Seguir o O MINHO

Guimarães

Ministério Público de Guimarães acusa envolvidos em tentativas de negociar armas

Crime

em

Foto: DR

Três negócios de armas, envolvendo cinco pessoas e que acabaram gorados, resultaram em acusações por tráfico e detenção ilegal de armamento, informou hoje o Ministério Público de Guimarães, citado na página da Internet da Procuradoria Regional do Porto.

No despacho de acusação considera-se indiciado que em outubro e novembro de 2018 dois dos arguidos encetaram diligências, o primeiro como vendedor e o segundo como intermediário, para vender uma pistola a um terceiro arguido.

O negócio ainda se chegou a consumar, por valores não apurados, mas acabou por ser desfeito “porque a arma em causa apresentava avaria”, sublinhou o Ministério Público de Guimarães, na comarca e distrito de Braga.

Os mesmos arguidos estiveram envolvidos numa segunda tentativa de negócio, gorada, neste caso “por o calibre não ser o adequado”. Tratava-se de uma arma Mauser, de calibre 6,35 milímetros, no valor de 750 euros.

Já em agosto, o interessado na compra das armas manteve contactos com um segundo vendedor e um segundo intermediário com vista ao negócio, por 250 euros, de revólver de marca Rhom e de calibre 22.

“Também este negócio viria a ser desfeito por apresentar a arma defeito que não foi possível reparar”, segundo o processo.

Populares