Seguir o O MINHO

Futebol

Moreirense vence no terreno do Fabril e segue em frente na Taça

Equipa avançou à quarta eliminatória

em

Foto: Divulgação

O Moreirense ‘carimbou’ hoje a passagem à quarta eliminatória da Taça de Portugal de futebol, ao vencer no terreno do Fabril por 3-1, num encontro em que terminou reduzido a dez unidades.


Um ‘bis’ de Pedro Nuno (24 e 68 minutos) e um golo de Fábio Abreu (79) evitaram males maiores para os ‘cónegos’, que viram Juliano Silva reduzir (84) numa ponta final em que o Fabril, do Campeonato de Portugal, acabou por infligir alguns sustos à equipa da I Liga.

A equipa do Barreiro (Setúbal), entrou destemida e passou os primeiros dez minutos a rondar a baliza do Moreirense, pertencendo-lhe mesmo o primeiro remate, num cabeceamento de João Rocha que Pedro Trigueira não teve dificuldades para agarrar.

Os ‘cónegos’ reagiram e, praticamente na primeira oportunidade flagrante, chegaram à vantagem, quando Pedro Nuno (24), na zona da marca de grande penalidade, deu o melhor destino a um cruzamento atrasado de Bilel no lado esquerdo do ataque.

O próprio Bilel esteve à beira de aumentar a vantagem dos visitantes ainda antes do intervalo, mas João Marreiros opôs-se com segurança ao remate do avançado franco-argelino.

Na segunda parte, os ferros da baliza de Marreiros foram adiando o que parecia inevitável: Pedro Nuno acertou na trave (48) e Fábio Abreu no poste (67), antes de Pedro Nuno bisar (68), ao corresponder da melhor forma a um cruzamento de Filipe Soares.

Foi então que Abdu Conté viu vermelho direto, aos 74 minutos, e Bruninho acertou na trave na sequência do livre, ficando no ar a dúvida se a bola transpôs a linha de golo.

Nesta fase o Fabril arriscava tudo e, num contra-ataque rápido, Fábio Abreu, isolado por Ibrahima Camará, sentenciou as aspirações do conjunto do Lavradio, que ainda obteve um merecido golo de honra num livre direto exemplarmente cobrado por Juliano Silva.

Jogo no Estádio Alfredo da Silva, no Lavradio (Barreiro).

Fabril – Moreirense, 1-3.

Ao intervalo: 0-1.

Marcadores:

0-1, Pedro Nuno, 24 minutos.

0-2, Pedro Nuno, 68.

0-3, Fábio Abreu, 79.

1-3, Juliano Silva, 84.

Equipas:

– Fabril: João Marreiros, Edi Tavares, Juliano Silva, João Rocha, Tiago Matos, França, Celestino Soares, Edson Castro (Márcio Dieb, 46), Leandro Cabral (Pedro Pereira, 67), Valter Dias (Tomás Alves, 90) e Bruninho.

(Suplentes: Rafael Vicente, Hugo Graça, Pedro Pereira, Ivan Reis, Márcio Dieb, João Salas e Tomás Alves).

Treinador: Filipe Romão.

– Moreirense: Pedro Trigueira, D’Alberto, Iago Santos, Halliche, Abdu Conte, Sori Mané, Filipe Soares, Pedro Nuno (Ibrahima Camará, 70’), Bilel (Luter Singh, 46), Patito Rodríguez (Luís Machado, 64) e Fábio Abreu.

(Suplentes: Nuno Pereira, Lazar Rosic, Anderson, Ibrahima Camará, Luter Singh, Luís Machado e Luís Santos).

Treinador: Vítor Campelos.

Árbitro: Nuno Almeida (AF Algarve).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Edson Castro (30), Patito Rodríguez (61), Juliano Silva (76), Iago Santos (84) e Luter Singh (88). Cartão vermelho para Abdu Conté (74).

Assistência: cerca de 500 espetadores.

Anúncio

Futebol

Ronaldo fecha 2019/20 com 48 golos e muitas frustrações coletivas

Futebol

em

Cristiano Ronaldo. Foto: DR / Arquivo

O futebolista português Cristiano Ronaldo fechou a época 2019/20, a sua segunda na Juventus, com 48 golos, mais 17 do que na primeira, mas acumulou frustrações coletivas, ‘escapando-se’ apenas o ‘obrigatório’ título italiano.

