Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Missa em Viana juntou centenas ao ar livre

Peregrinação em Santa Luzia

em

Foto: Diocese de Viana do Castelo

Centenas de fiéis assistiram hoje a uma missa celebrada ao ar livre, em Santa Luzia, pelo bispo da Diocese de Viana do Castelo, no final da peregrinação que liga a cidade ao santuário, no alto do monte.


No início do mês, em comunicado enviado às redações a propósito da elevação da igreja de Santa Luzia a santuário, a Diocese de Viana do Castelo referia que “no dia 21, e na impossibilidade de ser realizada a peregrinação ao Sagrado Coração de Jesus, devido à pandemia de covid-19”, a diocese iria celebrar uma eucaristia, às 11:00, no Parque das Tílias, situado na envolvente”.

Hoje, numa imagem que acompanha a nota enviada pela diocese, sobre a eucaristia celebrada pelo bispo Anacleto Oliveira, são visíveis centenas de pessoas a assistir à missa, no parque das Tílias, junto ao santuário diocesano de Santa Luzia.

“A celebração contou com a presença de diversos fiéis, muitos dos quais se dirigiram a pé até ao Santuário, observando todas as regras de segurança. Estiveram também presentes vários sacerdotes e o presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, José Maria Costa”, refere a diocese nota enviada.

Foto enviada a O MINHO por Antonieta Brito

Contactado pela Lusa, o segundo comandante da PSP de Viana do Castelo, adiantou que “a peregrinação correu bem, com a presença de muita gente, mas com respeito pelas normas de segurança”

“A PSP esteve no local e não houve necessidade de qualquer intervenção”, referiu Raul Curva.

No entanto, o responsável adiantou que a Polícia de Segurança Pública “teve de condicionar o trânsito de viaturas no acesso a Santa Luzia para que as pessoas tivessem espaço para manter a distância”.

“De uma forma geral foram cumpridas as normas da Direção Geral da Saúde”, referiu.

Durante a missa, acrescenta da diocese, o bispo “exortou ao cumprimento das orientações das autoridades de saúde”, e “lamentou que alguns episódios conhecidos nos últimos dias façam com que Portugal não seja hoje tão bom exemplo como há umas semanas”, lembrando “as palavras do Papa Francisco: prudência e segurança”.

A nota acrescenta que, “apesar da peregrinação não se ter realizado nos moldes habituais”, o bispo presidiu à eucaristia, tendo observado a mesma “nasceu de um voto feito em plena epidemia, a febre pneumónica, que dizimou tanta gente”.

“Sinceramente, nunca imaginei que passados cem anos pudéssemos estar impedidos de a realizar precisamente pela mesma razão que esteve na sua origem. O que significará isto?”, questionou, apontando a resposta: “Que temos de viver esta peregrinação com o mesmo espírito com que ela nasceu: com uma prece sentida ao Senhor para que nos livre desta pandemia que nos impede de retomar a normalidade”.

Habitualmente, a peregrinação ao Sagrado Coração de Jesus, com cerca de cinco quilómetros, começa no centro da cidade até ao templo situado no cimo do monte de Santa Luzia, sempre muito participada.

Além das mais de 40 paróquias do arciprestado de Viana do Castelo, participam outras paróquias da diocese e muitos outros fiéis que fazem questão de marcar presença nesta importante manifestação de fé.

A tradição, organizada em conjunto pela Confraria de Santa Luzia e pela Diocese de Viana do Castelo, realiza-se desde 1918, antes do verão. Tem a sua origem num voto formulado pela população da cidade rogando proteção à epidemia pneumónica que na altura provocava muitos mortos na região.

No entanto, a primeira peregrinação ao Sagrado Coração de Jesus só se cumpriria três anos depois, em 1921, porque até então eram proibidas as manifestações religiosas e a subida ao monte de Santa Luzia.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 464 mil mortos e infetou mais de 8,8 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.528 pessoas das 38.841 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Portugal contabiliza pelo menos 1.528 mortos associados à covid-19 em 38.841 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Anúncio

Viana do Castelo

Viana do Castelo atribui em 2021 Prémio para distinguir reabilitação urbana

Prémio Viana Práxis

em

Foto: DR / Arquivo

A Câmara de Viana do Castelo vai realizar em 2021 a primeira edição do Prémio de Reabilitação Urbana para “reconhecer” os promotores privados que nos últimos cinco anos investiram 10 milhões de euros no concelho, foi hoje anunciado.

Em conferência de imprensa para apresentação do Prémio Viana Práxis, o vereador da Reabilitação Urbana, Luís Nobre referiu que no início de novembro vão abrir as candidaturas e no primeiro trimestre de 2021 será realizada a primeira edição daquele prémio.

