Seguir o O MINHO

Futebol

Miguel Pinto Lisboa é o novo presidente do Vitória

Carlos Freitas será o diretor-geral para o futebol

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães/O MINHO

Miguel Pinto Lisboa foi hoje eleito presidente do Vitória. António Miguel Cardoso (Lista A) e Daniel Rodrigues (Lista C) eram os outros dois candidatos.

Segundo uma informação do presidente da mesa da assembleia-geral, Isidro Lobo, Miguel Pinto Lisboa obteve 50,6 por cento dos votos (3584 votos), mais do que os outros dois candidatos juntos.

António Miguel Cardoso, da lista A, obteve 31,1 por cento (2202) e Daniel Rodrigues, da lista C, 16,8 por cento (1189).

Num total de 7083 sócios votantes, houve 37 votos nulos e 71 brancos (1,5 por cento).

https://www.facebook.com/246113568166/posts/10156807220438167/

As eleições deste sábado, as segundas da história do clube com mais de duas listas concorrentes, realizaram-se após Júlio Mendes, presidente cessante, ter apresentado a demissão, no final do passado mês de maio.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Isidro Lobo revelou ter convidado os três candidatos assim como o presidente cessante, Júlio Mendes, para a tomada de posse dentro de pouco mais de uma semana.

“É esse fator de união que precisamos. Peço aos adeptos mais aguerridos que deem uma prova que vão ter muita mais paciência para tudo o que a direção pretende fazer e, por vezes, não consegue, porque os meios não abundam”, disse Isidro Lobo.

Numa recente entrevista à Lusa, publicada esta semana em O MINHO, o candidato que encabeçou a lista B apresentava as ideias que defende para o futuro do clube.

Carlos Freitas vai dar “conhecimento” 

O candidato da lista B às eleições do Vitória SC, Miguel Pinto Lisboa, salientou que o futebol do emblema da I Liga portuguesa vai ser valorizado pelo “conhecimento” de Carlos Freitas, homem que escolheu para diretor-geral.

O líder do movimento ‘Todos Vitória’ adiantou que o antigo diretor desportivo de Sporting, Braga e Fiorentina (Itália) vai ajudar os vimaranenses a desenvolverem a “estrutura” para o futebol e a alargarem a rede de prospeção de jogadores.

“O facto de o Carlos Freitas ser uma pessoa com projeção internacional, experiência e contactos valoriza o nosso posicionamento e pode ajudar o Vitória na prossecução dos seus objetivos. É um homem com um profundo conhecimento do mercado e dos jogadores”, disse, em entrevista à agência Lusa.

O ‘rosto’ da lista B confirmou o desejo de ter o Vitória entre as quatro melhores equipas portuguesas em 2022, tendo prometido, para esse fim, a aposta em “parcerias com agentes do futebol”, a contratação de “talentos em fase precoce”, a baixo custo, e a rejeição de empréstimos sem contrapartidas.

“Não queremos empréstimos de jogadores. Estamos disponíveis para ter partilhas de passes de jogadores e para ter empréstimos, desde que tenhamos opção de compra ou uma percentagem sobre uma futura mais-valia”, afirmou.

Miguel Pinto Lisboa reconheceu, porém, que espera, inicialmente, “reduzir os gastos com a equipa profissional e com a equipa técnica” para um valor equivalente a 60% das receitas operacionais da SAD, de acordo com os critérios estabelecidos pela UEFA.

O candidato defendeu ainda que o clube, detentor de 40% das ações da SAD, deve “ter uma liderança firme e independente na SAD” e mostrou-se convicto de que o acionista maioritário, Mário Ferreira (57% do capital), vai concordar com o seu “plano estratégico” para o Vitória.

Caso Mário Ferreira não concorde com o seu plano, o líder da lista A tenciona comprar-lhe as ações, através de uma “operação de crédito a nove ou a 15 anos”, com um encargo anual para o clube, ou de um empréstimo obrigacionista, com a criação de uma SGPS associada aos vitorianos.

Apesar de o acionista maioritário ter vincado, num comunicado emitido na segunda-feira, que está “indisponível para vender as ações nesta fase”, Pinto Lisboa adiantou que a operação, caso venha a acontecer, vai deixar o clube com 97% das ações e originar uma Assembleia-Geral para alienar parte desse capital.