A nova vitória consecutiva na ‘Serie A’ foi a única alegria da época para o conjunto de Turim, que perdeu a final da Taça de Itália e a Supertaça e, pior, falhou claramente o grande objetivo, ao ‘tombar’ nos oitavos de final da Liga dos Campeões.

Contratado por 100 milhões de euros ao Real Madrid em 2018, o português era visto como a ‘arma’ ideal para vencer a ‘Champions’, que escapa à ‘Juve’ desde 1996, mas, dois anos depois, esse objetivo continua por concretizar.

A Juventus nem sequer conseguiu chegar, esta época, à inédita ‘final a 8’ de Lisboa, eliminada por um Lyon que parecia claramente ao seu alcance, um pouco à imagem do que aconteceu nos quartos de final de 2018/19, então perante o Ajax.

Curiosamente, desta vez, como há um ano, Ronaldo marcou os dois golos da Juventus na eliminatória, mas os seus esforços individuais revelaram-se insuficientes (1-1 fora e 1-2 em casa com os holandeses e 0-1 fora e 2-1 em casa com os franceses).

Na presente edição da Liga dos Campeões, o internacional luso, agora com 35 anos, nem teve uma época muito concretizadora, com apenas quatro tentos, em oito jogos – para um ‘gigante’ total de 131, em 174, que fazem dele o ‘rei’ histórico da prova.

Cristiano Ronaldo destacou-se mais na ‘Serie A’, ao chegar aos 31 golos – 21 em 2018/19 -, embora ‘empurrado’ por 12 grandes penalidades, num total de 17 em toda a época (mais três na seleção, uma na ‘Champions’ e outra na Taça de Itália).

Os seus tentos foram determinantes para o título da ‘velha senhora’, mas o português não foi, ainda assim, eleito o melhor jogador do campeonato transalpino, sendo batido pelo argentino Paulo Dybala, seu companheiro de equipa na ‘Juve’.

Em matéria de golos, Ronaldo também não conseguiu a ‘coroa’ de melhor goleador, que já havia conseguido em Inglaterra e Espanha, pois os seus 31 golos não chegaram para os 36 de Ciro Immobile, jogador da Lazio.

O português ainda chegou a igualar o internacional transalpino depois da paragem devido à pandemia da covid-19, mas o jogador ‘laziale’ respondeu nas últimas jornadas, ultrapassando mesmo o polaco Robert Lewandowski (34 pelo Bayern Munique), o que lhe valeu a conquista da ‘Bota de Ouro’.

Nas outras provas internas, a Juventus falhou os títulos, nomeadamente a Taça de Itália, perdida nos penáltis para o Nápoles (2-4, após 0-0 nos 90 minutos), na final, e a Supertaça, com um desaire face à Lazio por 3-1.

Em duas épocas com Cristiano Ronaldo, a formação de Turim somou, assim, três títulos, nomeadamente dois campeonatos e uma Supertaça, depois de duas ‘dobradinhas’ – quatro troféus – nos dois anos anteriores (2016/17 e 2017/18).

Pela Juventus, o português totalizou 37 golos em 46 encontros em 2019/20 – para um total, nas duas épocas, de 65 tentos, em 89 jogos -, aos quais acrescentou 11 em apenas seis jogos pela principal seleção portuguesa de futebol.

Ronaldo marcou um golo na Servia (4-2), quatro na Lituânia (5-1), um ao Luxemburgo (3-0), outro na Ucrânia (1-2), três na receção aos lituanos (6-0) e um mais no Luxemburgo (2-0), não falhando, assim, em nenhum dos seis jogos, todos em 2019.

A época 2019/20 também ficou marcada pelo milésimo jogo da careira e o golo 700 – em ambos os casos com várias versões, conforme as contagens -, sendo que, por Portugal, ‘estacionou’ nos 99, em 164 jogos. Falta um para novo número histórico.

Continuar a ler

Futebol

Benfica regressa ao trabalho com Jorge Jesus, Pedrinho e Gilberto

Futebol

em

Foto: Twitter / Benfica

O Benfica arranca hoje para a época futebolística 2020/21, com exames médicos, apenas uma semana depois de fechar 2019/20, num dia em que serão novidades o treinador Jorge Jesus e os jogadores Pedrinho e Gilberto.

O técnico, de 66 anos, está de regresso à Luz cinco anos depois de ter saído, de forma polémica, para o Sporting, enquanto os dois reforços brasileiros chegaram na sexta-feira a Portugal e deverão hoje marcar presença no arranque da nova temporada.

