Seguir o O MINHO

Futebol

Morreu o treinador Vítor Oliveira

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Vítor Oliveira, treinador com uma longa carreira no futebol português, morreu hoje, aos 67 anos, depois de se sentir indisposto enquanto caminhava na zona de Matosinhos, confirmou à agência Lusa fonte próxima da família.

O ex-jogador e treinador, que estava sem clube desde que orientou o regresso do Gil Vicente à I Liga na época passada, foi assistido no local e transportado para o Hospital Pedro Hispano, mas acabou por não resistir.

Vítor Manuel Oliveira nasceu em 17 de novembro de 1953, em Matosinhos, e jogou no Leixões, Paredes, Famalicão, Sporting de Espinho, SC Braga e Portimonense, entre 1970 e 1985, contribuindo para o regresso dos famalicenses à I Liga em 1977/78.

Um ano depois, o ex-médio assumiu as funções de treinador-jogador do Famalicão por dois jogos e efetivou a carreira nos bancos desde 1985, ao serviço do Portimonense, que se estendeu por mais de três décadas e incluiu 19 clubes do futebol português.

Minuto de silêncio nos jogos da Liga em memória de Vítor Oliveira

Vítor Oliveira contabiliza 18 presenças na I Liga, à qual regressou em 2019/20 para orientar o Gil Vicente, na sequência do ‘caso Mateus’ e a partir do Campeonato de Portugal, obtendo a 10.ª posição, com 43 pontos, 10 acima da zona de despromoção.

Os ‘galos’ foram o clube que o matosinhense orientou mais vezes na carreira, num total de três passagens distintas por Barcelos (1992-1995, 2001-2003 e 2019/20), que ajudaram a suplantar a marca dos 400 jogos como treinador principal na I Liga.

Após duas épocas iniciais em Portimão, onde voltou entre 2016 e 2018, o técnico ainda trabalhou na elite com Paços de Ferreira (1991/92), Vitória SC (1995/96), SC Braga (1998/99), Belenenses (1999/00) e União de Leiria (2007/08).

Nesse trilho pelo escalão principal, assistiu às descidas de Académica (2003/04) e Moreirense (2004/05) à II Liga, patamar no qual escolheu trabalhar diversas vezes e ficou conhecido como o ‘rei das subidas’, ao festejar 11 promoções em 18 participações.

Há cinco clubes do Minho na I Liga. Vítor Oliveira treinou-os a todos

Vítor Oliveira foi seis vezes campeão dessa divisão (1990/91, 1997/98, 2006/07, 2013/14, 2016/17 e 2018/19), coordenador técnico no Leixões (2008/09) e estava longe dos relvados desde agosto, tendo optado pelo comentário televisivo nas últimas semanas.

A morte acontece na mesma semana em que o futebol português viu partir José Bastos, antigo guarda-redes do Benfica, e Reinaldo Teles, histórico dirigente do FC Porto, além da comoção mundial provocada pela morte do ex-futebolista argentino Diego Maradona.

Gil Vicente fala em “legado sem igual”

“É com grande tristeza que nos despedimos do ‘mister’ Vítor Oliveira. O treinador português deixa um legado sem igual e não podemos deixar de recordar os anos em que foi treinador do Gil Vicente, em especial a época transata, e o quão contribuiu para que o Gil Vicente pudesse ser o clube que é hoje. Até sempre, ‘mister'”, lê-se na mensagem publicada pelo clube de Barcelos na rede social Facebook, com uma fotografia a preto e branco do antigo técnico.

SC Braga lamenta morte de antigo jogador e treinador do clube

O SC Braga lamentou a morte do treinador Vítor Oliveira, recordista de subidas de equipas à I Liga de futebol, ocorrida hoje, em Matosinhos, recordando o seu passado como futebolista e treinador dos bracarenses.

Vítor Oliveira foi jogador do Braga em 1981/82 e 1982/83 e também técnico do clube bracarense em 1998/99.

O SC Braga endereça “sentidas condolências à família e amigos de Vítor Oliveira”.

Vitória lembra “rei das subidas”

O Vitória SC lembrou o treinador como o “rei das subidas”, em alusão às 11 promoções que alcançou nas 18 épocas a treinar na II Liga portuguesa de futebol. O técnico representou os vimaranenses na época 95/96.