“Nessa Assembleia-Geral, o que eu proporia aos sócios era alienar 46% e o Vitória ficar com 51, para garantir a liderança na SAD. Mas eles teriam de estar de acordo”, disse.

Desejoso de ver “mais jovens da formação a chegarem à equipa principal para serem mesmo titulares”, o candidato reconheceu que a academia do clube, face ao crescimento do número de equipas, está “curta”.

Miguel Pinto Lisboa prometeu ainda criar uma equipa de futebol feminino já na próxima época, para competir na III Divisão, e disse ter o objetivo de vê-la na I Divisão, no final do seu mandato.

(em atualização)

Anúncio

Futebol

FC Porto a um ponto das meias, Benfica e Sporting em ‘mãos’ alheias

Taça da Liga

em

Foto: FC Porto / Twitter

O FC Porto é o único ‘grande’ que só depende de si próprio para marcar presença na ‘final four’ da Taça da Liga em futebol, depois de concluída a segunda jornada da terceira fase.

A formação ‘azul e branca’, que nunca venceu a competição, em 12 edições, colocou-se hoje a um ponto das meias-finais, ao vencer por 3-0 no reduto do ‘secundário’ Casa Pia, após o triunfo caseiro por 1-0 face ao Santa Clara.

Os comandados de Sérgio Conceição assumiram o primeiro lugar do Grupo D e é com outra equipa da II Liga que vão disputar o acesso à fase final da prova, que se realiza em Braga, com meias-finais em 21 e 22 de janeiro de 2020 e final no dia 25.

O encontro que tudo decidirá está marcado 22 de dezembro, em Chaves, onde o conjunto local, também com dois triunfos (1-0 no reduto do Casa Pia e na receção ao Santa Clara), precisa de ganhar, pois perde para os portistas nos golos (2-0 contra 4-0).

Finalistas vencidos em 2009/10 (0-3 com o Benfica), 2012/13 (0-1 com o Sporting de Braga) e na época passada (1-3 nos penáltis, após 1-1 nos 90 minutos, com o Sporting), os ‘dragões’ estão em situação similar ao Sporting de Braga, no Grupo A.

Os ‘arsenalistas’, que já foram anfitriões da prova na época passada, venceram em Penafiel (3-1) e com o Marítimo (2-1), em outubro, e lideram o agrupamento, com seis pontos, contra quatro do Paços de Ferreira (1-1 com os insulares e 2-1 em Penafiel).

A formação de Sá Pinto só precisa, assim, de um empate, mas, como o Desportivo de Chaves, o conjunto da Capital do Móvel terá em 22 de dezembro, pelas 17:00, o ‘fator casa’ do seu lado e sabe que estará na ‘final four’ em caso de triunfo.

Os bracarenses somam uma vitória na prova, em 2012/13, e foram ainda finalistas em 2016/17 (0-1 com o Moreirense), enquanto o Paços de Ferreira perdeu por 2-1 com o Benfica na final de 2010/11.

Se FC Porto e Sporting de Braga têm, mesmo jogando fora, o destino nas suas mãos, para voltarem, um ano depois, à ‘final four’, o Benfica, no Grupo B, e o Sporting, no C, dependem de outros para conquistar o mesmo objetivo.

Os dois ‘grandes’ de Lisboa jogam o seu destino em 21 de dezembro, sabendo de antemão que triunfos do Vitória de Guimarães, na receção ao secundário Sporting da Covilhã, e do Rio Ave, também em casa, perante o Gil Vicente, os afastam da prova.

Os ‘encarnados’, recordistas de títulos na prova, com sete troféus (2008/09 a 2011/12 e 2013/14 a 2015/16), precisam que os minhotos não ganhem e ainda de triunfar em Setúbal.

Mesmo neste cenário, o Benfica, que empatou a zero na Luz com o Vitória de Guimarães e a um na Covilhã, na terça-feira, pode ‘cair’ se o conjunto da II Liga ganhar e mantiver vantagem sobre os ‘encarnados’ nos golos (2-2 contra 1-1).

Após duas jornadas, o Vitória de Guimarães lidera, com quatro pontos, contra dois de Sporting da Covilhã e Benfica e um do já arredado Vitória de Setúbal.

A situação dos ‘leões’, vencedores das últimas duas edições, ambas conquistas em Braga nos penáltis, é semelhante, pois estão obrigados a ganhar em Portimão e ainda que o Rio Ave não vença em casa o já afastado Gil Vicente.

