Redes Sociais

Cávado

Monovolume “cai” em cima de carro e faz três menores feridos em Esposende

a

Monovolume capotou e só parou em cima de um carro

Uma brutal colisão entre um viatura ligeira e um monovolume fez cinco vítimas, entre as quais três menores, esta manhã de domingo no concelho de Esposende. Uma das viaturas envolvidas, e alegadamente depois de ter sofrido a colisão de um carro que não terá obedecido a um sinal de Stop , capotou e só parou “em cima” de um carro que estava estacionado na avenida dos Banhos, Marinhas.

O alerta foi dado pouco depois das 10:30 horas e para o “sítio do costume”. Duas viaturas, com um total de cinco menores como ocupantes, colidiram no cruzamento entre a avenida dos Banhos e a rua da Redonda.

“Uma seguia no sentido Marinhas / Cepães na rua da Redonda e outra circula na avenida dos Banhos no sentido Praia / Estrada Nacional. Um choque enorme”, contavam várias pessoas no local.

O choque foi de tal ordem, que a carrinha monovolume, rodopiou e, já capotada, deslizou 60 metros, ficou em cima de um Mercedes que estava estacionado.

“Foi um pânico muito grande pois só se ouvia crianças aos berros em ambos os carros. Temi o pior”, disse Fernando Silva, que na altura do acidente, passava no local.

Os Bombeiros Voluntários de Esposende, com três ambulâncias, a Cruz Vermelha Portuguesa do núcleo das Marinhas (1) e a ambulância de Suporte Imediato de Vida (SIV) de Vila do Conde/Póvoa de Varzim socorreram as vítimas.

Três menores (2, 6 e 11 anos) e os pais destes necessitaram mesmo de tratamento hospitalar, sendo que, e segundo o comandante das operações de socorro, foram encaminhadas para o Hospital de Braga.

São ferimentos ligeiros. Alguns, e por serem menores, é mesmo por precaução que vai ao hospital”, indicou fonte dos bombeiros, justificando desta forma a presença da SIV no local.

Alguma tensão foi gerada no local por duas razões. Familiares das vítimas que não acreditavam apenas em ferimentos ligeiros face à consequência final do sinistro rodoviário e à “exigência” de uma solução para o cruzamento.

“Qualquer coisa. Seja semáforos ou lombas. Qualquer coisas que obrigue os carros que entram nestas vias a parar no cruzamento. Têm sido muitos os acidentes aqui”, frisou João Mesquita, que ali passa férias e que já assistiu a vários acidentes.

A GNR de Esposende tomou conta da ocorrência que cortou durante uma hora o local, freguesia das Marinhas, ao tráfego rodoviário.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Esposende

Prozis: “Estamos a recrutar 30 pessoas por mês”

Fundador da Prozis esteve hoje na inauguração do novo centro tecnológico de Investigação e Desenvolvimento (I&D) da empresa, na Maia.

Publicado

a

Miguel Milhão na apresentação do novo Centro Tecnológico da Prozis, na Maia. Foto: Facebook de CM Maia (setembro, 2018)

O sempre reservado Miguel Milhão, fundador da Prozis, falou esta manhã a uma reportagem da Câmara Municipal da Maia, a propósito do investimento de 15 milhões de euros, para os próximos dois anos, feito pela sua empresa naquele concelho do distrito do Porto, e hoje apresentado publicamente no centro da cidade.

Entre outras coisas, o responsável pela marca líder europeia em alimentação e suplementação funcional, cuja empresa tem sede em Esposende, revelou estar a contratar cerca de 30 novos colaboradores por mês.

Vídeo: Facebook de Câmara Municipal da Maia

“Nós estamos continuamente a recrutar, ou seja, nós neste momento penso que estamos a recrutar 30 pessoas por mês e devemos expandir agora”, disse.

No novo centro tecnológico de Investigação e Desenvolvimento (I&D), na Maia, junto à TECMAIA, a Prozis prevê criar 1.500 novos postos de trabalho, a maioria dos quais nas áreas de programação e sistemas informáticos, sendo que, desses, 300 já têm processo de recrutamento aberto.

