Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Motoristas de transportadora de Viana suspendem contrato de trabalho por salários em atraso

Porta-voz da empresa disse que durante esta semana a situação será regularizada

em

Foto: DR/Arquivo

Doze trabalhadores da Auto Viação Cura, de Viana do Castelo, requereram hoje, junto da empresa e da ACT, a suspensão do contrato de trabalho por salários em atraso, disse à Lusa o sindicato que os representa.

“As cartas foram entregues hoje à empresa e à Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT). O contrato é suspenso oito dias depois de entregue a carta. A partir do dia 11, se a empresa não pagar tudo o que deve aos trabalhadores, eles vão parar e irão receber os ordenados pela Segurança Social”, explicou o coordenador do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos do Norte (STRUN), José Manuel Silva.

Contactado pela Lusa, o porta-voz daquela empresa de transporte público, Rui Matos, disse não ter recebido o pedido de suspensão de trabalho e confirmou a falta de pagamento dos ordenados de outubro e novembro, adiantando que “durante esta semana a situação será regularizada”.

“Há esse atraso, mas há o compromisso com eles de, durante esta semana, regularizar o pagamento do mês outubro e começar a pagar novembro”, reforçou.

Já o coordenador do STRUN adiantou que “se a empresa não pagar dentro de cinco dias a ACT irá atuar”.

“Além de levantar autos, vai comunicar a situação à Segurança Social para que os trabalhadores possam começar a receber os salários pela Segurança Social”, disse, referindo que o serviço de transportes escolar assegurado pela Auto Viação Cura “poderá ficar em causa”.

“A partir do dia 11, os miúdos podem ficar na estrada porque 12 motoristas em falta representa muito”, frisou.

José Manuel Silva afirmou que os salários em atraso são uma “situação normal”, ultrapassada “com algumas greves”.

“Quando os trabalhadores faziam greve a administração ia pagando os salários. Desta vez, os trabalhadores fizeram greve, entre 11 e 22 de novembro, durante o período da manhã, para exigir o pagamento do salário de outubro, mas a administração não lhes deu explicações, não lhes ligou nenhuma”, disse o sindicalista.

José Manuel Silva acrescentou que, em maio, o sindicato pediu a insolvência da Transcolvia, outra empresa do grupo.

“No próximo dia 05 [quinta-feira], há uma reunião no tribunal entre o administrador de insolvência, os trabalhadores e os restantes credores para decidir se há condições para recuperar a empresa ou se é decretada a falência”, esclareceu.

Questionado pela Lusa, o porta-voz da Auto Viação Cura afirmou que os serviços prestados pela transportadora “estão completamente garantidos”, e justificou os salários em atraso com “atrasos de clientes, sobretudo entidades públicas, no pagamento dos serviços” prestados pela transportadora.

“As entidades públicas têm atrasado os pagamentos e nós refletimos essa dificuldade no pagamento dos nossos compromissos. O Programa Operacional Potencial Humano (POPH), que comparticipa as escolas para as escolas nos pagarem os passes, anda a pagar-nos faturas do ano letivo 2017/2018”, especificou.

Rui Matos adiantou que o sindicato “poderia ter dito que os trabalhadores têm os subsídios de férias e de Natal completamente liquidados e que, desde janeiro de 2018, a empresa pratica salários de 750 euros para os motoristas, mais 95 euros do que está estipulado pela Associação Nacional de Transportadores Rodoviários de Pesados de Passageiros (ANTROP) e pelos sindicatos”.

Segundo o porta-voz da administração, a Auto Viação Cura tem atualmente “cerca de 52 trabalhadores, vários sindicalizados e que fazem este tipo de críticas”.

“Nós sabemos quem são os trabalhadores sindicalizados. Não queremos que abandonem a empresa porque fazem falta, senão já nos tínhamos visto livres deles”, referiu.

Já a outra empresa do grupo, a Transcolvia, emprega “três trabalhadores e nenhum deles sindicalizado”, disse.

