado hoje divulgado, o gnration anunciou que 2020 começa com a “prata da casa”, que se traduz na atuação dos bracarenses Mão Morta, no dia 17 de janeiro, a fazer a banda sonora de “A Casa na Praça Trubnaia”, de Boris Barnet, em formato reduzido com Adolfo Luxúria Canibal, António Rafael e Miguel Pedro.

Também hoje, o gnration anunciou que a argentina Juana Molina vai dar um concerto em Braga, no dia 09 de abril.

No dia 25 do primeiro mês de 2020, a sala de Braga acolhe a artista norueguesa Jana Winderen, reservando-se “o destaque maior do programa” para o finlandês Sasu Ripatti, mais conhecido por Vladislav Delay, que vai atuar em quinteto com Lucio Capece (saxofone), Derek Shirley (contrabaixo), Max Loderbauer (sintetizador Buchla) e Maria Bertel (trombone).

Ao longo do primeiro trimestre, o gnration vai ainda receber The Legendary Tigerman (14 de fevereiro), Gabriel Ferrandini com o pianista alemão Alexander von Schlippenbach (06 de março), Jerusalem in My Heart e Lucrecia Dalt (14 de março), entre outros.

Em 29 de fevereiro, o ciclo de performance audiovisual Binário apresenta a performance “Membrane”, de Push 1 Stop & Wikilow, enquanto Marcel Weber “dará a conhecer uma nova instalação audiovisual resultante de residência artística no âmbito do programa Scale Travels, projeto que alia arte e nanotecnologia, desenvolvido em colaboração com o Laboratório Ibérico Internacional da Nanotecnologia”

Neste âmbito, o artista Peter Burr vai expor “Mode Confusion”, entre 17 de janeiro e 18 de abril.

Continuar a ler

Braga

Mulheres terão furtado mais de 2 mil euros em perfumes, em Braga

Uma foi detida, três fugiram

em

Foto: Ilustrativa / DR

Uma mulher de 31 anos foi detida, numa loja em Braga, este domingo, depois de ter passado na caixa registadora com diversos perfumes, no valor de 547,50 euros, sem que os tivesse pago, anunciou hoje a Polícia de Segurança Pública (PSP).

Segundo a fonte, a detida encontrava-se na companhia de mais três suspeitas, que se colocaram em fuga. “Nessa altura, deixaram cair dois perfumes, no valor de 196,65 euros, tendo furtado mais perfumes, no valor de 1296,40 euros”, adianta a PSP.

No total, existem indícios de que as mesmas terão furtado produtos num valor superior a dois mil euros.

A mulher foi notificada para comparecer nos Serviços do Ministério Público junto do Tribunal Judicial da Comarca de Braga.

Continuar a ler

Populares