Seguir o O MINHO

Braga

Movimento desafia Ricardo Rio a proibir animais em circo e lança petição

em

Foto: DR/Arquivo

O movimento cívico “Braga para Todos” lançou uma petição para pedir proteção a animais de circo. É solicitado ao atual executivo que proíba o recurso e promova o circo enaltecendo apenas o talento humano, e não quem não pediu para ser parte do espetáculo e é obrigado a fazê-lo.


O movimento acusa o atual executivo de falta de visão. 

“Há uma reserva em evoluir por parte deste executivo, ainda vivem presos a paradigmas do passado, em Braga tudo o que é festa ou promove algum político com cargo é aprovado e aplaudido, mas ao contrário não têm maturidade de viver com uma oposição construtiva, nós gostávamos efetivamente de ouvir a opinião do Ricardo Rio sobre este tema, aliás já enviamos email para a sua secretária, para termos acesso aos 15 minutos de audição, que este promove aos munícipes, pois é isso que somos, no entanto não faz sentido alguém, que se consideram amigo dos animais, e sensível ao seu sofrimento ver algo benéfico no circo e no que está por trás do espetáculo, que são os bastidores, sem qualquer glamour e na verdade prisões onde estes animais permanecem toda a vida”, diz Elda Costa, porta-voz do movimento.

O movimento diz que tem não nada contra a arte circense e acha que esta devia ter mais apoiada e ter acesso a salas como o Teatro Circo, mas não aceita o uso dos animais.

“Vivemos em pleno contra-senso, por um lado defendemos que os animais são seres dotados de sensibilidade, mas então como aceitamos tirá-los do seu habitat natural e colocá-los em jaulas e em atuações onde são manipulados por autoridade para satisfazer o capricho humano? Alguém é assim inocente, que acha que um leão tem prazer em saltar rodas de fogo? Por um lado somos seres evoluídos, por outro continuamos a cometer os erros do passado, mas com outras vítimas. Se hoje parece um ato bárbaro para a maioria das pessoas ter um escravo, com será que vamos pensar daqui a séculos, quando nos apercebemos que usamos espécies em vias de extinção para nos divertirmos e pior para educar as crianças. O recurso a animais no circo é ato bárbaro e devemos exigir que termine em Braga, e isso depende apenas da decisão do executivo”.

O Braga para Todos lançou recentemente uma petição, que já duplicou o número mínimo de assinaturas para ir à assembleia municipal.

Para além de pedir a proibição do circo sem animais enumera uma série de questões que a prática fomenta como: o tráfico de animais, os maus-tratos, más condições das instalações, face a jaulas de pequeno porte para grandes animais e o stress físico e psicológico a que os animais estão submetidos.

Anúncio

Braga

Faz hoje um ano que o Bom Jesus de Braga foi classificado Património Mundial da UNESCO

Efeméride

em

Foto: DR / Arquivo

Neste dia, 7 de julho, no ano passado, o Santuário do Bom Jesus, em Braga, era classificado como Património Cultural Mundial da UNESCO.

A decisão foi tomada na 43.ª Sessão do Comité do Património, Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), que decorreu em Baku, no Azerbaijão.

Na mesma data, também o conjunto composto pelo Palácio, Basílica, Convento, Jardim do Cerco e Tapada de Mafra também receberam igual classificação.

Santuário do Bom Jesus classificado Património Mundial da UNESCO

A Confraria do Bom Jesus vai assinalar, esta terça-feira, a celebração do primeiro aniversário do Santuário do Bom Jesus como Património Mundial da UNESCO.

Assim, pelas 11:00 horas, dá-se a inauguração do Espaço Museológico do Coro Alto e Torre Sineira, com a presença do arcebispo D. Jorge Ortiga e do presidente da Câmara de Braga. Ricardo Rio.

Foto: O MINHO

Foto: O MINHO

Foto: O MINHO

Foto: DR

Foto: DR

Pelas 12:00 horas, será realizado o toque dos Sinos da Basílica do Bom Jesus. Pelas 18:00 horas, uma sessão de parabéns ao Bom Jesus pelo Coro Académico da Universidade do Minho, com transmissão online.

Santuário do Bom Jesus classificado Património Mundial da UNESCO

Para finalizar as cerimónias, a partir das 18:15 horas, inicia o webinar “Bom Jesus Património Mundial: onde estamos e para onde vamos?”, também com transmissão online.

Continuar a ler

Braga

Juventude Popular de Braga reeleita melhor Concelhia do país

Política

em

Foto: DR / Arquivo

A Juventude Popular de Braga foi distinguida, no último Conselho Nacional, em Ponte de Lima, como a Melhor Concelhia do país, tendo-lhe sido atribuído, pelo segundo ano consecutivo, o Prémio Adelino Amaro da Costa.

Em comunicado, a Juventude Popular de Braga considera que “este prémio é o reconhecimento interno que culmina de um ano de trabalho, espírito de equipa e responsabilidade”.

“A Juventude Popular de Braga agradece a todos os dirigentes, militantes e simpatizantes, que cada dia dão o melhor de si em prol da estrutura, do Partido, da cidade e do país”, refere o comunicado na sua página de Facebook, citando o fundador do CDS, que dá nome ao prémio, Adelino Amaro da Costa: “A Juventude não é instalada”.

Continuar a ler

Braga

Mulher deixa cães do ex-companheiro a passar fome e sede em Vila Verde

Acusada de maus-tratos a animais

em

Foto: Ilustrativa

Tinha cinco cães no quintal de casa, em Vila Verde, mas só tratava de um. Os outros quatro deixava-os sem comida e bebida, nem cuidava da sua saúde e higiene, porque eram do ex-companheiro, que estava no estrangeiro.

O Jornal de Notícias (JN) adianta na edição de hoje (acesso exclusivo para assinantes) que o Ministério Público de Vila Verde acusou a mulher, da freguesia de Cervães, de quatro crimes de maus-tratos a animais de companhia.

O caso foi espoletado em 03 de março de 2019, após denúncia da Associação de Defesa dos Animais e do Ambiente de Vila Verde, tendo uma patrulha da GNR ido ao local onde vivia a mulher, de 30 anos, natural do Luxemburgo.

A GNR deparou-se com cinco cães, quatro deles “subnutridos, maltratados, com sinais de abandono, sem água nem comida, e a carecer urgentemente de tratamento veterinário”.

A mulher alegou que só um dos cães lhe pertencia, sendo os outros quatro de um seu ex-companheiro, que se encontrava no estrangeiro, desde janeiro, tendo ela ficado de os alimentar.

Segundo a acusação, citada pelo JN, foi esta a “versão espontânea” que apresentou à GNR. Para o Ministério Público, a mulher ter-se-á comprometido com o ex-companheiro, de quem tem um filho, a tratar dos animais, mas acabava por só alimentar o dela.

O companheiro acabou ilibado, porque o MP considera, “com base no senso comum e nas práticas do dia-a-dia”, que a mulher teria ficado encarregue de tratar dos animais.

A acusação diz que a arguida se alheou dos quatro animais e que eram os vizinhos que os alimentavam.

Ainda de acordo com o JN, a GNR, depois de interrogar a arguida, transportou os animais ao veterinário, tendo este constatado que estavam em grave estado de subnutrição, desidratação e com doenças várias de pele. Um deles tinha uma lesão num dente, que vai ficar para o resto da vida, por ter ficado com um osso preso a um pré-molar, sem que a dona tivesse tido o cuidado de o retirar.

Continuar a ler

Populares