Rui Matos referiu ainda que o pedido de insolvência que corre no tribunal foi movido por um “ex-trabalhador por causa de uma dívida de quatro mil euros”.

Anúncio

Viana do Castelo

Viana quer ser Cidade Europeia do Desporto em 2022

Anúncio foi feito durante a IV Gala do Desporto

em

O Presidente da Câmara de Viana do Castelo anunciou, na sexta-feira, na abertura da IV do Desporto do concelho, que o Município vai avançar, este ano, com a candidatura a Cidade Europeia do Desporto 2022.

“Vamos, este ano, começar a preparar a candidatura. Vai ser muito difícil, mas estou certo que com o vosso apoio vai ser possível”, afirmou José Maria Costa, perante as mais de 600 pessoas que marcaram presença naquela iniciativa.

A IV Gala do Desporto de Viana do Castelo prestou, mais uma vez, homenagem aos atletas que, na época desportiva de 2018/2019, conquistaram 240 títulos nacionais, europeus e mundiais. Foram atribuídos galardões a 144 atletas premiados, que conquistaram um total de 193 títulos nacionais federados.

O evento voltou a contar com a presença do Ministro da Educação, que se congratulou com o anúncio da candidatura da capital do Alto Minho.

“Eu, como Ministro da República, tenho de dizer que lamento não poder anunciar aqui o meu apoio público à candidatura de Viana do Castelo, todos compreenderão a razão. Mas quando ouvi o anúncio da candidatura o meu coração bateu mais rápido. Desejo muito boa sorte a Viana do Castelo”, afirmou Tiago Brandão Rodrigues.

O governante destacou o facto de Viana do Castelo receber, entre 06 e 08 de junho, os Campeonatos Nacionais de Juvenis de desporto escolar, com a participação de mais de dois mil atletas, de dez modalidades.

“Os vianenses que amam Viana são amantes do desporto e podem dar uma cor especial a este concelho para receber jovens de todo o país. É um desafio que faço aos vianenses que tão bem sabem receber para que recebam de forma especial nesse fim-de-semana”, desafiou.

Já o vereador do desporto, Vítor Lemos, afirmou que o concelho tem 4.500 atletas federados, sem contar com os mais de 10 mil atletas não federados. Os atletas distribuem-se por mais de 70 coletividades que promovem regularmente 35 modalidades, sob a orientação de cinco centenas de técnicos e meio milhar de dirigentes e colaboradores. No total, são utilizados pelos atletas do concelho 140 espaços desportivos.

Em 2019, 86 atletas alcançaram 195 títulos de campeões nacionais, 15 atletas foram campeões universitários e nove sagraram-se campeões nacionais de desporto escolar. Na lista, há ainda dois campeões nacionais militares e 12 atletas que conquistaram dez pódios mundiais e europeus. Um júri independente atribuiu novamente oito distinções e o município entregou o Prémio Homenagem e Prémio Especial da Câmara de Viana do Castelo.

Assim, como Atleta do Ano – Masculino foi nomeado Antoine Quintal Launay, que representou em 2019 o Darque Kayak Clube na modalidade canoagem. Atleta internacional, destacou-se por ter garantido o apuramento olímpico no Campeonato do Mundo de Slalom com o 4º lugar da semifinal do Campeonato do Mundo da pista de La Seu d’Urgell. É Campeão Nacional de Slalom K1 Sénior, Campeão Nacional de Slalom C1 Sénior e Campeão Nacional de Slalom K1 Patrulhas Absolutos.

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

Como Atleta do Ano – Feminino o júri elegeu Cláudia Ferreira, na modalidade Atletismo – Lançamento do Dardo, a representar o Sporting Clube de Portugal em 2019. A atleta foi Campeã da Europa por Nações da 1.ª Liga e obteve o 1º lugar no ranking nacional de sub 23 e seniores (melhor marca portuguesa de 2019).

