Mau tempo: Queda de árvore mata condutor em Setúbal

Montijo
Foto: DR / Arquivo

A queda de uma árvore no Montijo, distrito de Setúbal, matou, esta quinta-feira, o condutor de um veículo pesado, revelou a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), que já contabilizou 2.941 ocorrências devido ao mau tempo.

“Temos o registo de vítima mortal em Canha, concelho do Montijo, devido à queda de uma árvore sobre um veículo pesado de mercadorias, às 15:55 de hoje”, disse à Lusa o comandante Rui Laranjeira, da ANEPC.

Segundo o Comando-Geral da GNR, a vítima tem 50 anos e o acidente, um despiste, ocorreu na sequência da queda de uma árvore.

Rui Laranjeira adiantou à Lusa que “entre as 15:00 de ontem [quarta-feira], quando se iniciou o alerta especial emitido pela ANEPC, e as 17:00 de hoje registaram-se um total de 2.941 ocorrências, sendo que os distritos mais afetados são Porto, Braga, Aveiro, Coimbra e Viana do Castelo”.

“O Porto bate as ocorrências, com 721”, referiu, esclarecendo que “as quedas de árvore são mais de metade das ocorrências registadas” neste período, 1.651.

O comandante da ANEPC afirmou que a Proteção Civil não tem “para já registo de feridos”, sendo que o número de desalojados é de “nove em Almada e sete em Santo Tirso”.

Neste âmbito, Rui Laranjeira admite que “poderá haver outros números” de desalojados por parte de Serviços Municipais de Proteção Civil sem que tenha sido necessário intervenção de meios de socorro.

O responsável pela Proteção Civil admitiu que preocupa, neste momento, “os efeitos do vento que tenderão a agravar o número de ocorrências de quedas de árvores e quedas de estruturas”, que já conta com “um número significativo, 530 ocorrências”, e ainda os leitos de cheia.

Neste caso, exemplificou que “as bacias do Vouga e do Mondego estão a encaixar grandes volumes de água, pelo que poderão ocorrer inundações pontuais nos locais historicamente vulneráveis”.

“Estamos também a acompanhar a ribeira de Alcantarilha, distrito de Faro, que está a evoluir favoravelmente”, acrescentou, referindo que os distritos mais afetados “causam preocupação”, mas advertiu que “os efeitos estão a sentir-se cada vez mais a sul do território”.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou hoje sob aviso vermelho nove distritos, em diferentes períodos do dia, devido à previsão de chuva forte e rajadas de vento superiores a 100 quilómetros por hora.

No Alentejo, Beja e Portalegre integram o “lote” de distritos sob aviso laranja para precipitação, vento ou agitação marítima, enquanto só com avisos amarelos está o distrito de Évora.

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil alertou na quarta-feira a população para o agravamento das condições meteorológicas, com precipitação forte e persistente, vento forte nas terras altas e agitação marítima forte em toda a costa.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Telhados arrancados e postes de eletricidade vergados no distrito de Braga

Próximo Artigo

Uma hora de precipitação 'violenta' inundou cidade de Braga

Artigos Relacionados
x