Seguir o O MINHO

Futebol

Moreirense empata a zero na Madeira no arranque da oitava jornada da I Liga

I Liga

em

Marítimo e Moreirense empataram hoje no jogo inaugural da ronda oito da I Liga de futebol, num jogo sem golos, marcado pela falta de inspiração madeirense e eficácia dos minhotos.

Em relação à ronda anterior, na que saiu derrotado pela margem mínima em Alvalade com um golo de grande penalidade no tempo de compensação, o Marítimo realizou duas alterações, com o guarda-redes Miguel Silva a render o castigado Paulo Victor e, Guitane a estrear-se a titular esta época, para saída de Jorge Sáenz, com Júlio Velázquez a abandonar o sistema de três centrais.

O Moreirense realizou apenas uma ‘mexida’ em relação à vitória diante do Arouca, por 2-1 (a primeira na competição), deixando no banco Rafael Martins, que saiu queixoso no último encontro, colocando em campo Filipe Soares.

Os ‘leões’ da Madeira estão na 11.ª posição com sete pontos, enquanto o Moreirense, com a mesma pontuação, está um lugar abaixo, à condição.

O conjunto de Moreira de Cónegos mostrou mais vitalidade ao longo de todo o jogo, obrigando os insulares a recuar as linhas, mas sem mostrar grande critério no último terço.

A primeira situação de perigo surgiu ao minuto 17, com Felipe Pires a tentar surpreender Miguel Silva com um remate de fora de área, para defesa segura do guardião ‘verde rubro’, que voltou a ‘brilhar’ aos 25, ao conter o cabeceamento de Steven Vitória com uma palmada, em cima da linha de golo.

Os minhotos continuaram a fazer-se valer do bloco baixo do adversário e por pouco não desfizeram o nó do equilíbrio, com Paulinho a servir Walterson, que, à queima-roupa, viu o guarda-redes maritimista, novamente, a segurar o ‘nulo’.

Ainda antes de rumar aos balneários, os ‘leões do Almirante Reis’ protestaram por grande penalidade por alegada mão na bola de Lazar Rosic, mas o árbitro Hugo Silva assim não entendeu e nada assinalou.

A etapa complementar seguiu a papel químico da primeira, com Felipe Pires a pressionar a defesa ‘verde rubra’. Aos 48, esbarrou no ‘escudo’ Miguel Silva, que corrigiu uma falha grave da equipa, que permitiu por uma distração que o camisola 10 surgisse na cara do golo.

Com o mesmo protagonista, o Moreirense continuou a pressionar alto e viu um remate acertar com estrondo na barra e um golo anulado por posição irregular.

O Marítimo que jogou em ‘casa’ emprestada pelo eterno rival Nacional, devido à interdição do Estádio dos Barreiros à conta das precárias condições do relvado, ofereceu uma prestação desprovida de inspiração fazendo-se valer do guarda-redes para evitar males maiores.

Em cima dos 90, Hugo Silva apitou para grande penalidade a favor do Moreirense, mas, alertado pelo videoárbitro, consultou as imagens e recuou na decisão, por Abdul Conté ter feito falta sobre Alipour primeiro.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio da Madeira, no Funchal.

Marítimo – Moreirense, 0-0.

 Equipas:

 – Marítimo: Miguel Silva, Cláudio Winck, Zainadine, Leo Andrade, China (Vítor Costa, 62), Pelágio (Rodrigo Andrade, 90+4), Guitane (Alipour, 62), Rossi, Xadas (Edgar Costa, 75), Ricardinho (Henrique, 75) e Vidigal.

(Suplentes: Pedro Teixeira, Alipour, Edgar Costa, Jorge Sáenz, Rúben Macedo, Clésio, Rodrigo Andrade, Henrique e Vítor Costa).

 Treinador: Júlio Velásquez.

 – Moreirense: Kewin Silva, Paulinho, Lazar Rosic, Steven Vitória, Abdu Conté, Fábio Pacheco (Sori Mané, 88), Ibrahima Camará, Filipe Soares (Jambor, 82), Walterson (Yan, 71), André Luís (Rafael Martins, 70) e Felipe Pires (Derik Lacerda, 88).

 (Suplentes: Miguel Oliveira, Rodrigo Conceição, Artur Jorge, Yan, Sori Mané, Pedro Amador, Jambor, Derik Lacerda e Rafael Martins).

 Treinador: João Henriques.

Árbitro: Hugo Silva (AF Santarém)

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Walterson (34), Ibrahima (36), Pelágio (38), Steven Vitória (52), Rossi (69), Leo Andrade (72), Vidigal (87) e Cláudio Winck (89).

Assistência: Cerca de 1.500 espetadores.

Populares