Seguir o O MINHO

Desporto

Marta Paço campeã da Europa de surf adaptado

Surfista é cega de nascença

em

Foto: Facebook

A surfista portuguesa Marta Jordão Paço, de 14 anos, conquistou hoje a medalha de ouro na classe AS-VI no primeiro campeonato europeu de surf adaptado, a decorrer, na Praia do Cabedelo, em Viana do Castelo.


Em declarações à agência Lusa, o presidente da Federação Portuguesa de Surf, João Aranha, adiantou que a atleta natural de Viana do Castelo, invisual, “entrou na primeira bateria do dia, tendo-se sagrado campeã europeia individual feminina e, após disputar a o no Open AS-VI com os atletas masculinos, alcançou o terceiro lugar no primeiro campeonato europeu de surf adaptado”.

A entrega dos prémios está marcada para as 16:00, no Centro de Alto Rendimento de Surf de Viana do Castelo, na Praia do Cabedelo, na margem esquerda do rio Lima.

Além de Marta Jordão Paço, a seleção lusa é composta por Nuno Vitorino, Camilo Abdula e Nuno Maltez.

Segundo João Aranha, Camilo Abdula é vice-campeão europeu na classe AS1, Nuno Maltez, na categoria AS4, foi quarto da geral e Nuno Vitorino sagrou-se campeão europeu na categoria AS 5 Assist.

Por equipas, a seleção nacional conquistou a medalha de bronze.

O presidente da Federação Portuguesa de Surf referiu que o 1.º European Adaptive Surfing Championship foi um “sucesso”, destacando a organização “exemplar” do Surf Clube de Viana (SCV), e da “Câmara de Viana do Castelo que apoiou o evento desde o primeiro minuto”.

“Para a seleção portuguesa foi muito bom. Os atletas da seleção nacional foram todos à final e o resultado de uma equipa que tem metade da dimensão das outras, o terceiro lugar, é muito bom”, destacou João Aranha.

O primeiro campeonato europeu de surf adaptado começou no dia 21 com a presença de seis seleções nacionais, entre Portugal, Espanha, Itália, França, Reino Unido e Alemanha.

O primeiro campeonato europeu de surf adaptado é organizado pela Câmara Municipal, pelo Surf Clube de Viana, Federação Europeia de Surf, a Federação Portuguesa de Surf, a Federação Portuguesa de Desporto para Pessoas com Deficiência, o Instituto Português do Desporto e Juventude, o Comité Paralímpico de Portugal.

Marta João Paço conquistou, em dezembro de 2018, a medalha de bronze no mundial de surf adaptado, nos Estados Unidos. Na altura, apenas com 13 anos e cega de nascença, Marta Jordão Paço foi a atleta mais jovem do ISA World Adptative Surfing Championship, que decorreu na praia de La Jola,em San Diego, Califórnia.

Em janeiro último, a Câmara de Viana do Castelo atribuiu-lhe à jovem, natural da freguesia de Outeiro, o título de Cidadã de Mérito, a personalidade “mais nova de sempre” a receber aquele título honorífico de Viana do Castelo.

 

Notícia atualizada às 16h45 com mais informação

Anúncio

Futebol

Vizela renova com médio André Soares por mais uma temporada

II Liga

em

Foto: FC Vizela / Facebook

O médio André Soares renovou por uma temporada com o Vizela, anunciou hoje o clube que foi promovido à II Liga portuguesa de futebol.


O médio ofensivo português, de 30 anos, que na presente temporada na equipa minhota alinhou em 25 jogos e apontou 11 golos, sendo um dos melhores marcadores do plantel, vai assim cumprir terceira temporada consecutiva no emblema vizelense.

“É com enorme orgulho que vou continuar a defender o clube e a cidade de Vizela. Queria agradecer todo o apoio que sempre nos deram. Apesar da temporada atípica, conseguimos atingir os nossos objetivos. O trabalho não acaba aqui. Vamos à procura de mais e de novos sonhos”, disse o médio em declarações ao site do clube.

