Seguir o O MINHO

Braga

Marca de jóias de Braga ‘ressuscita’ moda do “medalhão da avó”

Jóias

em

Foto: Divulgação / Julia Burduzha

A marca de joalharia Wonther, com sede em Braga, recuperou a tradição dos medalhões antigos que se usavam ao peito com uma fotografia de quem se amava, dando-lhe um novo ‘twist’.


Em comunicado enviado a O MINHO, a marca bracarense dá a conhecer os novos Good Vibes Locket, inspirados nos ‘medalhões da avó’, mas com pedras preciosas em lugar da tradicional fotografia.

Foto: Divulgação / Julia Burduzha

Produzido em material reciclado, como todas as peças da Wonther, tem o selo internacional de certificação de ética e de sustentabilidade, lançando assim uma nova coleção é lançada com três designs: rosa quartzo, malaquite e lápis lazúli.

“Há uma clara tendência do desejo de regresso às nossas raízes, associado à procura de uma melhor qualidade de vida. Esta coleção é um reflexo dessa procura, onde juntamos e valorizamos outros elementos da natureza: comumente conhecidos por cristais”, explica a fundadora da marca, Olga Kassian, de nacionalidade ucraniana mas a residir em Braga desde criança.

Foto: Divulgação / Julia Burduzha

Foto: Divulgação / Julia Burduzha

Foto: Divulgação / Julia Burduzha

“Esta coleção foi criada para nos lembrarmos que temos de sentir empatia por nós mesmos e que a busca do bem-estar individual é algo que devemos levar muito a sério, especialmente nos tempos que vivemos.”, acrescenta Olga Kassian.

Olga Kassian, fundadora da Wonther, veio da Ucrânia para Braga com os pais aos quatro anos. Aos 22 anos, a criadora reconhece que a marca que fundou “já recebeu reconhecimento internacional pela sua política ética e de sustentabilidade no setor”.

Lançada a 05 de novembro de 2019, a marca de jóias foi fundada por Olga depois de esta ter trabalhado em Nova Iorque quando tinha 19 anos, ao serviço de uma loja pop-up da marca de calçado Josefinas, também com sede em Braga.

Com peças entre os 35 e os 308 euros, é objetivo de Olga Kassian dar “sentimentos e emoções”, lembrando que as jóias não são só acessórios.

“Ao longo da minha vida sempre tive uma relação muito forte com aquilo que são os direitos das mulheres e acho que as joias conseguem transmitir emoções e significados muito preciosos”, disse à revista MAGG, em novembro do ano passado.

Olga Kassian. Foto: DR

Em agosto de 2020, numa entrevista dada ao jornal Observador, Olga esclarece que a sede é em Braga e que as vendas são feitas “sobretudo online”, embora conte com uma loja física no Brooklyn, em Nova Iorque. Os Estados Unidos e também Londres, no Reino Unido, são os principais mercados de venda da marca.

Recentemente, a Wonther lançou uma campanha onde desafia os cidadãos a venderem artigos em prata que já não usam, de forma a reciclar aquele material para novas peças de joalharia.

Anúncio

Braga

PJ faz buscas na Câmara de Vila Verde

Em causa adjudicações a juntas de freguesia

em

Foto: DR / Arquivo

A Polícia Judiciária está a fazer buscas na Câmara de Vila Verde relacionadas com “adjudicações a juntas de freguesia”, confirmou hoje à Lusa fonte daquela força policial.

Segundo a mesma fonte, as buscas estão a ser acompanhadas por duas magistradas do Departamento de Investigação e Ação Penal Regional (DIAP) do Porto, da secção de investigação económica e financeira.

Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara, António Vilela (PSD), não quis prestar declarações.

À Lusa, o vereador socialista Luis Castro adiantou que a reunião do executivo que devia ter tido lugar esta manhã foi cancelada.

“Quando chegámos para a reunião fomos informados que não haveria reunião porque estavam a ser feitas diligencias na câmara pela Polícia Judiciária”, disse.

Continuar a ler

Braga

Póvoa de Lanhoso apoia escolas com 32 mil euros

Combate à pandemia

em

Foto: DR / Arquivo

A Câmara da Póvoa de Lanhoso vai apoiar os dois agrupamentos de escolas do concelho com quase 32 mil euros para fazer face à “necessidade de medidas específicas” de combate ao novo coronavírus.

Em comunicado, aquela autarquia explica que se tratam de “subsídios, ordinários e extraordinários” destinados aos agrupamentos de escolas de Póvoa de Lanhoso e de Gonçalo Sampaio.

“Temos estado muito atentos ao funcionamento das escolas, bem como às necessidades dos Agrupamentos que nos são reportadas. Nesta fase pandémica que atravessamos temos feito tudo o que podemos, prestado todo o apoio possível, para que a comunidade escolar possa estar em segurança, não comprometendo o processo de ensino e aprendizagem”, refere no texto o presidente da, Avelino Silva.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,4 milhões de mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 4.577 em Portugal.

Continuar a ler

Braga

Incêndio destrói garagem e moto-quatro em Vila Verde

Oriz S. Miguel

em

Foto: DR

Um incêndio que deflagrou numa garagem ao início da madrugada desta quinta-feira destruiu uma moto-quatro, um atrelado e outros arrumos que estavam dentro da infraestrutura, em Vila Verde.

Ao que apurou O MINHO, o incêndio, com origem ainda por apurar, danificou a garagem de tal forma que a mesma terá de ser demolida devido aos danos estruturais. Também a zona da cozinha sofreu danos, mas sem grande significância.

O alerta foi dado às 00:03 para uma habitação situada perto da Igreja de Oriz São Miguel, no concelho de Vila Verde.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Pela 01:21, os Bombeiros de Vila Verde ainda se encontram no local com nove operacionais, uma viatura tática urbana e um veículo urbano de combate a incêndios.

Apesar de ter sido mobilizada por precaução uma ambulância da mesma corporação, não houve necessidade de utilização por não existirem feridos.

A GNR de Vila Verde está apurar as causas do incêndio.

Continuar a ler

Populares