“O rei das subidas, um eterno conquistador”, lê-se numa mensagem publicada pelo emblema vimaranense na página oficial na rede social Facebook, acompanhada de uma foto a preto e branco do antigo treinador e jogador natural de Matosinhos.

Famalicão lembra “figura mítica do futebol português”

O Famalicão, da I Liga portuguesa de futebol, manifestou “profundo pesar pela morte de Vítor Oliveira”, recordando a “figura mítica do futebol português” e “as marcas” que deixou no clube famalicense.

“O Famalicão vem por este meio manifestar profundo pesar pela morte de Vítor Oliveira, figura mítica do futebol português e que deixou a sua marca no nosso clube. Vítor Oliveira representou o Famalicão entre as temporadas 1976/1977 e 1978/1979, tendo ajudado o clube a subir à I Divisão em 1977/1978 e sido o capitão de equipa na temporada seguinte, na qual o Famalicão disputou a I Divisão”, destacou o clube, no sítio oficial na Internet.

O Famalicão salientou ainda a passagem do treinador pelo clube.

“Da passagem de Vítor Oliveira pelo Famalicão destaca-se ainda o facto de ter acumulado as funções de treinador e jogador durante dois jogos, durante a temporada 1978/1979. À família enlutada e aos amigos, o Famalicão endereça as mais sentidas condolências”, pode ler-se.

Moreirense recorda ex-treinador como “ser humano de excelência”

O Moreirense apresentou condolências pela morte, lembrando um “ser humano de excelência”, que orientou o clube da I Liga de futebol em duas fases distintas.

“Partiu uma das grandes referências da classe de treinadores em Portugal. Um ser humano de excelência, que tão bem dignificou os valores do nosso clube e que será para sempre lembrado como um de nossos. Em breve, toda esta consternação se tornará em lembrança”, lê-se em comunicado publicado no sítio oficial dos minutos na Internet.

Ao longo de mais de três décadas nos bancos, entre 1978 e 2020, Vítor Oliveira orientou duas vezes o Moreirense, participando na descida à II Liga, em 2004/05, e na subida à I Liga, em 2013/14, responsável pelo quarto de seis títulos somados naquele patamar.

“São recordações de todas as páginas escritas por um profissional de excelência e que tanto ainda tinha a dar ao futebol”, termina a nota do emblema da vila de Moreira de Cónegos, pelo qual somou 24 vitórias, 26 empates e 20 derrotas, em 70 encontros.

 

Sporting manifesta pesar e endereça condolências

O Sporting manifestou pesar pela morte do antigo jogador e treinador de futebol Vítor Oliveira, recordista de subidas de equipas à I Liga e com cerca de 50 anos de carreira ligados à modalidade.

“O Sporting Clube de Portugal manifesta o seu pesar pela morte de Vítor Oliveira, ex-jogador e treinador de futebol, que faleceu este sábado aos 67 anos. Aos familiares e amigos, o clube endereça as mais sentidas condolências”, observou o clube lisboeta, em nota divulgada no sítio oficial na Internet.

Presidente do Benfica lembra o “caráter” do treinador

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, manifestou pesar pela morte do treinador Vítor Oliveira, considerando que vai ficar na história do futebol português.

“Em nome do Sport Lisboa e Benfica e em meu nome pessoal, manifesto o mais profundo pesar e tristeza pelo trágico e inesperado falecimento de Vítor Oliveira. Ficará para sempre na nossa memória o excelente profissionalismo de um dos treinadores que mais se distinguiram nos últimos anos no futebol português”, refere a mensagem assinada por Luís Filipe Vieira.

O presidente dos ‘encarnados’ destacou o “caráter” de Vitor Oliveira, endereçando condolências à família e amigos do treinador: “Vítor Oliveira ficará para sempre na história do futebol português”, reforçou.

FC Porto lamenta a morte de “um dos grandes do futebol português”

O FC Porto lamentou a morte do treinador, “um dos grandes do futebol português”.