André Soares, que faz parte da sua formação no Sporting de Braga e Benfica, conta no seu currículo com passagens por Marítimo, Gil Vicente, Famalicão, Servette, da Suíça, entre outros.

Além desta renovação com André Soares, o emblema vizelense já tinha anunciado a continuidade do guarda-redes Ivo Gonçalves, dos avançados Diogo Ribeiro, Tavinho e Kiko Bondoso, dos médios Ericsson e Zag, dos defesas Kiki e João Pedro e a contratação de Richard Ofori, lateral esquerdo ex-Fafe.

O Vizela, a par do Arouca, foi indicado pela Federação Portuguesa de Futebol para a subida à II Liga Portuguesa de Futebol, depois do Campeonato Portugal, onde militava, ter sido interrompido, devido à pandemia de covid-19.

À data da suspensão da prova, o Vizela liderava a Série A com 60 pontos (mais oito que o segundo classificado Fafe), enquanto o Arouca estava em 1º lugar na Série B com 58 pontos (mais oito que o Lusitânia de Lourosa).

Continuar a ler

Futebol

Portimonense quer “mudar imagem negativa” frente ao Gil Vicente

I Liga

em

Paulo Sérgio. Foto: Portimonense / Facebook

O treinador do Portimonense assegurou hoje que a equipa se preparou “no máximo das suas possibilidades” para reiniciar a competição na I Liga portuguesa de futebol, na receção ao Gil Vicente, na quarta-feira, “e mudar a sua imagem”.


“Sinto um grupo motivado, que se tem preparado no máximo das suas possibilidades para agarrar esta oportunidade, a de mudar a imagem negativa que temos neste momento, devido à posição classificativa”, disse o técnico dos algarvios.

Devido às restrições impostas para evitar a propagação da covid-19, a conferência de imprensa de antevisão ao jogo que marca o reinício da competição, decorreu apenas com a presença de um jornalista, tendo o clube cedido as declarações do treinador.

O Portimonense, 17.º classificado, com 16 pontos, recebe o Gil Vicente, nono, com 30, na quarta-feira, às 19:00, no estádio municipal de Portimão, três meses após a suspensão das competições desportivas.

Paulo Sérgio disse sentir no grupo uma grande motivação para sair da penúltima posição da classificação, e foi nesse sentido que se tem preparado “afincadamente ao longo de quatro semanas”.

“O grupo está ávido e ansioso para que o jogo venha e, sinceramente, acredito numa boa resposta do grupo”, sublinhou.

Para o treinador, “não adianta falar do que foi bem ou mal feito, isso não faz qualquer sentido neste momento, porque agora é olhar para o jogo, para a competição”.

“É aproveitar esta oportunidade para nos superarmos, para sermos melhores do que fomos até aqui, para sermos mais capazes, mais solidários, mais guerreiros”, alertou.

Paulo Sérgio revelou que, face às recomendações das autoridades de saúde, durante duas semanas os treinos de preparação decorreram em grupos de seis, o que motivou que houvesse criatividade na concretização de exercícios que refletissem a forma de jogar da equipa.

“Acredito que o trabalho foi bem feito, tal como acredito numa boa resposta dos atletas, independentemente do sistema que venha a ser utilizado”, referiu.

O treinador admitiu que “todos os jogadores possam não estar no ideal da sua forma física, embora, salvo algumas exceções, todos tivessem começado a treinar ao mesmo tempo, sendo a questão física igual para todos”.

“Acredito que todos possamos não estar no ideal, mas não queremos olhar para isso como desculpa ou para arranjar conforto para algo de menos bom que possa acontecer”, alertou.

Paulo Sérgio sublinhou que o importante “é pensar positivo, o grupo focar-se no trabalho, naquilo que está a ser desenvolvido, acreditar que a união faz a força e atingir os resultados que permitam sonhar com a permanência” na I Liga.

