Seguir o O MINHO

País

Medicamento recomendado contra a covid vai custar cerca de 2 mil euros por paciente

Remdisivir

em

Foto: DR

O medicamento Remsedivir, o primeiro recomendado pela Agência Europeia do Medicamento contra a covid-19, terá um custo estimado de 2.082 euros por tratamento de cinco dias a cada paciente, anunciou a farmacêutica responsável pela criação.

De acordo com a Gilead Sciences, citada pela agência Bloomberg, este fármaco, que já está a ser utilizado em Portugal em “doentes graves”, terá um custo de 2.340 dólares, com cada frasco a ser vendido a 390 (347 euros) aos países que o solicitem.

A empresa assegura que este preço “fixo” serve para evitar negociações que inflacionem o preço consoante o país, garantindo que “nada falhe” para chegar aos doentes em todo o mundo.

Segundo Daniel O”Day, CEO da farmacêutica, este medicamento permite poupar cerca de 10 mil euros por paciente ao Estado, uma vez que os doentes internados passam a ter alta mais cedo. Esta tese está sustentada cientificamente por um estudo publicado no Journal of Medicine de New England, que aponta quatro dias como período ‘ganho’ por doentes com este tratamento.

A empresa diz ainda que o preço é reduzido ao estipulado anteriormente, para possibilitar o acesso do medicamento a todos os países com menor poder de compra.

Cada tratamento por paciente implica um tratamento de cinco dias utilizando seis frascos a 347 euros cada, isto tratando-se de compra por parte do Estado de cada país.

Caso seja uma empresa privada a adquirir o fármaco, o valor sobe para 462 euros por cada frasco, chegando a um total de 2.777 euros por paciente.

O medicamento é um antiviral e já é utilizado em Portugal, de acordo com Graça Freitas, diretora-geral da Saúde. Na conferência de imprensa do passado dia 26 de junho, a responsável explicou que o Remdesivir tem sido utilizado em doentes graves e tem dado resultados positivos.

Também a ministra da Saúde, Marta Temido, indicou que o Governo está à espera da autorização da Comissão Europeia para a utilização deste medicamento em massa, salientando que já existe um programa definido para a compra do mesmo para disponibilizar pelo Serviço Nacional de Saúde.

Populares