Seguir o O MINHO

Alto Minho

Meia centena de ativistas marchou contra touradas em Viana

em

Meia centena de ativistas dos direitos dos animais marchou este sábado, pelas ruas de Viana do Castelo, para sensibilizar a população contra as corridas de touros, na primeira cidade do país a declarar-se antitouradas.

Promovida pelo grupo antitouradas de Viana do Castelo, a manifestação pacífica, controlada de perto por agentes da PSP local, fardados e à civil, começou cerca das 13:00 na estação de caminho-de-ferro da cidade.

A ação, que incluiu a distribuição de folhetos informativos, terminou na Praça da República, em pleno centro histórico, com uma representação teatral para chamar a atenção “para a dor infligida aos animais durante uma tourada”.

Oito ativistas deitaram-se no chão numa encenação em que apareciam com sangue e com “ferros” (utilizados nas corridas) espetados nas costas, despertando a atenção de quem passava pelo local.

“Este teatro pretende alertar as pessoas para o sofrimento a que são sujeitos os touros. As pessoas têm que se colocar no lugar do animal para sentir o que sentem, no momento”, afirmou a porta-voz daquele grupo local, Ana Macedo.

A iniciativa foi convocada na sequência do anúncio de realização de uma tourada na cidade, no dia 23 de agosto, promovida por um grupo local de aficionados.

No final do protesto pacífico, Ana Macedo manifestou-se “satisfeita” com o resultado da ação de sensibilização, e anunciou uma manifestação de protesto no dia da corrida de touros, prevista para a veiga da Areosa, e indeferida a semana passada pela Câmara Municipal.

 

Populares