Seguir o O MINHO

Braga

MP abre inquérito a mulher sem carta que abalroou sete carros a fugir da polícia em Braga

Levava três filhos

em

Foto: O MINHO

O Ministério Público do Tribunal de Braga abriu, quarta-feira, um inquérito-crime para averiguar as condições em que uma mulher, de 40 anos, que guiava sem carta de condução na Praça do Bocage, em São Víctor, Braga, embateu, segunda-feira, em sete carros danificando gravemente quatro deles.

A condutora foi ouvida por um magistrado, e foi constituída arguida por suspeita da prática dos crimes de condução sem habilitação legal, e desobediência, neste caso por se ter recusado a fazer o teste de álcool.

A detenção foi feita por uma patrulha da Polícia Municipal, em ação de fiscalização naquela praça, a qual detetou que o carro seguia como que aos ziguezagues. Como O MINHO noticiou em primeira mão, a mulher, ao ver a PM, fugiu de imediato e foi embater numa série de sete viaturas estacionadas na zona, conhecida por ser junto à chamada Torre Europa.

Aquando dos embates, seguiam, ainda, três crianças, seus filhos, na viatura, tendo uma delas recebido tratamento hospitalar, ainda que a ferimentos ligeiros.

Vídeo: O MINHO

A PSP foi, entretanto, chamada ao local e deteve a cidadã, tendo as crianças sido entregues a amigos dela, que se comprometeram a delas cuidar, enquanto a mãe estivesse na esquadra.

A seguir, a Polícia Municipal e a PSP, removeram alguma das viaturas acidentadas, entre elas a que era conduzida pela suspeita, o que permitiu a regularização do trânsito na urbanização, uma das de maior densidade populacional da cidade.

PSP não participou

Ontem, contactada por o O MINHO, a responsável da Comissão de Proteção de Menores do concelho de Braga, Engrácia Martins, adiantou que, até ao momento, a Polícia de Braga nada lhe tinha enviado sobre o caso, provavelmente porque as três crianças “não sofrem qualquer perigo imediato”.

“A PSP comunica-nos estes casos, logo de imediato, quando há perigo para os menores ou quando estes não tenham apoio de retaguarda, o que parece não ser o caso”, explicou.

Acrescentou que, caso o expediente sobre o acidente lhe seja enviado, a Comissão irá averiguar as condições em que os menores vivem, e se o acidente resultou de uma situação avulsa, ou será recorrente.

EM FOCO

Populares