Seguir o O MINHO

Vitória SC

Morreu Quinzinho, antigo avançado do FC Porto, aos 45 anos

Pai de Xande Silva, ex-jogador do Vitória SC, internacional sub-21

em

O antigo futebolista Joaquim Alberto Silva, conhecido por Quinzinho e que passou por clubes como o FC Porto, o Rio Ave, o Estoril Praia e o Rayo Vallecano, morreu aos 45 anos, anunciou hoje a União Desportiva Vifafranquense.

O jogador, que trabalhou recentemente para o Vilafranquense como preparador físico, sentiu-se mal subitamente depois de realizar uma corrida em Alverca

O ex-avançado representou o FC Porto nas épocas de 1995/96 e de 1998/99, tendo na sua carreira em Portugal jogado também na União de Leiria, Rio Ave, Farense, Desportivo das Aves, Alverca e Estoril-Praia.

O Vilafranquense, equipa na qual Quinzinho trabalhou recentemente como preparador físico, já emitiu uma nota de pesar pelo desaparecimento súbito do antigo jogador.

Entre 2003 e 2009, o avançado jogou em clubes chineses e acabou por terminar a carreira no ASA, de Luanda.

Foto: vitoriasc.pt / Arquivo

Quinzinho era pai de Xande Silva, ex-jogador do Vitória SC, internacional sub-21, que atualmente representa o West Ham, de Inglaterra.

Anúncio

Vitória SC

Pinto Lisboa quer Vitória “não apenas a competir, mas a ganhar”

23.º presidente do clube

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Miguel Pinto Lisboa, que hoje venceu as eleições com mais do dobro dos votos dos outros dois candidatos, prometeu um Vitória SC “a entrar em todos os campos não apenas para competir, mas para ganhar”.

Num discurso de Vitória na sua sede de campanha, no centro histórico de Guimarães, pouco tempo depois de conhecidos os resultados que lhe deram 50,6 por cento dos votos, Miguel Pinto Lisboa frisou o desejo da equipa de futebol estar sempre “entre os quatro primeiros” e ser presença assídua nas competições europeias.

“O Vitória vai entrar em todos os campos não apenas para competir, mas para ganhar!”, assegurou.

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

O novo presidente, que sucede a Júlio Mendes, e toma posse como o 23.º presidente do clube a 29 de julho, apelou à união, frisando também que a “votação expressiva traz responsabilidade”.

“Neste momento, acabam as listas, somos todos Vitória, contamos com todos das outras listas para um Vitória maior. Quero deixar uma mensagem de confiança aos sócios: tudo o que dissemos que iríamos fazer no programa eleitoral, vamos cumprir”, disse.

Para Pinto Lisboa, “o primeiro objetivo da época é tentar entrar na fase de grupos da Liga Europa”, no campeonato garantir a qualificação para as competições europeias e ser “ambiciosos nas taças de Portugal e da Liga”.

Miguel Pinto Lisboa obteve 50,6 por cento dos votos (3584 votos), mais do que os outros dois candidatos juntos.

António Miguel Cardoso, da lista A, obteve 31,1 por cento (2202) e Daniel Rodrigues, da lista C, 16,8 por cento (1189).

Num total de 7083 sócios votantes, houve 37 votos nulos e 71 brancos (1,5 por cento).

Continuar a ler

Futebol

Miguel Pinto Lisboa é o novo presidente do Vitória

Carlos Freitas será o diretor-geral para o futebol

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Miguel Pinto Lisboa foi hoje eleito presidente do Vitória. António Miguel Cardoso (Lista A) e Daniel Rodrigues (Lista C) eram os outros dois candidatos.

Segundo uma informação do presidente da mesa da assembleia-geral, Isidro Lobo, Miguel Pinto Lisboa obteve 50,6 por cento dos votos (3584 votos), mais do que os outros dois candidatos juntos.

António Miguel Cardoso, da lista A, obteve 31,1 por cento (2202) e Daniel Rodrigues, da lista C, 16,8 por cento (1189).

Num total de 7083 sócios votantes, houve 37 votos nulos e 71 brancos (1,5 por cento).

🗳 Miguel Pinto Lisboa eleito 23.º presidente do Vitória SC.👉 Resultados OficiaisLista A – 2202 (31,1%)Lista B – 3584 (50,6%)Lista C – 1189 (16,8%)#EleiçõesVSC #SomosAAlmaDoRei

Publicado por Vitória Sport Clube em Sábado, 20 de julho de 2019

As eleições deste sábado, as segundas da história do clube com mais de duas listas concorrentes, realizaram-se após Júlio Mendes, presidente cessante, ter apresentado a demissão, no final do passado mês de maio.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Isidro Lobo revelou ter convidado os três candidatos assim como o presidente cessante, Júlio Mendes, para a tomada de posse dentro de pouco mais de uma semana.

“É esse fator de união que precisamos. Peço aos adeptos mais aguerridos que deem uma prova que vão ter muita mais paciência para tudo o que a direção pretende fazer e, por vezes, não consegue, porque os meios não abundam”, disse Isidro Lobo.

Numa recente entrevista à Lusa, publicada esta semana em O MINHO, o candidato que encabeçou a lista B apresentava as ideias que defende para o futuro do clube.

Carlos Freitas vai dar “conhecimento” 

O candidato da lista B às eleições do Vitória SC, Miguel Pinto Lisboa, salientou que o futebol do emblema da I Liga portuguesa vai ser valorizado pelo “conhecimento” de Carlos Freitas, homem que escolheu para diretor-geral.

