Seguir o O MINHO

Alto Minho

Melgaço conclui obra de 3 milhões que confirma decisão de não aderir a Águas do Alto Minho

Afirmou Manoel Batista

em

Foto: O MINHO

Melgaço concluiu hoje 14 projetos de abastecimento de água e saneamento, num investimento de três milhões de euros que o presidente da Câmara considerou vir confirmar a decisão de não integrar a Águas do Alto Minho.


“Estamos certos de que fizemos a melhor opção, estamos certo de que estamos no bom caminho”, afirmou Manoel Batista, garantindo: “Foi uma decisão muito bem fundamentada do ponto de vista económico e técnico e, por isso, estamos confortáveis com ela”.

Questionado pela Lusa, à margem da cerimónia de inauguração da rede de saneamento de Paços e da central de compostagem municipal, presidida pelo secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, Manoel Batista escusou-se a fazer “muitos” comentários sobre a polémica em torno dos primeiros meses de funcionamento da empresa Águas do Alto Minho (AdAM), e afirmou que “o município tem capacidade de fazer obra, tem dado prova da capacidade de gestão das suas redes, sem aumentar tarifas de forma exponencial”.

“Não quero comentar muito essa. Tem a ver claramente com os setes municípios que aderiram, tem a ver com as estratégias que eles tomaram, são estratégias deles e é com essas que eles têm de viver. É claro que me sinto confortável por estar numa situação diferente”, referiu.

Já o secretário de Estado, Carlos Miguel, destacou “o trabalho e determinação” do concelho nesta área.

“Até porque todo o investimento debaixo da terra não é muito produtivo em termos eleitorais, mas é determinante para o bem esta das populações”, disse.

A AdAM é detida em 51% pela Águas de Portugal (AdP) e em 49% por sete municípios do distrito de Viana do Castelo (Arcos de Valdevez (PSD), Caminha (PS), Paredes de Coura (PS), Ponte de Lima (CDS-PP), Valença (PSD), Viana do Castelo (PS) e Vila Nova de Cerveira (Movimento independente PenCe – Pensar Cerveira), que compõem a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho.

Além de Melgaço (PS), também os concelhos de Ponte da Barca (PSD) e Monção (PSD) reprovaram a constituição daquela parceria.

A nova empresa começou a operar em janeiro, “dimensionada para fornecer mais de nove milhões de metros cúbicos de água potável, por ano, a cerca de 107 mil clientes e para recolher e tratar mais de seis milhões de metros cúbicos de água residual, por ano, a cerca de 70 mil clientes”.

A constituição tem sido contestada por vários partidos e pela população de alguns concelhos que se queixa do aumento “exponencial” das tarifas.

Em abril, o presidente do conselho de administração da AdAM admitiu terem ocorrido erros de faturação nos meses de janeiro e fevereiro e pediu desculpa aos 15 mil consumidores afetados.

Hoje, o presidente da Câmara de Melgaço disse ter-se oposto à integração deste o início do processo de criação da empresa.

“Do nosso ponto de vista não fazia sentido. Nós tínhamos capacidade de implementar redes, capacidade de as gerir e estamos a dar provas disso. Estamos convencidos de que tomámos a decisão certa. Conseguimos ter um controlo no preço, a capacidade de, com a tarifa estabelecida, cobrir os custos dos sistemas e temos a capacidade, agora, de renovar os sistemas, utilizando novas tecnologias, afirmando muito a questão da telemetria”, adiantou.

Com o investimento hoje inaugurado, na rede de saneamento de Paços, a única freguesia do concelho de Melgaço que “não tinha um metro sequer de saneamento feito”, o concelho concluiu 14 projetos iniciados em 2017.

“Este investimento permite colocar o município num ‘top 5′ ou, na pior das hipóteses, num ‘top 10′ dos que têm a melhor cobertura em rede de saneamento e em rede de abastecimento público de água”, destacou.

Manoel Batista explicou que, com as intervenções realizadas, o concelho atinge uma “cobertura de 94% na rede de saneamento básico e de 99,9% em abastecimento público de água”.

O autarca socialista acrescentou que o município “tem, neste momento, uma candidatura aprovada para começar o ciclo de revitalização das redes já existentes”.

“Temos um projeto aprovado para a rede de abastecimento de água da vila de Melgaço para combater às perdas de água. É uma área importante para a população, para os empresários e para o ambiente, e para o município afirmar que, de ‘per si’, consegue pôr estas redes no terreno, consegue reabilitá-las e geri-las bem. Temos dado prova de capacidade de gestão das nossas redes sem aumentar de força exponencial as tarifas”, frisou.

Os 14 projetos hoje concluídos resultam de candidaturas ao Ciclo Urbano da Água, no valor de três milhões de euros, mais de 2,2 milhões com apoio do Fundo de Coesão.

Anúncio

Alto Minho

Deputados do PSD do Alto Minho exigem conclusão de ligações transfronteiriças

Política

em

Foto: Divulgação / CM Cerveira

Os deputados do PSD eleitos pelo círculo de Viana do Castelo vão exigir ao Governo a conclusão de obras de ligação fronteiriça, reclamadas “há muito pela região”, pela “extrema importância para a competitividade do território”, foi hoje revelado.

