Seguir o O MINHO

Póvoa de Lanhoso

Morreu na Noite de Natal

Em Póvoa de Lanhoso.

em

Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

Um septuagenário morreu enquanto dormia, na Noite de Natal, na sua residência, situada na localidade de Campo, do concelho da Póvoa de Lanhoso.

Constantino Alves, de 71 anos, casado, era muito estimado no meio rural onde vivia, tudo indicando que terá sido vitimado por uma paragem cardiorrespiratória.

Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

Elementos dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso compareceram de imediato na residência do septuagenário, assim como o médico Pedro Silva e o enfermeiro Miguel Gonçalves, ambos da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Grupo do INEM baseado no Hospital de Braga.

O cadáver foi logo transportado para o Gabinete Médico-Legal do Cávado, em Braga, onde será esta quarta-feira autopsiado, tendo aquela ocorrência sido registada pelo Posto Territorial da GNR da Póvoa de Lanhoso

Anúncio

Braga

Este santuário rupestre na Póvoa de Lanhoso já é sítio de interesse público

Santuário Rupestre de Garfe

em

Foto: DR / Arquivo

O Santuário Rupestre de Garfe, no lugar da Pena, na Póvoa de Lanhoso, foi classificado como “sítio de interesse público” devido ao seu “testemunho simbólico ou religioso” e ao “valor estético técnico”.

Segundo a portaria de classificação publicada hoje em Diário da República, aquele santuário, situado na margem esquerda do rio Ave, tem uma tipologia que “cedo permitiu associá-lo a outros espaços sagrados conhecidos, localizados em geral em afloramentos rochosos e dedicados a divindades indígenas, de que o Santuário de Panóias, na União das Freguesias de Constantim e Vale de Nogueiras, do concelho de Vila Real, é o mais conhecido testemunho”.

A portaria, datada de 5 de março e assinada pela secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Ângela Carvalho Ferreira, destaca o “caráter matricial do bem”, o seu interesse como “testemunho simbólico ou religioso (…), como testemunho notável de vivências ou factos históricos”, bem como o seu valor estético, técnico e material intrínseco, a sua conceção arquitetónica e paisagística, a sua extensão e ao que nela se reflete do ponto de vista da memória coletiva”.

A “sua importância do ponto de vista da investigação histórica ou científica” é também referida.

O Santuário Rupestre de Garfe é descrito como estando “implantado num afloramento granítico de forma circular, sendo constituído por três tanques escavados no topo da rocha. O maior deles em forma de ‘T’ e os dois restantes retangulares, um dos quais dispondo-se paralelamente ao primeiro e o segundo perpendicular a ambos”.

Com aquela classificação, “toda a área classificada é considerada área de sensibilidade arqueológica (ASA)”, na qual “devem ser realizadas sondagens arqueológicas prévias e acompanhamento arqueológico sempre que esteja prevista qualquer ação que implique o revolvimento do solo”.

Continuar a ler

Braga

Centenária da Póvoa de Lanhoso soprou 101 velas

Augusta Faria nasceu a 10 de fevereiro de 1919

em

Foto: Divulgação / SCMPL

Augusta Anjos Faria, utente da Estrutura Residencial Para Idosos (ERPI) da Santa Casa da Misericórdia de Póvoa do Lanhoso, comemorou hoje o 101.º aniversário.

“Nesta comemoração realizou-se um almoço, onde a aniversariante muito bem disposta e atenta a tudo o que se passava à sua volta, que juntou no refeitório dezenas de pessoas, num convívio cheia de alegria e boa disposição pelo facto de ter alcançado os 101 anos de vida”, conta a Misericórdia numa nota enviada a O MINHO.

Foto: Divulgação / SCMPL

Após o almoço, utentes, dirigentes e funcionários da instituição cantaram os parabéns e brindaram à saúde da aniversariante.

Augusta dos Anjos Faria nasceu no dia 10 de fevereiro de 1919, na freguesia de Verim, no concelho de Póvoa de Lanhoso.

Sendo a mais velha de três irmãs, desde pequena ajudava os pais nos campos e frequentava a igreja, tendo feito parte do movimento Católico – Jocista.

Mais tarde, serviu a família Matos das Casas Novas de Verim, ora em Grândola, no Alentejo, ora em Verim.

Foto: Divulgação / SCMPL

“Não casou, não teve filhos, mas levou uma vida de dedicação ao próximo. Ajudou as irmãs, os sobrinhos e os primos. Uma pessoa querida por toda a família e pela comunidade”, conta a mesma fonte.

Ingressou no Lar de São José em 02 de Março de 2005, por vontade própria, “por considerar que a agilidade se vai perdendo, mas mesmo assim disposta a colaborar no que fosse preciso”.

Continuar a ler

Braga

Em Garfe, na Póvoa de Lanhoso, em cada lugar há um presépio

Exposição de coleção particular, com 2.577 presépios, é outra atração. Selecionador nacional de futebol, Fernando Santos, será um dos visitantes da 18.ª edição

em

Foto: Divulgação / CM Póvoa de Lanhoso (2017)

“Quadros alusivos à história da região e da vida campestre, em comunhão com o espírito festivo”. As gentes de Garfe, no concelho de Póvoa de Lanhoso, voltam, este ano, a apresentar cerca de duas dezenas de presépios, espalhados pelos vários lugares da aldeia e elaborados pelos respetivos moradores.

No calendário da iniciativa, que vai na sua 18.ª edição, é também destaque a exposição com os 2.577 presépios da coleção particular do padre Luís Fernandes Peixoto, cuja abertura está marcada para o próximo domingo, 15 de dezembro.

Nesse mesmo dia, o programa de “Garfe, Aldeia dos Presépios”, que inclui a celebração de eucaristias junto de alguns dos presépios, irá receber a visita do selecionador nacional de futebol. Fernando Santos irá marcar presença na missa.

Nos domingos seguintes, destaque para A tarde de Fado, com Ana Gomes e João Pedro Aves (22 de dezembro), a atuação da Tuna Académica Estudantina de Braga (29 de dezembro) e o Encontro de Reis (05 de janeiro), que terão lugar na Igreja Paroquial de Garfe.

“Garfe, Aldeias dos Presépios” está integrada no programa “Póvoa de Natal 2019”, apresentado na semana passada, que inclui, ainda, a “Aldeia de Natal”, no Diverlanhoso, entre outras iniciativas.

Continuar a ler

Populares