Seguir o O MINHO

Região

Minho sob aviso laranja devido à agitação marítima

em

Viana do Castelo e Braga – e mais cinco distritos em Portugal continental – vão estar sob ‘Aviso Laranja’ entre as 06:00 e as 21:00 horas desta terça-feira, devido à agitação marítima.


De acordo com o Instituto Português da Atmosfera do Mar (IPMA), prevêem-se ondas de noroeste com uma altura entre 05 e 06 metros, podendo atingir os 09-10 metros.

O ‘Aviso Laranja’ é o segundo mais grave de uma escala de quatro e refere-se a uma situação meteorológica “de risco moderado a elevado”.

Anúncio

Viana do Castelo

Câmara de Viana abateu hoje 10 plátanos. PAN denuncia “alegado incumprimento” judicial

Polémica

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

O PAN denunciou hoje ao tribunal o “alegado incumprimento” de uma decisão judicial por parte da Câmara de Viana do Castelo, que abateu pelo menos 10 plátanos em Darque e assegura ter legitimidade para tal.

“O PAN deu hoje entrada de um requerimento junto do Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga com vista a denunciar o alegado incumprimento da Câmara de Viana do Castelo, que procedeu hoje ao abate de pelo menos uma dezena de plátanos não obstante aquele ato [o abate] se encontrar suspenso pela instância judicial”, refere o partido numa nota hoje enviada às redações.

Questionado hoje pela agência Lusa, o presidente da Câmara de Viana do Castelo José Maria Costa, rejeitou qualquer incumprimento, alegando que a resolução fundamentada apresentada pela autarquia junto do tribunal invocando o interesse público da empreitada “legitima a execução dos trabalhos, de forma imediata”.

Em causa está o abate de 30 dos 170 plátanos existentes nos 628 metros da avenida do Cabedelo, na freguesia de Darque, para a construção de uma rotunda, prevista na última fase dos acessos ao porto de mar da cidade.

A construção da rotunda está parada desde 11 de setembro.

Inicialmente, foi embargada por moradores naquela avenida que, entretanto, chegaram a acordo com a autarquia.

Em outubro, o PAN avançou com uma providência cautelar junto do Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga (TAFC) para travar o corte daqueles exemplares.

O autarca de Viana do Castelo referiu que, “dada a importância da obra e do seu interesse público, o município de Viana do Castelo avançou com uma resolução fundamentada de interesse público, ao abrigo do disposto no artigo 128 do Código de Processo nos Tribunais Administrativos”.

“Esse facto foi comunicado, no dia 12 de novembro ao autor da ação, ao PAN, ao seu mandatário judicial, ao empreiteiro da obra e ao TAF de Braga, e que legitima a execução dos trabalhos de forma imediata”, reforçou.

Já o PAN, na nota hoje enviada às redações, disse “não encontrar uma justificação e uma explicação ético-jurídica para as ações levadas hoje a cabo pela Câmara de Viana do Castelo”.

“Ao arrepio das disposições legais, entendeu avançar com o abate de pelo menos uma dezena de plátanos, sem sequer aguardar, como decorre da lei, o despacho do tribunal”, explicou Inês de Sousa Real, membro da comissão política nacional do PAN, citada na nota.

Para aquela responsável, “a autarquia entendeu, fazendo uma interpretação própria e enviesada da lei, avançar sem que até ao dia de hoje o tribunal se tivesse pronunciado sobre o objeto da ação interposta”.

“É um grave atropelo da lei e do respeito que autarquia deveria demonstrar perante o recurso de qualquer entidade aos tribunais. O PAN não só não pode compactuar com este tipo de atuação, que representa um desrespeito pelas instituições judiciais como também pelos cidadãos e cidadãs que, das mais diversas formas se têm insurgido contra esta decisão camarária”, acrescenta.

O partido adianta que “tudo fará no sentido de que haja uma responsabilização pelo ato perpetrado, que coloca mais uma vez os interesses económicos à frente da proteção do arvoredo”.

A construção dos acessos rodoviários ao porto de mar foi iniciada em fevereiro de 2019. Os novos acessos, com 8,8 quilómetros e reivindicados há mais de quatro décadas, terão duas faixas de rodagem de 3,5 metros de largura, e representam um investimento superior a nove milhões de euros.

