Marítimo “chamado à terra” e totalmente focado na visita a Vizela

I Liga

O treinador do Marítimo disse hoje que “chamou à terra” os jogadores que venceram o Sporting na última ronda da I Liga de futebol, adiantando que os ‘leões’ pertencem ao passado e que o foco está no Vizela.

“Na semana passada já estavam muito focados e com uma entrega total ao treino e esta semana senti que havia de os chamar novamente à terra e apelar à concentração”, afirmou José Gomes, quando questionado se a equipa estava diferente após a vitória diante do Sporting (1-0) na última jornada, a segunda na presente temporada.

O técnico natural de Matosinhos assegurou tratar-se de uma situação normal, tendo em conta o passado recente dos ‘verde rubros’ que “andaram muitas semanas em sofrimento e ansiedade à procura de um resultado positivo”.

Para José Gomes, o resultado alcançado diante da equipa lisboeta só será realmente valorizado se o Marítimo conseguir dar continuidade, sublinhando a importância de trazer o que foi bom para a identidade, já que apresentou “uma boa base para encarar o futuro”.

Em Vizela, o Marítimo deverá apresentar-se com alterações no ‘onze’ que alinhou na primeira vitória caseira, por questões médicas, segundo o ‘timoneiro’ dos madeirenses, que adiantou não se tratar de “nada impeditivo a 100%, mas limitador”.

O ponta de lança Percy Liza deverá ser a baixa mencionada por José Gomes, depois de ter saído com queixas do jogo com o Sporting e ter cumprido gestão de esforço no treino de quarta-feira e hoje apenas treino no ginásio.

O treinador, de 52 anos, abordou ainda a situação do Geny Catamo, que se encontra novamente a contas com uma lesão muscular, explicando que a continuidade do atleta passa por “uma decisão de direção desportiva, com base, seguramente, daquele que será o relatório médico”.

O jogador, que tem sido assolado por várias lesões, está cedido por empréstimo pelo Sporting desde o início da temporada, tendo alinhado em apenas 21 minutos com a camisola do Marítimo, diante do Casa Pia para a oitava jornada.
Ao adversário, José Gomes reconhece “um futebol muito atrativo e bem ligado”, qualidades que, segundo o técnico maritimista, já vem de Álvaro Pacheco, treinador que deixou os vizelenses no final de novembro, adiantando ainda que Tulipa trouxe “mais consistência e robustez defensiva”.

“Esperamos um Vizela que tem um registo nos últimos anos de um futebol extraordinário e positivo, com uma procura constante pelo golo. A esse futebol foi acrescentado equilíbrio defensivo”, explicou, enfatizando que o próximo adversário “é uma equipa com tendência a ficar mais forte”.

O Marítimo contratou sete jogadores desde novembro último, mas José Gomes acredita ser ainda necessário mais um reforço para o setor ofensivo, apontando lesões e castigos como possíveis problemas, realçando que “é sempre bom ter as armas necessárias para estar preparado”.

O Marítimo que se encontra na 17.ª e penúltima posição, com 10 pontos, a três do Santa Clara, primeira equipa acima da linha de despromoção, visita o Vizela, 12.º classificado com 18, no sábado, às 15:30, para a 16.ª jornada da I Liga.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

António Félix da Costa estreia-se na Porsche na primeira corrida da Fórmula E

Próximo Artigo

Ex-aluno do Politécnico de Viana apresenta peça na Bienal de Madrid

Artigos Relacionados
x