Os problemas do conjunto de Silas, que na quarta-feira venceu por 2-0 em Barcelos, são ainda maiores porque, ao contrário do Vitória de Setúbal, o Portimonense deverá jogar com os melhores, uma vez que está na corrida à ‘final four’.

O conjunto algarvio lidera o Grupo C a par do Rio Ave, ambos com quatro pontos e 3-2 em golos – neste caso prevalece a equipa com menor média de idades -, enquanto o Sporting, que perdeu por 2-1 em casa com os vila-condenses, é terceiro, com três.

O primeiro de cada um dos quatro grupos da terceira fase segue para as meias-finais: em 21 de janeiro de 2020, jogam os vencedores dos grupos A e C e, em 22, os que conquistarem os agrupamentos B e D. A final é no dia 25.

Continuar a ler

Futebol

Tomás Esteves é o defesa mais jovem a estrear-se no FC Porto em 94 anos

O segundo defesa mais jovem de sempre

em

Foto: Twitter / FC Porto

O apontamento é lançado pelos aficionados da estatística, playmakerstats, através do Twitter. Tomás Esteves, futebolista natural de Arcos de Valdevez, que se estreou esta quinta-feira pela equipa principal do Futebol Clube (FC) do Porto, é o defesa caloiro mais novo, em 94 anos, dos dragões.

Torna-se, também, o segundo defesa mais jovem, de sempre, a alinhar pelos bicampões europeus, depois de Temudo, defesa que, em 1925, se estreou com 17 anos e sete meses, menos um que o defesa direito minhoto (17 anos e oito meses).

 

O lateral direito, de 17 anos, entrou aos 75 minutos para o lugar de Manafá, quando o marcador ditava um triunfo confortável (3-0) dos portistas no marcador, frente ao Casa Pia, para a fase de grupos da Taça da Liga.

Em declarações no pós-jogo, o atleta refere ter cumprido um sonho, ao jogar pelo clube do coração. Agradeceu à mãe pelo “sacrifício” de o ter que levar aos treinos.

Em entrevista ao jornal O JOGO, durante a pré-época, o pai do atleta revelou que as viagens totalizavam mais de 150 quilómetros entre a freguesia de Aboim da Choças, de onde é natural, e o centro de treinos do Olival, em Gaia.

Depois do debut desta noite, o nome do jovem parece estar a subir, em termos de tendência, no Twitter, depois de alguns adeptos portistas influentes divulgarem o agradecimento à mãe.

O próprio clube portista destacou as declarações.

 

Na atual temporada, o arcuense soma oito jogos pela equipa B.

Continuar a ler

Futebol

Aos 17, Tomás Esteves estreou-se na equipa principal do FC Porto: “Realizei um sonho”

Futebolista de Arcos de Valdevez

em

Foto: FC Porto

Tomás Esteves, natural de Arcos de Valdevez, estreou-se esta noite pela equipa principal do Futebol Clube (FC) do Porto, frente ao Casa Pia, em jogo da fase de grupos da Taça da Liga.

O lateral direito, de 17 anos, entrou aos 75 minutos para o lugar de Manafá, quando o marcador ditava um triunfo confortável (3-0) no marcador.

Sérgio Conceição reforça assim a aposta em jogadores que venceram, na época passada, a Youth League ao serviço dos dragões.

Em declarações no pós-jogo, o atleta refere ter cumprido um sonho, ao jogar pelo clube do coração. Agradeceu à mãe pelo “sacrifício” de o ter que levar aos treinos.

Aos 17 anos e sete meses, tornou-se no segundo defesa mais jovem de sempre a estrear-se com o emblema do clube da invicta.

Tomás Esteves é o defesa mais jovem a estrear-se no FC Porto em 94 anos

Em entrevista ao jornal O JOGO, durante a pré-época, o pai do atleta revelou que as viagens totalizavam mais de 150 quilómetros entre a freguesia de Aboim da Choças, de onde é natural, e o centro de treinos do Olival, em Gaia.

Depois do debut desta noite, o nome do jovem parece estar a subir, em termos de tendência, no Twitter, depois de alguns adeptos portistas influentes divulgarem o agradecimento à mãe.

O próprio clube portista destacou as declarações.

 

Na atual temporada, o arcuense soma oito jogos pela equipa B.

Continuar a ler

Populares