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

Como Treinador(a) do Ano, foi eleita Maria Eugénia Queirós, na modalidade Esgrima, a representar a Escola Desportiva de Viana. É treinadora da EDV desde 1994 e foi treinadora da Seleção Nacional de Florete em diversos estágios, taças do mundo, campeonatos do mundo e da Europa, juniores e seniores.

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

O Atleta Revelação do Ano – Masculino é Gonçalo Neto, na modalidade Hóquei em Patins, ao serviço da Associação Desportiva de Valongo. Representou a Seleção Nacional de Sub 20, conquistou o 3.º lugar no Campeonato Europeu nas seleções sub 20 em 2018 e foi campeão nacional sub 20.

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

A Atleta Revelação do Ano – Feminino é Ester Sotomaior Marques, na modalidade Andebol, pelo ABC/UMinho. Representou a Seleção Nacional de sub 17 e foi campeã nacional da 2.ª divisão sénior feminina.

Como Dirigente do Ano foi eleito João Zamith, do Surf Clube de Viana, nas modalidades surf, bodyboard, longboard, stand up paddle e surf adaptado. É presidente da direção desde 2013, num clube que conta com 632 sócios e 119 atletas federados. Em 2019, foi organizador do 1.º Campeonato Europeu de Surf Adaptado.

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

A Equipa do Ano distinguida pelo júri é a equipa sénior masculina da Associação Juventude de Viana, que se classificou no 8.º lugar no Campeonato Nacional da 1.ª Divisão, permitindo a sua qualificação para competir em mais uma edição da Taça WS Europe (competições europeias).

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

Como Associação Desportiva / Clube do Ano foi eleito o Centro de Atletismo de Mazarefes, fundado em 1987, que conta com 77 atletas federados. É a coletividade mais antiga do concelho para prática do atletismo, com atletas a competirem em todos os escalões etários no âmbito distrital, nacional e internacional.

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

O Prémio Homenagem atribuído foi entregue a Analídia Torre, na modalidade atletismo. Foi vice-campeã europeia de corta-mato e medalha de ouro por equipas em 2000 em Malmoe (Suécia) pela seleção nacional. Foi atleta internacional por nove vezes, seis das quais em corta-mato, duas em pista e uma em estrada.

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

O Prémio Especial atribuído pela Câmara de Viana do Castelo foi entregue a Alberto Pimenta Gonçalves. Natural de Viana do Castelo, conta com 61 anos de vida e mais de quatro décadas a apoiar as associações do concelho. Há cerca de 40 anos foi parar “quase por acidente” à direção do Deucriste Sport Clube, clube onde fez de tudo um pouco, entre secretariado, tesouraria e direção. Há cerca de 24 anos foi convidado para ingressar na Associação Desportiva de Barroselas, assumindo funções no secretariado. É o tesoureiro do clube, mas ao longo de todos estes anos foi motorista, roupeiro, ajudou a pintar os campos, colaborando em todas as tarefas.

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

A Gala do Desporto de Viana do Castelo é um evento anual organizado pelo município que visa distinguir e premiar as entidades e agentes desportivos que durante a época desportiva mais se notabilizaram pelos resultados alcançados ou pelos serviços prestados nas diversas modalidades desportivas, fruto do prestígio que deram à sociedade e ao desporto.

Continuar a ler

Alto Minho

Grupo belga compra centro comercial em Viana

Lima Retail Park, em Darque

em

Foto: Facebook de Lima Retail Park / Arquivo

O grupo belga Mitiska REIM comprou quatro retail parks em Portugal, incluindo o Lima Retail Park, em Darque, Viana do Castelo, foi esta segunda-feira anunciado. O Aveiro Retail Park, o Alverca Park e o Santarém Retail Park foram os outros três ativos adquiridos ao fundo norte-americano Blackstone, anterior detentor dos mesmos, numa operação levada a cabo em dezembro passado.

De acordo com o jornal ECO, o valor de venda dos quatro espaços deverá rondar os 40 milhões de euros.

