Seguir o O MINHO

Barcelos

Médico recusa culpas na morte de paciente de Barcelos e fala de “algo fora do comum”

Mãe da vítima reclama indemnização próxima dos 130 mil euros

em

Foto: Ilustrativa / Arquivo

Um dos três médicos acusados pela morte de um homem de Barcelos, de 32 anos após uma operação rejeitou hoje, num tribunal do Porto, responsabilidades no desfecho, imputando-o a “algo de súbito e fora do comum”.


Três médicos e uma enfermeira começaram hoje a ser julgados no Tribunal do Bolhão, no Porto, acusados de homicídio por negligência, na sequência da morte de Manuel Carvalho, técnico de informática, poucas horas depois de uma dupla cirurgia, com uma única anestesia, numa unidade de saúde do setor social daquela cidade.

Para o cirurgião José Alberto Cunha, o único arguido a falar nesta primeira sessão de julgamento, a imputação do MP baseou-se em duas perícias médico-legais com “algumas incorreções”.

A dupla cirurgia, com uma única anestesia, afirmou, foi “devidamente ponderada” porque o paciente era “um “rapaz novo”, sem grandes problemas.

“Nunca nos passou pela cabeça que estas complicações surgiriam. Não sabemos o que se passou, nem o próprio relatório de autópsia consegue provar a causa da morte”, anotou.

O processo remete para 2010, ano em que o otorrinolaringologista de Barcelos Carlos Martins de Freitas diagnosticou problemas crónicos de amígdalas e uma tumefação da tiroide ao paciente, sugerindo que fosse observado pelo cirurgião José Alberto Cunha, que exercia na Ordem de São Francisco, no Porto.

Dessa observação resultou a sugestão, aceite pelo homem, de que fosse sujeito a uma amigdalectomia e a uma tiroidectomia totais com um único ato anestésico.

A intervenção cirúrgica ocorreu na Ordem de São Francisco entre as 17:45 e as 21:15 de 08 de outubro de 2010, aparentemente sem problemas, que viriam a surgir e a multiplicar-se pouco depois até provocarem a morte do paciente às 06:35 da madrugada seguinte, refere o MP.

Mas, segundo José Alberto Cunha, “às cinco da manhã o doente estava perfeitamente bem”.

“Não sei o que se passou entre as 05:00 e as 05:40, mas foi algo de súbito e fora do comum”, acrescentou.

Além dos três médicos, o MP corresponsabiliza pela morte a enfermeira Lúcia Pinto Teixeira.

O início do julgamento esteve marcado para setembro e outubro de 2018, mas acabou reagendado para hoje para o tribunal conhecer um relatório pedido ao Instituto de Medicina Legal e ouvir peritos.

Na acusação, o MP sublinha riscos acrescidos das duas cirurgias no mesmo tempo anestésico para concluir que se impunha uma monitorização permanente do paciente muito além do período em que ocorreu (até ao princípio da madrugada).

O MP acusa mesmo os arguidos de falharem a prudência devida, numa postura que diz ser de “clara” incúria.

A mãe da vítima reclama uma indemnização global próxima dos 130 mil euros.

O julgamento, que prosseguia cerca das 16:00, tem novas sessões agendadas para quinta-feira, dia 12, às 09:30, e ainda para 16 de setembro (14:00), 17 (14:00), 19 (09:30), 20 (09:30), 23 (14:00), 27 (09:30) e 30 (14:00). Já em outubro, há audiências marcadas para os dias 1 (14:00), 4 (09:30) e 7 (14:00).

 

Notícia atualizada às 18h18.

Anúncio

Barcelos

Festival de blues na margem do Cávado em Barcelos com três bandas nacionais

‘River Blues’

em

L-Blues. Foto: DR

Três bandas portuguesas compõem o cartaz da edição 2020 do Festival River Blues, que vai decorrer em 28 e 29 de agosto na frente ribeirinha de Barcelos, anunciou hoje o município.