“Vítor Oliveira era um dos grandes do futebol português nas últimas décadas. Neste momento difícil, o FC Porto envia as mais sentidas condolências à sua família e amigos. Descanse em paz”, pode ler-se nas redes sociais dos ‘dragões’.

Rio Ave “em choque” com morte de treinador que “deixou marca no clube”

O Rio Ave, da I Liga portuguesa de futebol, manifestou, hoje, “profunda consternação e choque”, com a morte do treinador Vítor Oliveira, que orientou o clube vila-condense entre os anos de 2000 e 2002.

“Profunda consternação e choque com a notícia do falecimento de Vítor Oliveira, treinador e personalidade ímpar na história do futebol nacional, que nos toca, também, de forma muito particular, pois Vítor Oliveira foi treinador do Rio Ave, que orientou em 52 jogos, deixando o seu legado nos 81 anos do clube”, pode ler-se numa nota publicada no ‘site’ do Rio Ave.

No mesmo texto, está expressa uma reação do presidente do emblema da foz do Ave, António Silva Campos, que se mostrou “verdadeiramente desolado com o falecimento de Vítor Oliveira”.

“O futebol português perdeu um homem de H grande, de personalidade forte, íntegro, conhecedor, como poucos, do futebol português. Um ser humano de inegáveis qualidades. Um treinador de elevada mestria”, partilhou António Silva Campos.

O dirigente vila-condense falou em “perda irreparável” e lembrou que Vítor Oliveira “também deixou no Rio Ave a sua marca”.

“A família ‘rioavista’ não o esquece e associa-se à dor de familiares e amigos a quem deixo os meus mais sentidos pêsames”, completou o líder do Rio Ave.

Portimonense “em choque” com a morte “de um ícone do futebol português”

O Portimonense lamentou a morte do seu ex-treinador Vítor Oliveira, considerando ter desaparecido “um ícone do futebol português”.

“Sem palavras que descrevam o sentimento que todos sentimos. Estamos em choque. Uma notícia que entristece todo o mundo do desporto. Uma tristeza imensa por quem sempre defendeu o Portimonense e que nos deixa enormes saudades”, reagiu o clube algarvio na sua página oficial de Facebook.

Paços de Ferreira lamenta desaparecimento do técnico

O Paços de Ferreira lamentou hoje a morte do treinador numa curta declaração publicada nas redes sociais, com o símbolo do clube da I Liga de futebol a negro, em sinal de luto.

“Merecedor de todos os aplausos, de todas as conquistas. Aprendemos tanto consigo? Faltam-nos as palavras, neste momento. Descanse em paz, ‘Mister’”, pode ler-se na breve nota de pesar do emblema pacense.

A surpresa pelo trágico e inesperado desaparecimento do técnico é extensiva aos adeptos que se juntam em frases de pesar na caixa de mensagens, no final de uma semana ‘negra’ para os pacenses, após a morte do avançado búlgaro Nicola Spassov, que marcou uma geração no clube nortenho.

Trofense recorda treinador com “enorme aplauso”

O Trofense recordou hoje, com um “enorme aplauso” Vítor Oliveira, que treinou em 2009/10 o clube, atualmente no terceiro escalão do futebol nacional.

“Um enorme aplauso. É assim que o queremos recordar ‘mister’ Vítor Oliveira. A nossa relação foi curta, mas fica a sabedoria, a simplicidade e paixão com que sempre olhou o jogo. Fica-nos o humanismo, de alguém que deu muito de si ao nosso futebol. Até sempre ‘mister, com o nosso aplauso!”, lê-se na página oficial do clube no Facebook.

Em 2009/10, Vítor Oliveira iniciou a temporada no recém despromovido Trofense, tendo sido substituído no cargo por Daniel Ramos, em fevereiro, quando ocupava o sexto lugar, após 18 jornadas.

O emblema da Trofa não conseguiu melhorar a classificação e terminou a II Liga no sexto lugar, com 45 pontos, a nove dos lugares da subida, então ocupados por Beira-Mar e Portimonense.

Belenenses diz que treinador “deixa inúmeros amigos”

O Belenenses lamentou hoje a morte de Vítor Oliveira, que treinou o clube do Restelo durante duas temporadas e no qual “deixa inúmeros amigos”, tendo alcançado a quarta de 11 subidas à I Liga de futebol na carreira.