A empresa, fundada em 2007, conta atualmente com mais de 800 mil clientes, espalhados por mais de 100 países. Em 2016, facturou 60 milhões de euros.

Os interessados em trabalhar na Prozis podem consultar as oportunidades existentes e apresentar candidaturas espontâneas, online, em https://prozis.breezy.hr/.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Barcelos

Médico de Barcelos confessa ter recebido 2.500 euros para arranjar emprego a enfermeira

Em Tribunal.

Publicado

a

Centro de Saúde de Barcelos. Foto: DR/Arquivo

Um médico de Barcelos confessou hoje, no Tribunal de Braga, que aceitou receber 5.000 euros de um paciente sob a promessa de influenciar um concurso público e assim arranjar emprego para a sua filha enfermeira.

Nas alegações finais, o Ministério Público (MP) pediu a sua condenação por um crime de tráfico de influência.

Afonso Inácio, ex-diretor do Centro de Saúde Barcelos, explicou que aquela verba seria paga em duas tranches: a primeira “à cabeça”, para “mexer os cordelinhos”, e a segunda após a colocação da referida enfermeira.

Disse que foi o pai da enfermeira quem o abordou e ressalvou que não fez qualquer diligência para influenciar o concurso.

“Sabia que não podia fazer nada, porque era um concurso nacional. Aceitei o dinheiro porque estava a atravessar muitas dificuldades económicas. Fiquei na expectativa da colocação [da enfermeira]. Se corresse bem e ela fosse colocada, recebia os 5.000 euros e estava o assunto o arrumado”, referiu.

O acordo foi “selado” em novembro de 2015, a primeira tranche foi entregue e Afonso Inácio terá prometido que a enfermeira estaria a trabalhar, o mais tardar, até 15 de janeiro de 2016.

No entanto, o concurso “não correu bem” e Afonso Inácio começou a ser pressionado para devolver os 2.500 euros, o que acabou por acontecer.

No momento da devolução, a Polícia Judiciária interveio e apreendeu o dinheiro, acabando por constituir como arguidos tanto o médico como o pai da enfermeira, indiciados por corrupção.

O pai da enfermeira beneficiou da suspensão provisória do processo, mediante o cumprimento de 100 horas de trabalho a favor da comunidade.

O médico foi acusado de um crime de tráfico de influência.

Para o Ministério Público (MP), “tudo não passou de um estratagema para extorquir dinheiro à vítima”.

Hoje, nas alegações finais, a procuradora do MP pediu a condenação do arguido por aquele crime.

Já o advogado do arguido pediu a absolvição, considerando que em causa estará um crime de burla, que carece de apresentação de queixa, o que não aconteceu.

Desta forma, o advogado, Ernesto Salgado, defendeu que o procedimento criminal deve ser dado como extinto.

Os 2.500 euros estão apreendidos à ordem dos autos, tendo o MP pedido que sejam declarados perdidos a favor do Estado.

A leitura do acórdão está marcada para 02 de outubro.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Barcelos

Descoberta plantação de canábis em Barcelos

Dois detidos na posse de mais de 500 doses de droga.

Publicado

a

Foto: Divulgação/GNR

Dois homem foram detidos em flagrante delito dois homens esta terça-feira por cultivo e tráfico de produto estupefaciente, em Barcelos.

No âmbito de uma investigação por tráfico de droga, os militares abordaram os suspeitos, de 24 e 25 anos, quando estes cultivavam as plantas de cannabis num terreno, resultando na sua detenção.

No seguimento das diligências foram realizadas duas buscas domiciliárias e uma em veículo, tendo sido apreendido no total: 556 doses de folhas de cannabis, 55 pés de plantas cannabis, um veículo, duas estufas, dois motores de rega, um pulverizador, dois telemóveis, uma balança de precisão.

Os detidos foram constituídos arguidos e sujeitos à medida de coação de termo de identidade e residência.

 

Notícia atualizada às 17h12.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Populares