Seguir o O MINHO

Braga

Juiz-desembargador de Braga eleito presidente da maior união internacional de juízes

José Igreja de Matos

em

Foto: Nações Unidas / Divulgação

O novo presidente da União Internacional de Juízes, a maior organização de magistrados a nível mundial, é o desembargador Igreja de Matos, residente em Braga, em cujo Tribunal Criminal desempenhou funções, assim como noutras comarcas da região do Minho.

José Manuel Igreja Martins de Matos, de 56 anos, nasceu no Brasil mas reside há várias décadas em Braga, tendo exercido no Tribunal do Trabalho, depois de ter sido juiz titular do Círculo Judicial de Barcelos durante seis anos e anteriormente juiz do 3.º Juízo Criminal de Braga.

Passou pelas comarcas de Barcelos, Esposende e Vila Verde e atualmente exerce como juiz-desembargador no Tribunal da Relação do Porto. Licenciado em Coimbra, realizou mestrado na Universidade do Minho.

Na reunião do Conselho Central da União Internacional de Juízes, que se realizou virtualmente, José Igreja Matos transitou do cargo de vice-presidente, que ocupava, para se tornar o primeiro português a presidir à maior organização internacional de juízes.

“É com enorme honra que fui eleito presidente da União Internacional de Juízes. Queria dedicar a minha eleição às mulheres juízas do Afeganistão. Verificando, com horror, os ataques às nossas colegas, o resto, tudo o resto, deixa de ter importância”, escreveu hoje Igreja Matos na sua conta da rede social Twitter.

Na sua mensagem à organização, Igreja Matos disse que “o Estado de Direito está agora mais ameaçado do que nunca em várias regiões do globo”, prometendo que a União Internacional de Juízes “continuará na linha de frente desta batalha para defender um judiciário independente”.

O juiz desembargador português prometeu ainda dar atenção particular à “cooperação internacional, integridade judicial, diversidade e género”, apostando em levar a organização a regiões do planeta onde ainda está ausente.

A União Internacional dos Juízes foi fundada na Áustria, em 1953, com o objetivo de promover os valores do Estado de Direito e da independência do poder judicial e é formada por associações judiciais de 94 países dos cinco continentes.

O desembargador José Igreja Matos é juiz desde 1990, e foi promovido ao Tribunal da Relação do Porto em 2012.

Igreja Matos foi nomeado representante da Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP) na União Internacional de Juízes, em 2011, tendo presidido ao grupo regional da Associação Europeia de juízes, entre 2016 e 2021.

Populares