Seguir o O MINHO

Famalicão

Morreu uma das vítimas do despiste na A3 em Famalicão

Óbito

em

Foto: DR

Um jovem de 18 anos não resistiu aos ferimentos do aparatoso despiste ocorrido na manhã de domingo, na Autoestrada n.º 3 (A3), em Famalicão. O óbito foi declarado já no Hospital de São João, no Porto, confirmou fonte hospitalar.

Foi uma das cinco vítimas do despiste que mobilizou dezenas de operacionais e viaturas por entre corporações de bombeiros de Famalicão, GNR, Brisa e INEM.

Famalicão: Brutal acidente corta A3 e faz cinco feridos, dois em estado grave

Esaurindo Castro, de 18 anos, era a vítima que inspirava mais cuidados. Ao que O MINHO apurou, residia em Esmoriz, no distrito de Aveiro.

Esaurindo Castro. Foto: DR

Para além do jovem, outro ocupante da viatura, internado no mesmo hospital, encontra-se em estado crítico. Terá sensivelmente a mesma idade de Esaurindo. Ambos praticavam desporto federado num clube de Ovar.

Um terceiro interveniente acabou por ser considerado ferido grave, ao contrário do apontado inicialmente pelas autoridades no local, mas encontra-se livre de perigo.

Foto: Tiago Pereira

As outras duas vítimas foram transportadas para o Hospital de Famalicão com ferimentos ligeiros e não inspiram cuidados de maior.

O despiste ocorreu na manhã de domingo, pouco antes das 09:00, no troço da A3 que atravessa a freguesia de Esmeriz, em Famalicão.

Foto: Tiago Pereira

A viatura, com cinco ocupantes de idades entre os 18 e os 40 (segundo informação prestada por fonte dos bombeiros), seguia no sentido Famalicão-Porto, entrando em despiste por motivos desconhecidos.  A chuva que se fazia sentir poderá não estar alheia ao acidente.

A vítima mortal vai a sepultar nesta sexta-feira, em Esmoriz, concelho de Ovar.

Anúncio

Ave

Consternação com morte de ‘Zeca’ em trágico acidente de mota em Braga

Óbito

em

Foto: DR

José Manuel Silva, mais conhecido como ‘Zeca da Henriqueta’, não resistiu aos ferimentos provocados por um acidente com a mota em que seguia, ao final da tarde de quinta-feira, na variante de acesso à A3, em Braga.

Empresário do ramo da manutenção industrial, era uma figura muito conhecida por entre a indústria têxtil do Vale do Ave, onde colaborou com algumas das principais lavandarias e tinturarias da região. Os amigos e colegas de trabalho recordam um homem jovial e bem disposto, empenhado no trabalho que fazia.

Aos 48 anos, trabalhava atualmente em regime exclusivo na LTdye, no concelho da Trofa, onde era responsável pela manutenção industrial. Foi durante muitos anos responsável pela mesma área na Pincoltêxteis, na freguesia de Cavalões, Famalicão, de onde era natural. Residia atualmente em Gondifelos, com esposa e filhos.

José Manuel, apaixonado por motos de grande cilindrada, seguia ontem, cerca das 19:30, na variante de acesso à A3, no sentido Braga – Famalicão, quando terá sofrido um toque de um automóvel ligeiro, entrando em despiste que se revelou fatal.

Motociclista morre em variante de Braga

Durante alguns minutos, vários populares tentaram reanimar o homem que entrou imediatamente em paragem cardiorrespiratória provocada pelo embate nos separadores centrais daquela via. Os bombeiros chegaram cerca de 10 minutos depois do alerta, mas já não foi possível reverter a paragem do coração.

No local estiveram os Bombeiros Sapadores de Braga, a equipa médica da VMER de Famalicão e a brigada de trânsito da GNR, assim como os assistentes da concessionária Brisa, que foram os primeiros a chegar após o acidente.

As cerimónias fúnebres de ‘Zeca’ realizam-se este sábado, pelas 16:30, na igreja paroquial de Gondifelos, indo a sepultar no cemitério local.

Continuar a ler

Ave

Fábrica de Famalicão readapta-se e passa a produzir álcool gel

Covid-19

em

Foto: Indinor

A Indinor, fábrica localizada em Ribeirão, Famalicão, e especialista em produtos químicos para as indústrias de curtumes, calçado e têxtil, readaptou-se no atual período de pandemia para produzir álcool gel e desinfetantes para superfícies, solas e vestuário profissional, anunciou hoje a empresa.

Em comunicado, a empresa química do grupo Focor diz ter decidido alargar as suas áreas de especialização, apostando agora também nos produtos para a higienização, de forma a contribuir para minimizar a escassez no mercado destes produtos.

“Produzir álcool gel nunca esteve nos objetivos da Indinor. Contudo, tendo em conta as atuais circunstâncias e a nossa capacidade instalada, não poderíamos ficar indiferentes às notícias diárias de carência deste produto, tão básico, mas tão necessário ao nosso novo dia-a-dia”, afirma o administrador Rui Faria, citado no comunicado.

Se não existirem constrangimentos de matéria-prima, a Indinor diz ter capacidade para produzir, de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), 20.000 litros de álcool gel por semana, tendo já como clientes hospitais, farmácias e indústrias de vários setores.

Continuar a ler

Ave

Glovo já faz entregas em Famalicão

Serviço de entregas

em

Foto: DR

A Glovo já faz entregas em Famalicão.

Os utilizadores da plataforma podem fazer pedidos de comida de restaurantes locais assim como de estabelecimentos de venda de comida rápida, como o McDonalds, KFC ou Pizza Hut.

Com a chegada de Famalicão à Glovo, passam também a constar da lista os restaurantes Dragão, Mikado e Sushi King.

A empresa, concorrente direta da Uber Eats, também já operava em Braga, Guimarães e Viana do Castelo.

Os serviços da Glovo, uma aplicação para smartphones de entrega de produtos e comida, expandiram-se no território nacional, chegando na quinta-feira a Famalicão.

“Nesta fase difícil queremos corresponder, mais do nunca, às necessidades e gostos da maioria da população portuguesa”, diz o responsável da Glovo em Portugal, Ricardo Batista.

Em comunicado enviado às redações, o responsável afirma que a empresa “tem vindo a apostar na expansão nacional de forma consistente e intensa, sobretudo desde o final de 2019”.

A Glovo foi fundada em Barcelona, em 2015. Em 2017, chegou a Portugal, estando atualmente representa em cerca de 40 cidades.

Continuar a ler

Populares