“Os órgãos sociais do Clube de Futebol ‘Os Belenenses’ tomaram conhecimento do falecimento, aos 67 anos, do técnico Vítor Oliveira, treinador que esteve ao serviço do Belenenses, onde deixa inúmeros amigos, nas temporadas 1998/99 e 1999/00, tendo orientado os ‘azuis’ da Cruz de Cristo em 56 encontros”, observou o clube lisboeta, em nota divulgada no sítio oficial na Internet.

Em 1998/99, Vítor Oliveira substituiu Manuel Cajuda no comando técnico do clube do Restelo a partir da 14.ª jornada e ascendeu à elite do futebol nacional, na altura pela quarta vez na carreira, colocando o Belenenses no 12.º lugar da I Liga no ano seguinte.

“Neste momento difícil e em nome de toda a família belenense, os órgãos sociais do clube endereçam a todos os familiares e amigos de Vítor Oliveira as mais sentidas condolências”, conclui a nota.

Também o presidente Patrick Morais de Carvalho deixou uma palavra de “profundo pesar” na sua conta pessoal na rede social Facebook, em memória de “um homem íntegro e um bom amigo”, seu e do Belenenses, afirmando que Vítor Oliveira “fica na galeria dourada dos grandes do futebol português”.

Académica agradece trabalho do treinador das “missões impossíveis”

A Académica de Coimbra, da II Liga de futebol, associou-se hoje ao luto pelo falecimento do treinador, que, na época 1996/97, conduziu o clube ao principal escalão do futebol português.

Numa curta declaração nas redes sociais, a direção dos ‘estudantes’ recordou o técnico de Matosinhos como “o treinador das missões impossíveis”, quando chegou a Coimbra em janeiro de 1995 com a “complicada tarefa de conseguir manter a ‘Briosa’ na segunda divisão”.

“Oliveira não só alcançou esse objetivo, como, no ano seguinte, deu uma enorme alegria a todos, ao conseguir levar a Académica de regresso à I Divisão, na época de 1996/97”, lê-se no comunicado.

Agradecendo todo o trabalho do técnico, a direção da Académica salientou que “Vítor Oliveira estará para sempre na memória de todos os académicos, não só pelos feitos alcançados, mas também pela forma como sempre se dedicou e trabalhou na instituição que tanto acarinhava”.

Sporting de Espinho despede-se com um “até sempre”

Sporting de Espinho recordou a passagem no clube como futebolista de Vítor Oliveira, despedindo-se do antigo treinador com um “até sempre”.

“Faz parte da história do Sporting de Espinho. Representou o nosso clube como jogador entre 1979 e 1981, na 1.ª Divisão. Distinguiu-se depois como treinador, o ‘rei das subidas’, sendo uma das figuras mais marcantes do futebol português”, escreveu o clube de Espinho, atualmente no Campeonato de Portugal.

O Sporting de Espinho, que conta 11 presenças no principal escalão nacional, a última das quais em 1996/97, ilustrou a mensagem com uma fotografia de Vítor Oliveira, “de tigre ao peito, entre Canavarro e Coelho, no velho Campo da Avenida”.

O então médio Vítor Oliveira defendeu as cores do Sporting de Espinho nas temporadas de 1979/80 e 1980/81, quando o clube terminou os campeonatos na sétima – a melhor classificação de sempre – e nona posições, respetivamente.

Chaves manifesta pesar e lembra época de subida no clube

O Desportivo de Chaves manifestou hoje o “profundo pesar” pela “morte inesperada” do treinador, que na temporada 2015/16 devolveu o clube atualmente na II Liga portuguesa de futebol ao principal escalão.

“O Grupo Desportivo de Chaves e a respetiva SAD manifestam o seu profundo pesar pela morte inesperada do Mister Vítor Oliveira, vítima de doença súbita. Deixamos um abraço de conforto à família e aos amigos do Vítor Oliveira. Obrigado, ‘Mister’”, pode ler-se na nota publicada na rede social Facebook.

O comunicado lembra ainda a época 2015/16, em que Vítor Oliveira orientou o emblema transmontano, e na qual assegurou o regresso do clube ao principal patamar do futebol português, 17 anos depois.

