Seguir o O MINHO

Braga

Ministério Público investiga jantar polémico de André Ventura em Braga

Polémica

em

Imagem: RTP

O Ministério Público está a investigar o caso da alegada desobediência das regras de confinamento em redor do jantar do ex-candidato presidencial André Ventura, em Braga, que se realizou no passado domingo, dia 17 de janeiro, em Tebosa, Braga.

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil tinha dado um parecer negativo ao jantar, o que foi depois confirmado pelo delegado da ARS Norte, sendo que o Agrupamento de Centros de Saúde de Braga só domingo teve conhecimento da proibição.

No final do jantar-comício, a GNR diz ter contado 170 pessoas a quem serviram refeições, razão pela qual foi identificado o proprietário daquele estabelecimento comercial, o Solar do Paço, sabendo-se pelas imagens recolhidas durante o jantar que em algumas mesas não estavam a ser respeitadas as distâncias de segurança no interior do restaurante e que aquele espaço não tinha ventilação.

A GNR informou ter enviado para o Ministério Publico do Tribunal Judicial de Braga, as informações que foram recolhidas, durante o jantar, mas sabe-se que as filmagens feitas pelos jornalistas dentro da sala, com a aparente violação das regras sanitárias, serão o principal elemento de prova.

GNR de Braga acompanhou jantar

Em face das notícias de que o evento decorreu em violação de várias regras sanitárias em vigor, a GNR confirmou, em comunicado, ter acompanhado a realização do jantar, que “decorreu sem alterações à ordem pública”, embora tenha sido vandalizado um carro da RTP.

Chega descarta responsabilidades

Quanto aos responsáveis pela campanha de André Ventura, garantem que todas as regras foram respeitadas para o jantar, e que recebeu “luz verde” da DGS, apesar do “dever geral de recolhimento domiciliário”. O diretor de campanha, mandatário nacional de André Ventura e membro da direção nacional do Chega, Rui Paulo Sousa, considerou que o evento “cumpriu a lei”.

“Todos os eventos realizados decorreram através das distritais do nosso partido, o Chega, que contactaram a Direção-Geral de Saúde, com os dados e o cumprimento de todas as regras de distanciamento das mesas e também dos lugares nessas mesas”, sustentou.

Populares