Em comunicado, a Mitiska REIM, que realizou a compra através de um fundo chamado FRI, assinala a dimensão da aquisição, “uma das maiores de sempre” em Portugal.

“Ao longo dos últimos três anos, construímos uma plataforma de retail parks espalhados pelo país, somando mais de 135.000 metros quadrados de ABL tanto em funcionamento, como em desenvolvimento. Esta última aquisição, uma das maiores de sempre observadas em Portugal, consolida a posição de liderança da Mitiska REIM no mercado”, salienta Alfonso Cuesta, diretor de investimentos do grupo belga na Península Ibérica, citado no comunicado.

O Lima Retail Park foi inaugurado em 2007. Dispõe de 14 lojas de média dimensão, bem como parque de estacionamento com capacidade para 415 viaturas, comum a todas elas, segundo dados disponíveis no seu site.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Cerca de 300 fiéis apoiam padre contestado (a quem apagaram as luzes da igreja) em Viana

Padre não foi bem recebido numa nova paróquia

em

Foto: DR

Cerca de 300 pessoas de Subportela, em Viana do Castelo, participaram neste domingo na homenagem de apoio ao pároco da freguesia que, este mês, foi impedido pelos fiéis de Santa Leocádia de Geraz do Lima de tomar posse daquela paróquia.

Em nota enviada à Lusa, a organização da homenagem a padre Adão Lima explicou que a comunidade paroquial decidiu “unir-se para celebrar e agradecer ao padre Adão Lima pelos 17 anos como pároco” em que, além da “obra distinta” que “ergueu” naquela zona, criou “emprego a 58 pessoas”.

O padre Adão Lima é pároco nas paróquias de Deão e Subportela.

Viana: Fiéis desligam luzes e abandonam igreja à entrada de novo padre

O impasse na tomada de posse do padre na paróquia de Santa Leocádia de Geraz do Lima, com cerca de dois mil habitantes e situada a cerca de 20 quilómetros da cidade de Viana do Castelo, arrasta-se desde maio de 2019 na sequência da morte do pároco anterior, João Cunha, e da nomeação, pela diocese, do sucessor, o padre Adão Lima.

Os fiéis da nova paróquia entendem que “o padre Adão Lima é uma pessoa materialista, com grandes sinais de riqueza, autoritário, inacessível, não dialogante e um mau exemplo para a comunidade”.

Desde o início do diferendo, tanto o pároco em causa como a diocese, recusam fazer comentários sobre o assunto.

Hoje, um grupo de paroquianos de Subportela preparou uma homenagem “surpresa” ao padre Adão Lima.

“Sempre demonstrou para com todos, desde os de mais tenra idade, até aos de idade mais avançada, muita amizade e consideração. Como pastor que é, compartilha connosco todos os sofrimentos, lágrimas e amarguras, mas também as alegrias e os sorrisos, cuida e conhece cada um de nós, qual pastor cuida e conhece o seu rebanho. Que continue a ser para cada um de nós o pastor, o guia e o amigo de sempre. Saudações destes paroquianos que tanto o estimam”, refere a organização da manifestação de apoio hoje realizada.

O grupo constituído por cerca de dez paroquianos de SubPortela recordou que, “em 17 anos, o padre Adão Lima, ergueu, com a população, o centro social paroquial de Deão e o centro social e paroquial de Subportela”.

“Os centros de dia, os serviços de apoio domiciliário e a estrutura residencial para pessoas idosas, dão respostas a 170 pessoas idosas de Deão, Subportela, Santa Leocádia, Santa Maria e Moreira de Geraz do Lima, Deocriste, Barroselas, Portela Susã, Vila Franca, Mujães, Mazarefes, Lanheses”.

A organização adiantou que “também a creche, em Deão, acolhe 30 crianças”.

“O padre Adão gostou muito da nossa homenagem. Ficou muito feliz com esta manifestação de apoio, por estar a viver um momento triste”, disse a organização.

Continuar a ler

Populares