Também o presidente da direção do Desportivo de Chaves, Bruno Carvalho, reagiu à morte de Vítor Oliveira lembrando o “profissionalismo” e os conselhos dados.

“Nunca esquecerei as nossas conversas. Sempre foi bom ouvinte, num mundo em que poucos são aqueles que têm disponibilidade para ouvir. O seu nome, amigo Vítor Oliveira, ficará eternamente associado ao sonho que nos ajudou a concretizar, escrevendo mais uma página de ouro na história do Grupo Desportivo de Chaves”, realçou numa mensagem na sua página pessoal no Facebook.

O atual diretor desportivo dos transmontanos, e antigo jogador de Vítor Oliveira, Nélson Lenho, lamentou a perda do futebol português de “uma das pessoas mais transparentes, sinceras, simples e de grande sabedoria”.

Vários elementos do clube flaviense com quem Vítor Oliveira trabalhou na temporada 2015/16 têm publicado mensagens de condolências nas redes sociais.

Arouca diz que técnico “vai ficar para sempre na história do clube”

Vítor Oliveira “vai ficar sempre inscrito na história do Arouca como o treinador que levou o clube à I Liga” portuguesa de futebol, afirmou hoje à agência Lusa o diretor desportivo, Joel Pinho

“Estou sem palavras, foi uma das pessoas que marcou o Arouca e que vai ficar sempre inscrito na história do Arouca como o treinador que levou o Arouca à I Liga. À parte do futebol, foi uma das melhores pessoas, foi um bom mentor, foi ele que me lançou como diretor desportivo. Estamos todos muito tristes pelo sucedido”, lamentou o diretor desportivo do atual quinto classificado da II Liga.

Em comunicado no sítio oficial do clube na Internet, o emblema recordou “a carreira longa e cheia de vitórias” de Vítor Oliveira e sublinhou o “orgulho” por “fazer parte do leque de 11 clubes que o ‘rei das subidas’ levou ao topo do futebol português”.

“A família do Futebol Clube de Arouca recebeu com profunda tristeza e consternação a notícia da inesperada partida do nosso amigo Vítor Oliveira, técnico que orientou o nosso clube e connosco escreveu uma das mais belas páginas da nossa história: a subida à 1.ª Liga, em 2012/13”, pode ler-se na nota.

O Arouca referiu que “hoje o futebol português fica mais pobre”, com a perda de “uma referência de topo do futebol português, marcada pelo seu enorme caráter e respeito por todos os intervenientes”. “O legado será eterno! Obrigado e até sempre, Mister!”, finaliza o comunicado.

Presidente da Câmara de Matosinhos lembra o “filho da terra”

A presidente da Câmara de Matosinhos, Luísa Salgueiro, lembrou o treinador de futebol Vítor Oliveira como “um dos filhos da terra”, que lhe atribuiu a medalha de valor desportivo da cidade.

Endereçando as condolências a família e “toda a comunidade que acompanhou o percurso” do ex-jogador e técnico, Luísa Salgueiro lembrou a infância “passada a jogar futebol na praia” que o levou ao Leixões, clube daquela cidade do distrito do Porto.

A promoção dos leixonenses, em 2007, é um dos feitos elencados pela autarca, que lhe elogia “a paixão e talento”, bem como as 11 subidas de divisão com equipas da II Liga, em 18 participações.

“Por este percurso profissional impressionante, a Câmara de Matosinhos, no âmbito do primeiro Congresso do Senhor de Matosinhos, decidiu atribuir-lhe a medalha de valor desportivo, no ano passado”, lembrou, numa publicação na rede social Facebook.

Presidente da FPF destaca “imagem de um enorme vencedor”

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, lamentou a morte de Vítor Oliveira, de quem será guardada “a imagem de um enorme vencedor”.

Através de uma mensagem publicada no sítio oficial na Internet, a FPF assinala o “desaparecimento de uma personalidade tão carismática” do futebol português.

“Numa carreira longa e cheia de vitórias, foi sempre, pelo seu enorme caráter, cultura desportiva e exigência, uma referência de topo do futebol português. Sublinho apenas que Vítor Oliveira fará muita falta ao futebol nacional que, por sua vez, dele guardará sempre a imagem de um enorme vencedor”, disse Fernando Gomes.