“Não queremos terminar a época com esta imagem, de um clube que perde, que está nas últimas posições. Queremos mudar, porque temos carreiras para construir, objetivos para alcançar e queremos acima de tudo, que a cidade de Portimão tenha futebol na I Liga na próxima temporada”, destacou.

O técnico acrescentou que as ausências dos médios Pedro Sá e de Bruno Costa, habituais titulares, não vão influenciar a forma de jogar da equipa, porque “são tão fundamentais como todos os outros que vão jogar na posição deles”.

“Não estamos aqui para arranjar desculpas”, concluiu.

Nas restantes jornadas, os algarvios vão defrontar Benfica (em casa), Santa Clara (fora), Marítimo (casa), Famalicão (fora), Vitória de Guimarães (casa), Rio Ave (fora), Boavista (casa), Paços de Ferreira (fora) e Desportivo das Aves (casa).

O Governo autorizou a realização à porta fechada dos 90 jogos do campeonato, que é liderado pelo FC Porto, com um ponto de vantagem sobre o campeão Benfica, e da final da Taça de Portugal, entre ‘dragões’ e ‘águias’, tendo excluído a continuidade da II Liga.

Continuar a ler

Desporto

Clube de Darque “desconhece” agressão a campeão do mundo de canoagem em Viana

Canoagem em pé de guerra

em

Sérgio Maciel. Foto: DR

O Darque Kayak Clube (DKC) afirma desconhecer “a existência de qualquer agressão” por parte do pai de um seu atleta a Sérgio Maciel, campeão mundial de maratonas C1 sub-23, em canoagem, em Viana do Castelo.


Em comunicado, a DKC diz que “injuriaram” o seu atleta, uma criança de nove anos e, “neste contexto, poderá, por mera hipótese académica, o pai da criança, ter ido pedir satisfações aos que alegadamente injuriaram o seu filho”.

A polémica estalou no fim-de-semana, quando o Viana Garças Clube (VGC) denunciou que o pai de um atleta do DKC agrediu Sérgio Maciel e que já apresentara queixa junto das autoridades policiais.

Segundo a nota do VGC, durante o treino de sábado, esteve em iminência uma colisão entre canoístas do DKC, ocorrência que terá sido imputada a Sérgio Maciel e ao pai, após se terem cruzado com esses atletas de formação no rio Lima.

“Os nossos atletas tentaram explicar a situação, em que o aparecimento súbito da margem direita do canal, de jovens e um treinador do DKC, potenciou uma colisão entre todos, mas que foi evitada pela destreza de Sérgio Maciel e pai”, argumenta o clube.

Campeão do mundo agredido após evitar colisão entre canoas em Viana

Na resposta, a DKC emitiu um comunicado em que começa por dizer que “condena sempre a violência” e que, “relativamente a um hipotético incidente de um pai de atleta nosso a um antigo campeão de canoagem e seu pai, a DKC desconhece a existência de qualquer agressão”.

O clube de Darque alega que, “quase após colidirem com ele(s), no treino, vociferaram à(s) criança (s), expressões do tipo “Sai da frente Puto”!!!! Estás aqui a estorvar”!!! e “PUTA QUE PARIU”!!!!”.

Segundo o clube, o pai do atleta de nove anos terá registado na PSP essas altercações “com intenção de participar da conduta desses senhores que se colocam muitas vezes no meio dos atletas da DKC”.

A DKC acrescenta que “sempre primou pela defesa de valores de respeito, boa formação e ética no desporto” e que os seus técnicos e atletas resistem “às repetidas provocações” de que são alvo.

“Acontece que DKC não costuma fazer alarde e vitimizar-se na comunicação social”, refere o clube, salientando “os seus dirigentes e treinadores, infelizmente já foram duas vezes agredidos, injuriados e vitimas de crime de dano”, mas os casos foram tratados na justiça para não “distorcer a imagem da modalidade”.

Continuar a ler

Populares