Seguir o O MINHO

Região

Minho já não tem concelhos em risco extremo. Novos casos caíram em todos os municípios

Dados por concelho da DGS

em

Mapa da incidência no distrito de Braga

Já não há nenhum concelho do Minho em risco extremamente elevado de contágio, tendo a incidência de novos casos descido em todos os municípios, segundo o mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), emitido esta segunda-feira. No distrito de Braga há 11 concelhos em risco elevado (entre 240 e 480 casos por 100 mil habitantes) e três em risco moderado (menos de 240 casos por 100 mil habitantes). No Alto Minho, também houve redução de patamar em praticamente todos os concelhos, à exceção de Viana do Castelo (que já se encontrava em muito elevado e, apesar do decréscimo da incidência, mantém). Oito concelhos estão, agora, em nível muito elevado e dois em elevado.

Assim, se na semana passada nove concelhos do Minho estavam ainda em risco extremo, agora já não está nenhum. E todos, à exceção já referida de Viana, desceram de patamar, segundo os dados de incidência cumulativa referentes ao período entre 03 e 16 de fevereiro.

Mapa da incidência no distrito de Viana do Castelo

No distrito de Braga, os três concelhos em risco moderado são os seguintes: Vizela (213), Celorico de Basto (215) e Cabeceiras de Basto (192).

Nos restantes, em risco elevado, as taxas de incidência por concelho são estas: Esposende (366), Póvoa de Lanhoso (302), Barcelos (371), Vila Verde (262), Guimarães (291), Terras de Bouro (362), Famalicão (376), Braga (282), Vieira do Minho (448), Amares (314) e Fafe (293).

No distrito de Viana do Castelo, os dois concelhos em risco elevado são Melgaço (457) e Valença (414).

Os oito restantes encontram-se no patamar de risco muito elevado com as seguintes taxas: Viana do Castelo (501), Caminha (529), Monção (728), Ponte da Barca (608), Arcos de Valdevez (607), Paredes de Coura (691), Ponte de Lima (540) e Caminha (763).

Segundo a nota metodológica do boletim epidemiológico, a incidência cumulativa a 14 dias de infeção por SARS-CoV-2/ COVID-19 corresponde ao quociente entre o número de novos casos confirmados nos 14 dias anteriores ao momento de análise e a população residente estimada, por concelho, a 31 de dezembro de 2019, pelo Instituto Nacional de Estatística, IP, expressa em número de casos por 100.000 habitantes.

Portugal registou hoje 61 mortes relacionadas com a covid-19 e 549 novos casos de infeção com o novo coronavírus, o número mais baixo desde 06 de outubro, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Populares