O líder do movimento ‘Todos Vitória’ adiantou que o antigo diretor desportivo de Sporting, Braga e Fiorentina (Itália) vai ajudar os vimaranenses a desenvolverem a “estrutura” para o futebol e a alargarem a rede de prospeção de jogadores.

“O facto de o Carlos Freitas ser uma pessoa com projeção internacional, experiência e contactos valoriza o nosso posicionamento e pode ajudar o Vitória na prossecução dos seus objetivos. É um homem com um profundo conhecimento do mercado e dos jogadores”, disse, em entrevista à agência Lusa.

O ‘rosto’ da lista B confirmou o desejo de ter o Vitória entre as quatro melhores equipas portuguesas em 2022, tendo prometido, para esse fim, a aposta em “parcerias com agentes do futebol”, a contratação de “talentos em fase precoce”, a baixo custo, e a rejeição de empréstimos sem contrapartidas.

“Não queremos empréstimos de jogadores. Estamos disponíveis para ter partilhas de passes de jogadores e para ter empréstimos, desde que tenhamos opção de compra ou uma percentagem sobre uma futura mais-valia”, afirmou.

Miguel Pinto Lisboa reconheceu, porém, que espera, inicialmente, “reduzir os gastos com a equipa profissional e com a equipa técnica” para um valor equivalente a 60% das receitas operacionais da SAD, de acordo com os critérios estabelecidos pela UEFA.

O candidato defendeu ainda que o clube, detentor de 40% das ações da SAD, deve “ter uma liderança firme e independente na SAD” e mostrou-se convicto de que o acionista maioritário, Mário Ferreira (57% do capital), vai concordar com o seu “plano estratégico” para o Vitória.

Caso Mário Ferreira não concorde com o seu plano, o líder da lista A tenciona comprar-lhe as ações, através de uma “operação de crédito a nove ou a 15 anos”, com um encargo anual para o clube, ou de um empréstimo obrigacionista, com a criação de uma SGPS associada aos vitorianos.

Apesar de o acionista maioritário ter vincado, num comunicado emitido na segunda-feira, que está “indisponível para vender as ações nesta fase”, Pinto Lisboa adiantou que a operação, caso venha a acontecer, vai deixar o clube com 97% das ações e originar uma Assembleia-Geral para alienar parte desse capital.

“Nessa Assembleia-Geral, o que eu proporia aos sócios era alienar 46% e o Vitória ficar com 51, para garantir a liderança na SAD. Mas eles teriam de estar de acordo”, disse.

Desejoso de ver “mais jovens da formação a chegarem à equipa principal para serem mesmo titulares”, o candidato reconheceu que a academia do clube, face ao crescimento do número de equipas, está “curta”.

Miguel Pinto Lisboa prometeu ainda criar uma equipa de futebol feminino já na próxima época, para competir na III Divisão, e disse ter o objetivo de vê-la na I Divisão, no final do seu mandato.

(em atualização)

Continuar a ler

Vitória SC

Júlio Mendes pede união em torno do novo presidente do Vitória

Presidente demissionário

em

Foto: DR / Arquivo

O presidente demissionário do Vitória SC, Júlio Mendes, pediu hoje aos sócios do clube para se unirem em torno do líder que for hoje eleito.

Após ter renunciado à liderança vitoriana no passado dia 27 de maio, o dirigente considerou que o aparecimento de três candidaturas aos órgãos sociais – lista A, encabeçada por António Miguel Cardoso, lista B, de Miguel Pinto Lisboa, e lista C, de Daniel Rodrigues – é uma prova da “capacidade do clube para discutir ideias” e frisou o vencedor tem de ser o presidente de todos.

“Expresso um desejo muito forte e vincado de que daqui saia um presidente que tenho o apoio de todos. Aquele que ganhar hoje as eleições será o presidente de todos nós. Será também o meu presidente. Os que perderem que se unam à volta de uma causa que se chama Vitória Sport Clube”, disse, após ter votado, às 14:30.

O responsável pediu ainda aos sócios para que a “afluência” às urnas seja “enorme”, de forma a que o recorde de votação de 7.274 sócios, atingido no ano passado, na eleição em que derrotou Júlio Vieira de Castro, com 52% dos votos, seja ultrapassado – até às 15:00, cerca de 4.200 sócios exerceram o seu direito, adiantou fonte oficial do clube.

O presidente do Vitória nos últimos sete anos realçou ainda que vai abandonar a direção com a sensação de “dever cumprido” e com a ideia de que o clube que hoje vai ser entregue ao novo presidente está “muito melhor” do que o que era em 2012.

O ainda dirigente mostrou-se ainda “disponível” para contribuir para “os interesses do clube”, no futuro, mas sem qualquer intervenção para criar “instabilidade”, ao contrário do que lhe fizeram a si no passado, alegou.

Eleito presidente em três ocasiões – 2012, 2015 e 2018 -, Júlio Mendes demitiu-se neste ano, tendo justificado a decisão com o “clima de contestação” à sua liderança e com a indisponibilidade demonstrada pelos sócios para abrirem a SAD, responsável pelo futebol, a investimento externo, na Assembleia Geral de 08 de setembro de 2018.

A direção por si liderada vai continuar em funções até 29 de julho, dia em que os órgãos sociais eleitos hoje tomam posse.

Júlio Mendes é também o presidente do Conselho de Administração da SAD e vai continuar a exercer o cargo até 30 de julho, dia em que os acionistas elegem o novo Conselho.

Os sócios do Vitória SC elegem hoje o 23.º presidente da história do clube, fundado em 1922, num ato eleitoral que decorre até às 19:00.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares