Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Missa em Viana juntou centenas ao ar livre

Peregrinação em Santa Luzia

em

Foto: Diocese de Viana do Castelo

Centenas de fiéis assistiram hoje a uma missa celebrada ao ar livre, em Santa Luzia, pelo bispo da Diocese de Viana do Castelo, no final da peregrinação que liga a cidade ao santuário, no alto do monte.


No início do mês, em comunicado enviado às redações a propósito da elevação da igreja de Santa Luzia a santuário, a Diocese de Viana do Castelo referia que “no dia 21, e na impossibilidade de ser realizada a peregrinação ao Sagrado Coração de Jesus, devido à pandemia de covid-19”, a diocese iria celebrar uma eucaristia, às 11:00, no Parque das Tílias, situado na envolvente”.

Hoje, numa imagem que acompanha a nota enviada pela diocese, sobre a eucaristia celebrada pelo bispo Anacleto Oliveira, são visíveis centenas de pessoas a assistir à missa, no parque das Tílias, junto ao santuário diocesano de Santa Luzia.

“A celebração contou com a presença de diversos fiéis, muitos dos quais se dirigiram a pé até ao Santuário, observando todas as regras de segurança. Estiveram também presentes vários sacerdotes e o presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, José Maria Costa”, refere a diocese nota enviada.

Foto enviada a O MINHO por Antonieta Brito

Contactado pela Lusa, o segundo comandante da PSP de Viana do Castelo, adiantou que “a peregrinação correu bem, com a presença de muita gente, mas com respeito pelas normas de segurança”

“A PSP esteve no local e não houve necessidade de qualquer intervenção”, referiu Raul Curva.

No entanto, o responsável adiantou que a Polícia de Segurança Pública “teve de condicionar o trânsito de viaturas no acesso a Santa Luzia para que as pessoas tivessem espaço para manter a distância”.

“De uma forma geral foram cumpridas as normas da Direção Geral da Saúde”, referiu.

Durante a missa, acrescenta da diocese, o bispo “exortou ao cumprimento das orientações das autoridades de saúde”, e “lamentou que alguns episódios conhecidos nos últimos dias façam com que Portugal não seja hoje tão bom exemplo como há umas semanas”, lembrando “as palavras do Papa Francisco: prudência e segurança”.

A nota acrescenta que, “apesar da peregrinação não se ter realizado nos moldes habituais”, o bispo presidiu à eucaristia, tendo observado a mesma “nasceu de um voto feito em plena epidemia, a febre pneumónica, que dizimou tanta gente”.

“Sinceramente, nunca imaginei que passados cem anos pudéssemos estar impedidos de a realizar precisamente pela mesma razão que esteve na sua origem. O que significará isto?”, questionou, apontando a resposta: “Que temos de viver esta peregrinação com o mesmo espírito com que ela nasceu: com uma prece sentida ao Senhor para que nos livre desta pandemia que nos impede de retomar a normalidade”.

Habitualmente, a peregrinação ao Sagrado Coração de Jesus, com cerca de cinco quilómetros, começa no centro da cidade até ao templo situado no cimo do monte de Santa Luzia, sempre muito participada.

Além das mais de 40 paróquias do arciprestado de Viana do Castelo, participam outras paróquias da diocese e muitos outros fiéis que fazem questão de marcar presença nesta importante manifestação de fé.

A tradição, organizada em conjunto pela Confraria de Santa Luzia e pela Diocese de Viana do Castelo, realiza-se desde 1918, antes do verão. Tem a sua origem num voto formulado pela população da cidade rogando proteção à epidemia pneumónica que na altura provocava muitos mortos na região.

No entanto, a primeira peregrinação ao Sagrado Coração de Jesus só se cumpriria três anos depois, em 1921, porque até então eram proibidas as manifestações religiosas e a subida ao monte de Santa Luzia.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 464 mil mortos e infetou mais de 8,8 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.528 pessoas das 38.841 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Portugal contabiliza pelo menos 1.528 mortos associados à covid-19 em 38.841 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Anúncio

Viana do Castelo

Viana: DJ’s ‘passam’ música a bordo do Gil Eannes com transmissão para 16 países

DJs Mayze X Faria

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

O navio-museu Gil Eannes recebeu um projeto da dupla de DJs Mayze X Faria que será transmitido, na sexta-feira, através de 38 páginas nas redes sociais para 16 países, informou hoje a Câmara de Viana do Castelo.

Em causa, segundo um comunicado da autarquia, está um projeto de vídeo X Places, que “tem como objetivo unir natureza e música, dando a conhecer lugares de excelência espalhados um pouco por todo o país”.

A transmissão da sessão da dupla composta por John Mayze e Miguel Faria,gravada a bordo do navio-museu, ancorado há 22 anos na doca comercial de Viana do Castelo, acontece na sexta-feira, pelas 19h30.

O evento, gravado a bordo do navio Gil Eannes, será transmitido por mais de páginas de música, rádios e temáticas variadas.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Surfistas sensibilizados para não ocuparem zonas de banhistas em Viana

Praia de Cabedelo

em

Foto: AMN

Praticantes de surf, windsurf e kitesurf foram sensibilizados pela Polícia Marítima de Viana do Castelo para não ocuparem zonas de banhistas na praia do Cabedelo, anunciou hoje aquela autoridade.

A ação decorreu na passada quinta-feira, durante a tarde, com os agentes e os nadadores-salvadores da Coordenada Decimal, em conjunto com uma mota de água da Estação Salva-Vidas, levando a que os praticantes da modalidade percebessem que não podem utilizar certas zonas reservadas a banhos.

“​A praia do Cabedelo tem um conjunto de fatores que propiciam a sua procura pelos praticantes daquelas modalidades, o que leva a uma sobrelotação dos espaços criados para o efeito, levando por vezes à ocupação indevida das zonas de banhos”, refere nota da Polícia Marítima.

“Foram ainda abordados e sensibilizados diversos utentes que circulavam no Domínio Público Marítimo, em deslocações de curta duração para efeitos de fruição de momentos ao ar livre, desrespeitando as medidas relativas ao distanciamento, tendo sido indicado que é importante que se cumpram as medidas para conter a propagação da doença covid-19, indicação que foi prontamente acatada”, refere ainda a autoridade.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Apreendidas 10 toneladas de tintureira e tubarão anequim em Viana do Castelo

Pesca ilegal

em

Foto: Divulgação / GNR

A Unidade de Controlo Costeiro (UCC) da GNR apreendeu, em Viana do Castelo, cerca de 10 toneladas de espécies de tubarão com o valor estimado de 11.300 euros, tendo identificado dois armadores, revelou hoje aquela força.

Em comunicado enviado à imprensa, a GNR explica que os “militares da Guarda apuraram que dois navios de pesca estavam a capturar tintureira ou tubarão-azul, ‘Prionace glauca’, e tubarão anequim, ‘Isurus oxyrinchus’, sem estarem licenciadas para tal”.

“Por se encontrarem com as autorizações de pesca suspensas, estas embarcações incorrem em infrações puníveis com coimas máximas de 37.500 euros. No total, foram apreendidos 9.021 quilos de tintureira e 911 quilos de tubarão anequim”, especifica a nota sobre a apreensão daquele pescado, realizada na quinta-feira.

Além da identificação dos mestres das duas embarcações, de 48 e 58 anos, os militares da GNR elaboraram dois autos por contraordenação, por pesca destas espécies sem licença, sendo posteriormente vendido em lota.

A operação decorreu numa ação conjunta da Direção-Geral de Recursos Naturais Segurança e Serviços Marítimos (DGRM).

Já na quarta-feira, também em Viana do Castelo, a UCC da GNR apreendeu 3.213 quilogramas de tintureira, com o valor estimado de 6.426 euros e identificou o mestre da embarcação por pesca sem licença.

Continuar a ler

Populares