Fernando Santos diz que vai sentir falta do “amigo”

O selecionador português de futebol, Fernando Santos, lamentou hoje a morte do “amigo” Vítor Oliveira, garantindo que vai sentir muito a falta das “conversas e convívios” entre os dois.

“Partiu um dos meus companheiros, seguramente um dos melhores amigos que alguma vez fiz. Começámos juntos no futebol e seguimos juntos na vida. Vou sentir, já sinto, muito a tua falta nos nossos almoços, conversas e convívio”, disse Fernando Santos, citado no sítio oficial da Federação Portuguesa de Futebol.

O selecionador nacional despediu-se de Vítor Oliveira “com grande emoção”, deixando uma palavra de apoio à família do treinador.

Associação de Treinadores diz que futebol “fica mais pobre”

A Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF) manifestou pesar pela morte de Vítor Oliveira, declarando que “o futebol nacional fica mais pobre”.

Numa nota de pesar publicada no sítio oficial na Internet e na rede social Facebook, a ANTF lembra que o antigo técnico era membro honorário da associação, em que desempenhou as funções de presidente do Conselho Fiscal, de 1999 a 2013.

“O ‘rei das subidas’ será para sempre recordado entre os seus pares”, acrescentam os treinadores.

Outras reações à morte do treinador

Augusto Inácio (treinador de futebol): “Mais uma notícia triste, morreu um bom Homem e um grande treinador, condolências à família e aos amigos. Descansa em paz amigo”.

Varzim (clube da II Liga): “O mundo do futebol despede-se hoje de mais um campeão. Até sempre, Vitor Oliveira!”.

Manuel Cajuda (treinador de futebol): “Que se lixe o Treinador. Acabámos de perder um Homem Bom, um Homem Inteligente. A Vida dá-nos quase sempre irmãos de sangue. Mas este foi um dos poucos que eu escolhi para ser irmão que eu queria ter. Para a Família, apresento as nossas (da minha Família) condolências. Obrigado pela Amizade que pude usufruir. Que DEUS te guarde e te proteja, no melhor lugar no Céu”.

José Leirós (antigo árbitro): “Morreu o Vítor! Um amigo. Um Matosinhense de alma e coração, que amava a sua terra e cultivava as amizades. Uma boa pessoa. Convivi com ele no relvado como Árbitro e em Matosinhos e por aí fora sempre que o encontrava. As suas qualidades como treinador – o seu currículum e profissionalismo fala por si, mas recordo a última subida do Leixões à I Divisão [em] que tudo fez; o possível e o impossível. Faleceu no dia em que o Leixões nasceu. Como Homem fantástico, de personalidade forte, todos os que o conheceram sabem como era; dizia o que pensava, direto, frontal, com caráter, exigente, verdadeiro, leal, bem disposto, educado, com enorme humor, honesto e sem ‘rodriguinhos’, Amigo do seu Amigo. Um exemplar e bom Cidadão que gostava dos Amigos e adorava a Família”.

Santa Clara (clube da I Liga): “Obrigado, Vítor. Parte um dos maiores do futebol português. Figura incontornável, homem bom, mítico treinador com um legado incomparável. Hoje ficamos mais pobres”.

Académico de Viseu (clube da II Liga): “O futebol português está de luto! O Académico de Viseu FC e a SAD vêm por este meio manifestar publicamente o profundo pesar pela morte do Vitor Oliveira. À família enlutada e aos amigos endereçamos as nossas sentidas condolências”.

Vizela (clube da II Liga): “O futebol português ficou certamente mais pobre com a partida do Mister Vítor Oliveira. O Futebol Clube de Vizela endereça as mais sentidas condolências à família e amigos. Descanse em paz, Mister!”.

José Peseiro (selecionador da Venezuela): “Campeão, foste e serás uma referência da nossa profissão e principalmente como ser humano. Que saudades vamos ter tuas. Ficarás na história! Descansa em Paz”.