Os ‘encarnados’ cumprem hoje apenas exames médicos, seguindo-se, no domingo, os testes físicos. O primeiro treino da época 2020/21 está marcado para segunda-feira.

Além de Pedrinho (ex-Corinthians) e Gilberto (ex-Fluminense), estará para breve a contratação de outro brasileiro, o extremo internacional ‘canarinho’ Everton ‘Cebolinha’, proveniente do Grêmio de Porto Alegre.

Em relação ao plantel, são múltiplas as dúvidas, em matéria de entradas e saídas, sendo que o grande objetivo dos ‘encarnados’ será o avançado uruguaio Edinson Cavani, que atuava no Paris Saint-Germain e contabiliza 403 golos na carreira, em 702 jogos.

De resto, são muitos outros os nomes falados para reforçar o plantel, como Rúben Semedo (Olympiacos), Robin Koch e Waldschmidt (Friburgo), Cabrera (Espanyol), Gerson e Bruno Henrique (Flamengo) ou os ex-jogadores Garay (Valência) e Di Maria (PSG).

De regresso, após empréstimos, também podem chegar Lema, Fejsa, Alfa Semedo, Krovinovic, Ferreyra, Cádiz, Diogo Gonçalves ou Nuno Santos, desconhecendo-se quais os que ficarão.

Para já, também não há confirmação de saídas, sendo que o núcleo duro deve continuar, de Vlachodimos a Vinícius, melhor marcador da edição 2019/20 da I Liga, passando por André Almeida, Rúben Dias, Grimaldo, Gabriel, Weigl, Pizzi ou Rafa.

Quanto a Jorge Jesus, que veio para “unir a nação benfiquista”, já deu o mote na apresentação de segunda-feira, prometendo uma “grande equipa”, a jogar o “triplo” do passado, de forma não só a “ganhar” como a “arrasar”.

Na primeira passagem pelo Benfica, de seis anos, entre 2009/10 e 2014/15, Jesus conquistou 10 troféus, nomeadamente, três campeonatos, uma Taça de Portugal, uma Supertaça e cinco edições da Taça da Liga, com 225 vitórias, 51 empates e 45 derrotas (674-249 em golos), em 321 jogos oficiais.

O 322.º embate realiza-se em 15 ou 16 de setembro, na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões, que é disputada num só jogo e tem sorteio marcado para 31 de agosto. Se seguir em frente, o Benfica joga o ‘play-off’, em 22 ou 23 e 29 ou 30.

Continuar a ler

Futebol

Vitória assegura Dénis Poha a título definitivo até 2024

Futebol

em

Foto: Divulgação / Vitória SC

O Vitória SC assegurou a transferência de Dénis Poha aos franceses do Rennes por 300 mil euros e assinou contrato com o médio até junho de 2024, informou hoje o clube da I Liga portuguesa de futebol.

O francês, de 23 anos, realizou 32 jogos oficiais pela turma de Guimarães na época 2019/20, ao abrigo de um empréstimo pelo clube da Bretanha, e a SAD vitoriana, presidida por Miguel Pinto Lisboa, avançou para a contratação do atleta a título definitivo.

Além de ter garantido os “direitos económicos e desportivos do atleta por 300 mil euros”, o Vitória pode ainda ter de pagar outros 300 mil euros ao clube francês, onde Poha foi formado, consoante a concretização de “objetivos relacionados com o apuramento para as competições europeias”, informa a nota publicada no sítio oficial dos minhotos.

Apurado para a próxima edição da Liga dos Campeões após o terceiro lugar alcançado na I Liga francesa, o Rennes tem ainda direito a “receber 25% das mais-valias realizadas pelo Vitória numa futura transferência”, refere ainda o comunicado dos minhotos.

Poha estava vinculado ao Rennes desde 2011 e jogou ainda, por empréstimo, em dois clubes da II Liga francesa: US Orleães, na época 2017/18, e Nancy, na segunda metade da época 2018/19.

Internacional pelas seleções jovens gaulesas, o futebolista sagrou-se campeão europeu de sub-19 em 2016, tendo sido titular nos cinco jogos desse torneio, e disputou ainda quatro partidas no Mundial sub-20 de 2017, no qual a França atingiu os oitavos de final.

Continuar a ler

Populares