Em comunicado enviado às redações, os deputados Jorge Mendes, Eduardo Teixeira e Emília Cerqueira apontam a beneficiação da estrada que liga o Itinerário Complementar 28 (IC28) à fronteira da Madalena, em Ourense, na Galiza, em Espanha, e a conclusão da Autoestrada 28 (A28) entre Vila Nova de Cerveira e a Autoestrada 3 (A3) em Valença, na fronteira com a cidade galega de Tui, como sendo de “extrema importância”.

Contactada pela Lusa, fonte do partido adiantou hoje que “os três deputados eleitos pela região vão aproveitar a discussão do Orçamento do Estado para 2021, na próxima semana, para exigir a conclusão daquelas vias”.

Na segunda-feira, os três deputados visitaram as vias em causa, nos concelhos de Valença, Arcos de Valdevez e Ponte da Barca, e hoje insistem com a sua “extrema importância para a mobilidade e para competitividade dos territórios e das empresas do Alto Minho”.

“Esta questão já tinha sido levada ao parlamento pelos deputados de forma a que ficasse como uma das conclusões do VIII Fórum Parlamentar Luso-Espanhol, realizado em setembro. Recentemente, na cimeira ibérica a questão não foi abordada, uma decisão dos governos socialistas de Lisboa e Madrid”, refere a nota.

Os deputados lembram que, recentemente, os presidentes das Câmaras de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca, ambos do PSD, pediram ao Governo para incluir a ligação do IC28 à Madalena no Plano de Recuperação e Resiliência de Portugal “como obra prioritária”.

Reclamada “há mais de uma década” aquela via permitirá “alavancar as relações económicas e transfronteiriças e a atratividade dos municípios e da região”.

Também na segunda-feira, após uma reunião de trabalho com os três deputados do PSD, o autarca independente de Vila Nova de Cerveira sublinhou “a urgência do prolongamento da A28 até Valença, como forma de aliviar o tráfego, especialmente de veículos pesados de mercadorias que transitam na Estrada Nacional (EN) 13”.

A autoestrada A28 liga o Porto a Caminha, passando por Viana do Castelo.

O troço da A28 entre a capital do Alto Minho e a freguesia de Vilar de Mouros, no concelho de Caminha, foi inaugurado em 2005 pelo então primeiro-ministro José Sócrates.

Tem uma extensão de 25 quilómetros e custou cerca de 160 milhões de euros.

Para o presidente da Câmara de Valença, Manuel Lopes (PSD), citado na nota, a região “precisa de vias de comunicação que facilitem a mobilidade e o desenvolvimento económico da região”.

Continuar a ler

Alto Minho

Melgaço: Escola recorda “sorriso” e “garra” de ex-aluno que morreu em explosão

em

O jovem de 22 anos que, na tarde desta segunda-feira, faleceu na sequência de uma explosão de um forno de combustão numa fábrica de borracha, em Melgaço, estudou na ETAP – Escola Profissional, em Vila Praia de Âncora, Caminha. Numa nota partilhada na sua página de Facebook, a instituição recorda o ex-aluno, José Mário Costa, formado no curso de Cozinha/Pastelaria e que “partiu, hoje, de forma inesperada”.

“Recordaremos sempre o José Mário porque foi um dos alunos que nos marcou. O seu sorriso, a sua garra, a responsabilidade com que encarou os três anos de curso, os estágios e a realização da sua PAP”, refere a ETAP.

Morreu um dos feridos da explosão em fábrica de borracha em Melgaço

“Deixa muitos amigos, mas deixa também o seu exemplo enquanto aluno excelente e ser humano de muitos valores e respeito. A Direção da ETAP apresenta as suas condolências à família e amigos do Zé Mário, nesta hora de grande dor para todos”, acrescenta a nota.

Além da vítima mortal, a explosão na fábrica de Melgaço deixou uma mulher de 29 anos em estado grave.
Fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) explicou que a mulher, que “não corre risco de vida, foi transportada ao hospital de São João, no Porto”.

O alerta foi dado cerca das 15:08, tendo sido deslocadas para o local duas ambulâncias de Suporte Imediato de Vida (SIV), uma estacionada em Melgaço e outra em Valença, a Viatura de Emergência Médica (VMER) do hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo e uma unidade móvel de intervenção em psicologia de emergência.

De acordo com o CDOS, a explosão foi comunicada à Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) de Viana do Castelo.

Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara de Melgaço, Manoel Batista, disse que a Aflex Portugal-Indústria de Borrachas, instalada na zona industrial de Penso emprega cerca de 100 trabalhadores e “é a maior produtora de tubos de borracha para indústria automóvel do distrito de Viana do Castelo”.

Continuar a ler

Alto Minho

Mulher gravemente ferida em despiste na EN202 em Ponte de Lima

Acidente

em

Uma mulher de 39 anos ficou gravemente ferida após o carro em que seguia se despistar e capotar, na noite desta segunda-feira, na Estrada Nacional 202, freguesia de Santa Comba, em Ponte de Lima, apurou O MINHO junto de fontes dos bombeiros e do CDOS de Viana do Castelo.

A viatura ligeira despistou-se numa zona de curva, em circunstâncias por apurar.

A vítima foi transportada para o Hospital de Viana do Castelo.

O alerta foi dado pelas 22:10.

Os Bombeiros de Ponte de Lima prestaram socorro com dois operacionais e uma vitura.

A GNR tomou contada ocorrência.

Continuar a ler

Populares