A obra é financiada pela Câmara de Viana do Castelo e pela Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL).

Continuar a ler

Braga

Concelho de Braga com 1.527 casos ativos e 1.396 em isolamento

Covid-19

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

O concelho de Braga regista 1.527 1.430 casos ativos de covid-19, mais 93 do que na segunda-feira, data do último balanço publicado por O MINHO. Desde então, morreu mais uma pessoa.

O município contabiliza agora 5.348 casos desde o início da pandemia, mais 110 desde o mesmo dia.

Estes números foram apurados pelo nosso jornal junto de fonte local da saúde às 17:30 desta terça-feira.

Há ainda mais doze doentes curados desde ontem, totalizando 3.735 recuperações desde o início da pandemia.

Há 86 óbitos a lamentar, mais um em 24 horas.

Por fim, estão 1.396 pessoas em vigilância ativa, menos 34 do que ontem.

Continuar a ler

Ave

Menino de Famalicão que não anda nem fala precisa de ajuda (e de fatos de treino)

Vamos ajudar?

em

Foto: DR

O Gonçalo Alves é um menino de quatro anos, de Famalicão, com um atraso no desenvolvimento psicomotor que não lhe permite andar nem falar. Os médicos ainda não conseguiram diagnosticar a síndrome, mesmo depois de realizados “todos os exames possíveis”, refere fonte da família.

De acordo com a mãe, Bárbara Lopes, residente em Delães, o Gonçalo precisa da ajuda de todos para combater estes sintomas raros que afetam uma a cada 100 mil crianças no mundo.

“Só 10% têm diagnóstico e 90% infelizmente não conseguem chegar a um diagnóstico conclusivo”, refere Bárbara.

Apesar de inicialmente terem recusado ajuda pública, os pais acabam por, “neste momento”, pedir “ajuda” para fazer face aos “muitos tratamentos para que possa progredir um pouco todos os meses”.

Gonçalo precisa de ajuda. Foto: Facebook

“O Gonçalo realiza inúmeras terapias, entre elas, fisioterapia, terapia da fala e equitação o que não é o suficiente para ele. O necessário para o Gonçalo seria realizar mais de 45 minutos diários de tratamentos”, explica a mãe.

Com recursos financeiros reduzidos, os pais querem “proporcionar uma vida melhor” ao pequeno Gonçalo, e para isso deixam algumas sugestões para que possam ser ajudados.

Bárbara Lopes explicou a O MINHO que podem ser feitas doações através de quatro formas: entrega de sucata, garrafas de plástico, tampinhas de plástico ou transferência bancária.

“Temos um amigo sucateiro que vai buscar a sucata a casa das pessoas e depois o dinheiro dessa sucata é doado para aulas de equitação do Gonçalo”, explicou.

“Também as garrafas de plástico e as tampinhas podem ser entregues a nós que depois vão ser tratadas e o dinheiro arrecadado servirá para os tratamentos e para outros custos com o menino”, expôs.

Bárbara dá o exemplo de uma compra que a família terá de efetuar a curto prazo: “Temos de comprar uma tala e umas botas especiais que custam cerca de 500 euros”.

A mãe deixa ainda o apelo para a doação de fatos de treino, no tamanho “oito anos”, uma vez que é essa indumentária que o Gonçalo utiliza praticamente todos os dias.

“Ele só usa mesmo fato de treino porque é preso dos intestinos e as outras roupas apertam e magoam. Os próprios fisioterapeutas aconselharam a utilização desta roupa”, assegura a progenitora.

Sobre apoios estatais ou municipais, Bárbara confessa que nunca pediu nada à Câmara de Famalicão, nem esta alguma vez se ofereceu para ajudar, mas a Junta de Freguesia de Delães tem “apoiado de todas as formas possíveis”.

Bárbara não trabalha atualmente, pois é cuidadora a tempo inteiro do pequeno Gonçalo. Apenas o pai consegue sustentar financeiramente a família.

Quem quiser pode contribuir monetariamente através do IBAN PT50003300004540580970805

Quem preferir contribuir com fatos de treino, sucata, tampinhas ou garrafas de plástico pode contactar a mãe através do 918909044 (Bárbara Lopes).

Continuar a ler

Populares