Luís Nobre sublinhou que o prémio, bienal, pretende “reconhecer publicamente as boas práticas, o esforço e o envolvimento que quem realizou investimento, mas também incentivar a quem olha para o concelho com uma oportunidade de investimento”.

O vereador responsável pela reabilitação urbana garantiu que, nesta área, a capital do Alto Minho apresenta “indicadores de excelência que são uma referência a nível regional, e até nacional”.

“Tanto ao nível das boas práticas, da dimensão das operações urbanísticas, do envolvimento de proprietários e também do valor muito significativo do investimento. Nos últimos cinco anos, o investimento privado está muito próximo dos 100 milhões de euros. Não acontece em muitas cidades, à nossa escala. É um esforço que deve ser reconhecido”, reforçou Luís Nobre.

De acordo com o vereador da reabilitação urbana, aquele investimento “começou no centro histórico da cidade, mas já vai muito além e acompanha grande parte das freguesias periurbanas do concelho”.

Luís Nobre destacou que “do total de licenciamentos que a Câmara Municipal emite, 24% referem-se à reabilitação urbana”.

“Para mim é um indicador muito relevante. Não existe, a nível nacional, uma percentagem com um significado tão expressivo”, sustentou.

Já o investimento público, adiantou, “está associado ao Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), atualmente. numa fase muito avançada da sua execução e representa um investimento de 18,7 milhões de euros só nas freguesias de Areosa, Monserrate, Santa Maria Maior, Meadela e Darque”.

Naquele montante, não estão contabilizados “investimentos anteriores no centro histórico, na frente ribeirinha da cidade e na frente atlântica do concelho.

O PEDU, financiado por fundos do programa Portugal 2020, visa a qualificação do sistema urbano, do ponto de vista da mobilidade sustentável, regeneração urbana e ação integrada para as comunidades desfavorecidas.

O prémio apresentado pretende “galardoar e dignificar a qualidade da arquitetura e da construção, no âmbito de novas edificações e ações de reabilitação, restauro, remodelação ou renovação de edifícios existentes, no concelho de Viana do Castelo”.

Visa ainda “distinguir os autores do projeto, promotores e construtores de obras realizadas no concelho, que tenham sido concluídas nos anos anteriores à apresentação da respetiva candidatura”.

O Prémio Viana Práxis está dividido em duas categorias, Reabilitação de Edifícios e Carreira.

A obra vencedora na categoria “Reabilitação de Edifícios” será distinguida com um troféu de material perene passível de ser aplicada na intervenção e com um prémio pecuniário de 10 mil euros atribuído ao responsável pelo projeto.

O prémio Carreira, bem como Menções Honrosas que possam ser atribuídas, receberão diploma oficial do VIANA PRÁXIS – Prémio de Reabilitação Urbana de Viana do Castelo e a integração de um painel com nota biográfica na exposição dos trabalhos.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Concelho de Viana com mais 60 casos ativos de covid-19 nos últimos três dias

Dados locais

em

Foto: CM Viana do Castelo / Arquivo

O concelho de Viana do Castelo tem 215 casos ativos de covid-19, mais 60 desde sexta-feira, segundo dados recolhidos por O MINHO junto da Unidade Local de Saúde do Alto Minho.

Os dados foram atualizados às 18:30 desta segunda-feira.

O concelho tem 356 doentes recuperados.

No total acumulado, registam-se 592 casos de infeção desde o início da pandemia, mais 59 desde o passado dia 23.

A nível distrital, o Alto Minho conta, nesta segunda-feira, com 478 casos ativos, mais 123 em relação a sexta-feira, 66 óbitos e 1.064 recuperados.

O distrito soma 1.608 casos acumulados desde o início da pandemia, mais 121 desde sexta-feira.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Três em cima de uma bicicleta na ponte da A28 em Viana

Insólito

em

Fotos cedidas a O MINHO por Germano Pereira

Três jovens que seguiam em cima de uma bicicleta na A28, no tabuleiro da ponte sobre o rio Lima, à entrada da cidade de Viana do Castelo, ficaram registados para a posteridade.

As fotos foram captadas cerca das 17:00 horas de sábado, no sentido Esposende – Viana do Castelo, ao quilómetro 69.

Germano Pereira, que registou o momento, disse a O MINHO que tudo pareceu surreal, mas que já viu outras situações naquela ponte dignas de registo.

Fonte: Germano Pereira

“Sei que não é a primeira vez que se vê situações como esta. Os jovens estavam em risco, para além de ser proibido, basta a deslocação do ar de camiões a alta velocidade para que possa originar um acidente”, disse o autor das fotos.

Contactada por O MINHO, fonte da Brigada de Trânsito da GNR desconhece a situação.

Continuar a ler

Populares