Mondim de Basto tem 44 quilómetros de trilhos pela natureza para explorar (é só seguir as levadas)

Foto: CM Mondim de Basto

O município de Mondim de Basto apresentou hoje uma rede de cinco levadas do Alvão, um novo pacote turístico com trilhos que percorrem 44 quilómetros e aliam a água à floresta para atrair mais visitantes ao concelho.

“Neste momento lançamos cinco levadas, são as que já são mais utilizadas pelas empresas de animação turística, mas com uma perspetiva de alargar esta rede a levadas existentes nos concelho vizinhos”, afirmou à agência Lusa o presidente da Câmara de Mondim de Basto, Bruno Ferreira.

Pela serra do Alvão existem levadas, ou seja, canais feitos pelo homem para transportar água para irrigação de campos agrícolas e que são semelhantes aos que são uma atração turística na ilha da Madeira.

“Novo produto turístico que alia a água, florestas densas, trilhos sinuosos e experiências únicas”

O autarca disse que foi também apresentada hoje, no decorrer de uma conferência dedicada ao tema, a plataforma ‘online’ “levadasdoalvao.pt”, onde é disponibilizada informação sobre as levadas de Piscaredo, Vilarinho, da Porca Russa, do Moinho do Lombo e a de São João São e que visa “facilitar ao máximo a visitação” no concelho.

Trata-se, segundo é explicado na plataforma, de um “novo produto turístico que alia a água, florestas densas, trilhos sinuosos e experiências únicas de contacto com a natureza e a sua biodiversidade”.

A levada de Piscaredo é construída em granito, liga ao longo de 8,8 quilómetros Vilar de Ferreiros à vila de Mondim de Basto, é alimentada por água dos rios Cabrão e Cabril e é já uma das mais procuradas pelos adeptos do turismo de natureza.

“Acaba por ser a levada mais icónica. Há registos de que terá sido construída no século XIII, portanto antes mesmo da construção das levadas da Madeira”, afirmou Bruno Ferreira, que aponta para uma “relação direta dos transmontanos na construção das levadas” daquela ilha.

O projeto, segundo o autarca, resulta de uma estratégia de aposta e promoção do turismo de natureza, visando ainda “fazer justiça aos antepassados que colocaram a natureza ao serviço do desenvolvimento local”.

Mais visitantes de ano para ano

O presidente disse que, de ano para ano, se contabilizam mais visitantes neste território do distrito de Vila Real, à semelhança do que acontece um pouco por todo o país.

“O concelho tem tido uma procura tremenda de turistas”, frisou, apontando impactos na restauração, hotelaria e referindo que ainda tem incentivado a “reabilitação de algumas casas nas zonas de montanha”.

O turismo representa, segundo afirmou, uma “componente muito importante para o concelho”.

O objetivo é identificar mais levadas, envolver no projeto concelhos vizinhos como Ribeira de Pena, Cabeceiras de Basto ou Celorico de Basto, para implementar uma oferta regional e tirar partido de algo que “está intrínseco à história e identidade” deste território.

Município quer apostar em rede de cais fluviais

Em Mondim de Basto, as levadas aliam-se às Fisgas de Ermelo, quedas de água com 400 metros, no rio Olo, bem como à Senhora da Graça, localizada no alto do Monte Farinha e conhecida por acolher o final de uma etapa da Volta da Portugal em bicicleta, sendo palco para outras iniciativas ligadas ao desporto de natureza.

Bruno Ferreira disse ainda que o município quer apostar numa rede de cais fluviais.

A conferência “Levadas do Alvão”, que decorreu hoje, em Mondim de Basto, contou com a participação do secretário de Estado do Turismo e do presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal, bem como empresários e animadores da área do turismo e um representante do Governo da Madeira que falou sobre a importância deste produto turístico para a ilha.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Eleitores vão poder votar para as europeias em qualquer lugar do país e no estrangeiro

Próximo Artigo

Galp e TotalEnergies aliam-se para oportunidades em eólicas ‘offshore’ em Portugal

Artigos Relacionados
x