Seguir o O MINHO

Aqui Perto

Montalegre recua um mês no desconfinamento

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Montalegre

Os concelhos de Montalegre e de Odemira recuam esta semana para a terceira fase de desconfinamento, aplicada em 19 de abril, onde se juntam a Arganil e Lamego, anunciou hoje o Governo.

Na habitual conferência de imprensa após a reunião do Conselho de Ministros, realizada em Lisboa, a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, explicou que, relativamente a Odemira, é todo o concelho que recua, já que até agora apenas a freguesia de São Teotónio estava na terceira fase de desconfinamento, no âmbito do combate à pandemia de covid-19.

O que não é permitido

Não são assim permitidas atividades recreativas, de lazer e diversão, como Discotecas, bares e salões de dança ou de festa; Circos; Parques de diversões e parques recreativos e similares para crianças; Parques aquáticos, sem prejuízo do acesso dos trabalhadores para efeitos de cuidado dos animais; Quaisquer locais destinados a práticas desportivas de lazer, exceto os ginásios

Não são permitidas atividades culturais e artísticas: Praças, locais e instalações tauromáquicas.

Não é permitida a abertura de instalações desportivas como Campos de rugby e similares; Pavilhões ou recintos fechados; Ringues de boxe, artes marciais e similares; Pavilhões polidesportivos; Estádios.

Estão proibidas as atividades em espaços abertos, espaços e vias públicas, ou espaços e vias privadas equiparadas a vias públicas: Provas e exibições náuticas; Provas e exibições aeronáuticas; Desfiles e festas populares ou manifestações folclóricas ou outras de qualquer natureza.

Fechados os espaços de jogos e apostas: Casinos; Estabelecimentos de jogos de fortuna ou azar, como bingos ou similares; Equipamentos de diversão e similares; Salões de jogos e salões recreativos.

Proibida a abertura de termas e spas ou estabelecimentos afins.

O que é permitido

Permitidas as aulas presenciais, Todas as lojas e centros comerciais; Cinemas, teatros, auditórios e salas de espetáculos Restaurantes, cafés e pastelarias, mas com um máximo de quatro pessoas por mesa no interior do estabelecimento Esplanadas: lotação máxima passa para as seis pessoas; Horário de encerramento às 22:00 durante a semana e às 13:00 ao fim de semana; Lojas de cidadão podem voltar ao atendimento presencial por marcação; Eventos exteriores com diminuição de lotação (cinco pessoas por 100 metro quadrado) Modalidades desportivas de médio risco; Atividade física ao ar livre até seis pessoas; Casamentos e batizados com 25% de lotação.

Impacto no turismo

O recuo de Montalegre para a terceira fase de desconfinamento, aplicada em 19 de abril, vai afetar sobretudo o turismo e a restauração do concelho, disse hoje à Lusa o vice-presidente daquela autarquia.

“Com o bom tempo tínhamos já conhecimento de muitas reservas para este fim de semana, na hotelaria e restauração. Os impactos negativos no turismo é a nossa principal preocupação com esta decisão”, realçou o vice-presidente da Câmara de Montalegre, no distrito de Vila Real, David Teixeira.

Os concelhos de Montalegre e de Odemira recuam esta semana para a terceira fase de desconfinamento, aplicada em 19 de abril, onde se juntam a Arganil e Lamego, anunciou hoje a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, na habitual conferência de imprensa após a reunião do Conselho de Ministros.

Entre as regras aplicadas estão o máximo de quatro pessoas por mesa no interior e seis na esplanada nos restaurantes, cafés e pastelarias, que têm de encerrar até às 22:30 nos dias de semana e até às 13:00 ao fim de semana e feriados.

David Teixeira recordou que a autarquia transmontana já tinha antecipado, em 12 de maio, a adoção de algumas medidas para conter a propagação da covid-19 após o surgimento de novos casos no concelho, como a suspensão das feiras, o encerramento do ginásio e do pavilhão desportivo.

O autarca responsável também pela Proteção Civil destacou ainda que “todas as cadeias de contágio estão detetadas” e que os casos positivos mais recentes são de “pessoas que já estavam em confinamento”.

“Causa alguma injustiça no processo, porque alguns dos casos nem sequer residem cá, mas têm aqui o seu médico de família e realizaram cá o teste”, acrescentou.

O vice-presidente acredita que na próxima revisão do Governo sobre as regras de desconfinamento o concelho possa voltar a avançar, explicando que muitos dos casos serão dados como curados.

Segundo os mais recentes dados da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N), o concelho de Montalegre registava na semana entre 11 e 17 de maio 18 novos casos de covid-19 e uma incidência de 200,1 casos por cem mil habitantes, sendo que a incidência nos últimos 14 dias era de 389 casos por cem mil habitantes.

Na conferência de hoje, o Governo realçou também que 10 concelhos estão em estado de alerta, cinco dos quais já o estavam na semana passada e outros cinco “entram de novo nesta lista”.

Estão em estado de alerta os concelhos de Albufeira, Castelo de Paiva, Fafe, Golegã, Lagoa, Oliveira do Hospital, Santa Comba Dão, Tavira, Vila do Bispo e Vila Nova de Paiva.

Com exceção dos quatro concelhos que estão agora na terceira fase de desconfinamento, os restantes 274 municípios do continente, incluindo os que estão em alerta, mantém-se na quarta fase do desconfinamento, aplicada em 01 de maio, embora o facto de o fator ‘r’ ter subido acima de ‘um’ “ser um sinal de alerta”, disse a governante.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.419.488 mortos no mundo, resultantes de mais de 164,8 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 17.014 pessoas dos 843.729 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Populares