Tondela (clube da I Liga): “O Clube Desportivo de Tondela vem por este meio manifestar o seu pesar pelo falecimento de Vítor Oliveira. Se havia uma figura consensual no futebol português, era Vítor Oliveira. O treinador conhecido como o ‘Reis das Subidas’, partiu hoje aos 67 anos deixando o nosso Mundo ainda mais pobre”.

Oliveirense (clube da II Liga): “A União Desportiva Oliveirense manifesta o seu profundo pesar pela morte do treinador Vitor Oliveira. Uma personalidade única no futebol português. Será eternamente lembrado”.

Octávio Machado (treinador de futebol): “Homem bom simples, discreto deixa um rasto de simpatia, amizade e respeito em todos aqueles que cruzaram com ELE. Como profissional de FUTEBOL, principalmente como TREINADOR, dono de um currículo que o coloca entre as referências do Futebol Nacional. Soube construir uma carreira onde a competência e uma postura de respeito por todos sem deixar de ser ELE próprio, prestigiou a classe dos treinadores. OBRIGADA ‘VITINHO’.”

Nuno Gomes (antigo futebolista): “Um senhor! Descanse em paz Mister Vítor Oliveira!”.

Estrela da Amadora (clube de futebol): “Uma semana triste para o futebol, o mundo despede-se hoje de mais um campeão. O homem, o treinador, a verticalidade, o amigo. Não merece que o futebol deixe morrer o Rei das subidas, e o futebol não deixará. Até sempre, Mister”.

Sporting da Covilhã (clube da II Liga): “O desporto volta a ficar de luto! O Sporting Clube da Covilhã endereça a família e amigos do Mister Vitor Oliveira as mais sentidas Condolências. Descanse em paz Mister”.

Hermínio Loureiro (antigo presidente da Liga de clubes e ex-secretário de estado do Desporto): “Não quero acreditar … O José Mendes do Covilhã ligou-me a dar esta triste notícia, e eu disse que não acreditava. Um SENHOR, um amigo, um grande profissional. Gostava tanta de conversar com ele sobre futebol. A vida é uma passagem por vezes curta de mais. Ouvi atentamente os seus comentários na TVI no Paredes-Benfica, e como sempre assertivo. Os meus sentidos pêsames para toda a família e amigos. Estamos claramente mais pobres… Muito triste”.

Nuno Santos (futebolista do Sporting): “Vai deixar saudades míster. Os meus sentimentos a toda a família”.

Pepa (treinador do Paços de Ferreira): Por favor…….. Não não não. Não conheci melhor no mundo do futebol!!!!! Descansa em paz meu querido Vitor!!!!!!!”.

Rafael Barbosa (futebolista do Tondela): “Que notícia triste, que ano este. Consigo voltei a ganhar a alegria que tinha perdido em jogar futebol, consigo consegui ser campeão nacional, consigo percebi coisas no jogo que nunca tinha sequer pensado e nunca me vou esquecer das suas últimas palavras para mim. Que perda para o futebol português, sem palavras. Descanse em paz mister”.

Fábio Martins (futebolista do Al-Shabab): “Parte mais um grande Homem. Que descanse em paz”.

Ricardo Rocha (antigo futebolista): “Que termine rapidamente este ano! Descanse em paz Mister Vítor Oliveira”.

Vilafranquense (clube da II Liga): “Todas as palavras de apreço serão poucas… Um SENHOR do Futebol Português!”.

Boavista (clube da I Liga): “O Boavista FC lamenta profundamente o falecimento de Vítor Oliveira, treinador com um percurso de mais de 30 anos e muitos sucessos no futebol português. À família enlutada e amigos, o Boavista FC endereça as mais sentidas condolências”.

Jorge Paixão (treinador de futebol): “O Futebol fica mais pobre com a partida de Vítor Oliveira. Perde se para além de um treinador com enorme capacidade e um homem sério e frontal qualidades que vão escasseando nos dias de hoje no nosso futebol. Até sempre Vítor”.

José Viterbo (antigo treinador da Académica): “Meu Deus!!! Como se perde um Amigo! Um fiel Amigo. Um frontal Amigo! Um Amigo sério! Um solidário Amigo! Um Pai e Esposo fantástico! Um Homem dos pés à cabeça! Fica em paz VITOR!”.

 

Populares