Seguir o O MINHO

Ave

Mensagem de Paulo Cunha aos famalicenses: “Cuidem-se”

Covid-19

em

O presidente da Câmara de Famalicão deixou esta terça-feira uma mensagem aos famalicen ses divulgada através de um vídeo publicado na rede social Facebook.

Na mensagem, Paulo Cunha pede aos habitantes do concelho para que não se esqueçam que todos os gestos que possam ter, contribuem também para a segurança dos outros, reforçando o apelo para utilização da máscara “sempre que possível”, e das restantes medidas repetidamente difundidas pela DGS.

“A situação que vivemos exige muito de todos nós. A pandemia continua bem presente e os números conhecidos inspiram muita preocupação”, alerta o edil, reforçando que a autarquia foi “das primeiras no país a implementar um plano de contingência” que permanece ativo desde março.

“Mais do que proibições ou obrigações, importa que cada um pense o que pode e deve fazer como bem coletivo, porque mais que proteger a cada um de nós, há a dimensão do outro”, refere Paulo Cunha, lembrando que “aquilo que fizermos de errado, vai prejudicar as pessoas com quem convivemos”.

“Por isso reforço o apelo a todos os cuidados e cautelas, ao uso da máscara em todas as situações possíveis, à etiqueta respiratória, distanciamento social mas sobretudo, neste contexto, ter noção de fazer o que for necessário e deixar de ter comportamentos que não sejam úteis”, reforça o presidente da Câmara de Famalicão.

Paulo Cunha assegura que “o que ai vem não é o encerramento do pais, fecho de empresas, restaurantes, espaços comerciais ou feiras”. “É o momento de fazer tudo o que fazíamos, mas com mais cautela, com mais rigor”.

“Faço por isso apelo ao sentido de responsabilidade que os famalicenses sempre nos habituaram, e, estou seguro, sempre continuarão a ter”, vincou.

“Cuidem-se”, terminou o edil, em jeito de conselho para os próximos meses.

Anúncio

Ave

Quatro feridos após rixa na via pública em Famalicão

Em Telhado

Foto: O MINHO / Arquivo

Quatro pessoas sofreram ferimentos na sequência de agressões na via pública no concelho de Famalicão, este domingo, apurou O MINHO junto de fonte dos bombeiros.

A situação ocorreu ao início desta tarde na Rua do Monte, freguesia de Telhado, com o alerta para as autoridades a ser dado pelas 14:26.

Sem especificar os motivos da altercação, ou sequer porque estariam pessoas na via pública durante o confinamento geral, o pedido de auxílio mobilizou três ambulâncias dos Bombeiros Famalicenses e duas viaturas da GNR.

Os feridos, todos ‘ligeiros’, foram encaminhados para o Hospital de Famalicão com hematomas e escoriações.

As forças de segurança estão a apurar o que terá originado as agressões.

Continuar a ler

Guimarães

ASAE fiscalizou incumprimento do confinamento em operação que passou por Guimarães

Confinamento

Foto: DR / Arquivo

A ASAE instaurou hoje um processo-crime por especulação de preços e 19 contraordenações por incumprimento das medidas adotadas para conter a pandemia de covid-19, além de ordenar o encerramento de quatro estabelecimentos de restauração e bebidas.

Em comunicado, a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), diz que “foram fiscalizados 198 operadores económicos, tendo sido instaurado um processo-crime por especulação de preços e 19 processos de contraordenação dos quais se destaca a falta de cumprimento das regras de ocupação, permanência e distanciamento físico nos locais abertos ao público e a falta de cumprimento das regras relativas a restrição, suspensão ou encerramento de atividades”.

Foi ainda determinada a suspensão da atividade em quatro operadores económicos da restauração e bebidas “pela existência de clientes no seu interior”, indica a ASAE.

A autoridade lembra que, com o estado de emergência, “esta atividade apenas poderá ser exercida para efeitos de confeção destinada ao consumo fora do estabelecimento, seja através de entrega ao domicílio, diretamente ou através de intermediário, ou para disponibilização de refeições ou produtos embalados à porta do estabelecimento ou ao postigo (‘take away’)”.

As ações de fiscalização contaram com cerca de 30 inspetores e decorreram nos concelhos de Guimarães, Lisboa, Porto, Matosinhos, Lamego, Coimbra, Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Santarém, Faro e Évora.

A operação foi direcionada a operadores económicos cuja atividade se encontra sujeita a novas regras de funcionamento, “tendo como principal objetivo a verificação do cumprimento integral das regras de lotação, ocupação, permanência e distanciamento físico em espaços públicos e estabelecimentos comerciais, bem como o cumprimento da determinação de suspensão de determinados tipos de instalações, estabelecimentos e atividades”, lê-se no comunicado.

A ASAE afirma que continuará a desenvolver “ações de fiscalização no âmbito das suas competências, em todo o território nacional, para garantia do cumprimento das regras de saúde pública determinadas pela presente situação pandémica”.

O decreto do Governo que regulamenta o novo confinamento geral devido à pandemia de covid-19 entrou em vigor às 00:00 de sexta-feira e decorre até 30 de janeiro.

Entre as restrições, o diploma prevê o encerramento do comércio e restauração, com exceção dos estabelecimentos de bens e serviços essenciais.

Os restaurantes e similares podem funcionar apenas em regime de ‘take away’ ou entregas ao domicílio.

Continuar a ler

Guimarães

Sábado com trânsito condicionado no acesso à A11 em Guimarães

Obras públicas

Foto: Ivo Borges / O MINHO

Este sábado o trânsito esteve condicionado na rotunda de Silvares, no acesso a autoestrada A 11, no âmbito dos trabalhos de desnivelamento que decorreram no local.

Todas as entradas estavam encerradas pelas autoridades responsáveis pelo trânsito, com os automobilistas a circularem de forma bastante condicionada.

A autarquia tinha publicado um aviso, conforme noticiou O MINHO, a dar conta que este condicionamento decorre “dos trabalhos de pavimentação associados à empreitada em curso, da responsabilidade de execução da Infraestruturas de Portugal”.

Foto: Ivo Borges / O MINHO

Foto: Ivo Borges / O MINHO

Foto: Ivo Borges / O MINHO

Era aconselhada a utilização de percursos alternativos ao nó de Silvares e da saída da Autoestrada A11 (Guimarães Centro), usando como alternativa o Nó Guimarães Sul.

“Em todos os trabalhos será acautelada a presença das autoridades responsáveis pela gestão da circulação rodoviária”, referiu a autarquia.

Continuar a ler

Populares