Seguir o O MINHO

Alto Minho

Misericórdia de Arcos de Valdevez faz testes no privado após primeira infeção em lar

Covid-19

em

Foto: Santa Casa da Misericórdia de Arcos de Valdevez

O provedor da Misericórdia de Arcos de Valdevez disse hoje ter recorrido a um laboratório privado para testar todos os utentes e funcionários numa das valências da instituição, por falta daqueles exames e após o primeiro caso de covid-19.

“Fizemos testes aos 39 utentes e aos 30 funcionários do Lar Vilagerações através de um laboratório privado, porque não tivemos outro remédio. E é apenas uma das valências da Santa Casa de Arcos de Valdevez”, afirmou Francisco Araújo.

O provedor, ex-presidente da Câmara de Arcos de Valdevez, disse ser do “conhecimento público a falta de testes e da uma incapacidade em responder a essa necessidade”.

“Os números dizem que a região Norte está a ser mais abalada com a situação de pessoas infetadas. No caso concreto no distrito de Viana do Castelo há uma incapacidade em satisfazer as necessidades e, nesse sentido, creio que a tutela tem de olhar para estas zonas com mais atenção, com uma particularidade específica”, defendeu.

“Sei que as necessidades são muitas por todo o país, mas aqui, efetivamente, este é um problema grave”, reforçou o provedor.

A Santa Casa da Misericórdia de Arcos de Valdevez confirmou, na segunda-feira, o primeiro caso de infeção pelo novo coronavírus num dos utentes do Lar Vilagerações, “internado no Hospital de Viana do Castelo, que realizou teste ao Covid-19 e teve resultado positivo”.

Além do lar Vilagerações, a Misericórdia de Arcos de Valdevez dispõe de várias valências de apoio à terceira idade, “ainda sem casos de infeção”.

“Ainda tenho outro lar com 75 utentes e uma unidade de cuidados continuados com 92 utentes onde não há nenhum caso registado, mas a verdade é que temos uma estrutura com uma dimensão, quer ao nível de utentes quer de funcionários, elevada. Exige-se que seja feita uma priorização, fazendo os testes de forma adequada e monitorizada, por forma a que haja um controlo efetivo da situação”, referiu.

Segundo Francisco Araújo, os resultados dos testes realizados aos utentes e funcionários do lar Vilagerações “devem ser conhecidos na quarta, ou na quinta-feira”.

“Com base nos resultados serão tomadas as decisões, em conjunto com os médicos da instituição e da Saúde Pública, que forem consideradas adequadas”, frisou.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,3 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 75 mil. Dos casos de infeção, cerca de 290 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 345 mortes, mais 34 do que na véspera (+10,9%), e 12.442 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 712 em relação a segunda-feira (+6%).

Dos infetados, 1.180 estão internados, 271 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 184 doentes que já recuperaram.

Populares