No primeiro dia, atuam os “The Smokestackers”, um duo formado por João Belchior e Diogo Mão de Ferro, ea banda nortenha “L-Blues”.

No dia 29, o palco será dos “Delta Blues Riders”.

Nas edições anteriores, já passaram por Barcelos nomes como Jean-Paul Rena, Quantic Mode, Minneman Blues Band, L-Blues, António Mão de Ferro, Just Soul Orchestra, Budda Power Blues, Nuno Andrade, Blues Drive e Vitor Bacalhau.

Continuar a ler

Barcelos

Feira de Barcelos volta a registar longas filas para entrar no recinto

Covid-19

em

Foto: O MINHO

A feira semanal de Barcelos voltou a registar na manhã desta quinta-feira longas filas para entrar no recinto, devido às medidas de segurança e higiene para contenção da pandemia de covid-19.

As filas, como documentam as fotografias recolhidas por O MINHO, registavam-se em todas as entradas.

Como o nosso jornal noticiou, na semana passada, registaram-se longas filas para entrar na feira de Barcelos, sendo que o tempo de espera podia chegar até uma hora.

Foto: O MINHO

Foto: O MINHO

A feira de Barcelos, uma das maiores e mais antigas do país, foi retomada em pleno no dia 28 de maio, após uma fase em que esteve totalmente encerrada e outra que funcionou apenas com o setor alimentar.

Em agosto, com a chegada de muitos emigrantes e afluência de turistas, a feira de Barcelos costuma ser ainda mais concorrida que o habitual.

A adaptação da feira à pandemia implicou um aumento da área de venda, de forma a acolher os 650 feirantes.
O recinto foi vedado e as saídas e entradas são identificadas e monitorizadas por funcionários do Município e por agentes da PSP.

Filas de uma hora para entrar na Feira de Barcelos

Para aceder ao recinto é obrigatório o uso de máscara ou viseira e a desinfeção das mãos, tendo sido disponibilizado desinfetante nas entradas, com doseadores automáticos, refere a autarquia.

Microfeiras de Artesanato

Desde a semana passada, a Câmara de Barcelos promove um ciclo de microfeiras de artesanato, a realizar-se todas as quintas-feiras do mês de agosto, no Largo da Porta Nova, entre as 10:00 e as 16:00, que tem como objetivo suprir os efeitos que a pandemia do covid-19 teve numa das atividades económicas que mais sofreu com a pandemia, o artesanato.

Cada feira é composta por seis artesãos, de forma rotativa, abrangendo o maior número possível de artesãos. Estes apresentam o seu trabalho ao vivo, chamando a atenção dos milhares de pessoas que passam na cidade e na Feira de Barcelos.

O artesanato é uma parte integrante da cultura barcelense, inspirado nos mais variados temas da cultura e da sociedade e constitui uma manifestação da criatividade ímpar de comunidade artesanal, que faz de Barcelos, neste âmbito, uma das principais referências a nível nacional.

Continuar a ler

Barcelos

Idoso morre em acidente com trator em Barcelos

Óbito

em

Foto: Vítor Vasconcelos / O MINHO

Um homem de 89 anos morreu após despiste de um trator, na manhã desta quinta-feira, em Panque, Barcelos.

Ao que O MINHO apurou, o veículo caiu a uma ravina ao rio Neiva, numa altura entre 40 a 50 metros.

A vítima é residente na freguesia de Panque.

Teria ido a uma oficina naquela localidade e, em circunstâncias ainda por apurar, entrou em despiste e caiu na ravina.

Foto: Vítor Vasconcelos / O MINHO

Foto: Vítor Vasconcelos / O MINHO

O acidente deu-se na Estrada Municipal 547-2 que liga aquela localidade a Sandiães, Ponte de Lima.

O alerta foi dado às 10:39.

No local estão os Bombeiros de Barcelos, VMER de Barcelos, INEM e GNR, num total de seis viaturas e 15 operacionais.

Notícia atualizada às 13h01 com mais informação.

Continuar a ler

Populares