Seguir o O MINHO

Braga

Manuel Beninger (Braga) distinguido pela Marinha do Brasil

Condecoração decorreu a bordo do Navio Escola Brasil

em

Foto: DR

Manuel Beninger, presidente da Associação dos Autarcas Monárquicos, associação com sede em Braga, recebeu a Medalha “Amigo da Marinha”, atribuída pela Marinha do Brasil, por despacho do Comandante da Marinha brasileira Contra-Almirante de Esquadra ILQUES Barbosa Júnior.


Fonte do organismo adiantou que a Medalha “Amigo da Marinha” foi criada em agosto de 1966 para agraciar personalidades civis e militares que se tenham distinguido no trabalho de divulgar a mentalidade marítima, no relacionamento e na defesa dos interesses atinentes à Marinha do Brasil e na divulgação da importância do mar e das águas para o desenvolvimento do País.

A cerimónia de imposição da condecoração decorreu a bordo do Navio Escola Brasil, atracado no Cais Rocha Conde D’ Óbidos em Lisboa, no passado dia 24 de outubro, e foi presidida pelo Embaixador do Brasil em Portugal Luiz Alberto Figueiredo Machado, na presença do Adido de Defesa e Naval do Brasil Capitão-de-Mar-e-Guerra Hermes Pacheco Pereira de Oliveira.

“Receber uma medalha de uma instituição como a Marinha, que tem uma grande história não só como força armada, mas também com pesquisa, proteção ao meio ambiente e trabalhos sociais, é um grande orgulho”, afirmou Beninger.

A história da Marinha brasileira começa ainda no século XVIII, em 28 de julho de 1736, quando D. João V, rei de Portugal, criou a Secretaria de Estado dos Negócios da Marinha e Domínios Ultramarinos, data que é considerada um dos primeiros marcos legais ligados à origem da Marinha Brasileira.

No entanto, foi em 1808, com a transferência da família real portuguesa para o Rio de Janeiro, que a Marinha Brasileira deu um salto em sua estrutura. Com a vinda do rei D. João VI, grande parte da estrutura e do pessoal da Marinha Lusa também foi transferida para o Brasil. Essa estrutura seria a base, durante e após a independência, da Marinha Imperial brasileira.

Anúncio

Braga

Braga quer “utilidade pública” para terreno do futuro quartel dos Bombeiros

Obras públicas

em

Foto: DR / Arquivo

O Município de Braga vota, segunda-feira, em reunião do Executivo, uma   proposta de reconhecimento do interesse público da construção do novo   quartel dos Bombeiros Voluntários num terreno em Cachada, São Paio de Arcos.

A iniciativa, que partiu do vereador Miguel Bandeira, terá, depois, de ser aprovada pela Assembleia Municipal. Visa, diz o documento a debater, criar condições para que a sua função – a de uso do solo – seja alterada no PDM-Plano Diretor Municipal onde consta, desde 1994 como terreno rural, integrando a RAN (Reserva Agrícola Nacional), a REN (reserva ecológica nacional) e a APA (Agência Portuguesa do Ambiente), neste caso, no que toca ao domínio hídrico.

Embora o PDM de 2015 tenha alterado o uso do solo para zona de equipamento, aquelas três condicionantes obrigam a que a mudança tenha de ser ratificada pela Secretaria de Estado do Ordenamento do Território.

Conforme O MINHO já revelou, o Município vai aumentar, em 2020, o subsídio anual atribuído aos Bombeiros Voluntários, de 15 para 20 mil euros e, em 2022, esse valor duplicará, chegando aos 30 mil euros.

Recorde-se que, o edifício do atual quartel será transformado em hotel.

Na reunião de vereadores estão, ainda, em análise, os relatórios anuais de contas das empresas municipais; a proposta de Investimento Social no âmbito do Programa de Parcerias para o Impacto aprovadas pelo ‘Portugal Inovação Social’; a transferência da gestão do gnration para o Theatro Circo, o protocolo de colaboração entre o Município e a Associação Florestal do Cávado; contratos inter-administrativos de delegação de competências com várias freguesias e propostas de apoios financeiros.

Continuar a ler

Braga

Homem ferido após queda em cascatas no Gerês

Vilar da Veiga

em

Foto: Cruz Vermelha de Rio Caldo

Um homem sofreu ferimentos na sequência de uma queda nas cascatas do Tahiti, esta tarde de sábado, no Gerês, disse a O MINHO fonte do CDOS de Braga.

Para o local, conhecido como Fecha das Barjas, na freguesia de Vilar da Veiga, concelho de Terras de Bouro, foram acionados meios da Cruz Vermelha de Rio Caldo e dos UEPS da GNR (antigos GIPS).

O homem encontrava-se “consciente e orientado” e foi considerada um “ferido ligeiro”, disse o CDOS a este jornal.

Foi transportado para o Hospital de Braga pela ambulância da Cruz Vermelha.

(notícia atualizada às 20h34)

Continuar a ler

Braga

Banhistas aglomerados consomem álcool na praia de Adaúfe em Braga. Polícia teve de intervir

Estado de Alerta

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

A Polícia Municipal de Braga teve de intervir, esta tarde de sábado, para dispersar um “elevado número” de banhistas que se encontravam na praia fluvial de Adaúfe por não estarem a cumprir as normas decretadas pelo Governo face à pandemia de covid-19.

Ao que apurou O MINHO, os banhistas não só não estavam a cumprir a regra de distanciamento social, criando aglomerados, como consumiam álcool na praia, outra situação proibida pelo decreto-lei aprovado em Conselho de Ministros face ao Estado de Alerta.

A polícia foi chamada à praia a meio desta tarde e sensibilizou os banhistas para o cumprimento das regras, não havendo necessidade de multar ninguém.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Os agentes da autoridade, que se deslocaram em grande número, falaram ainda com o gerente que explora o bar daquela praia, sensibilizando o mesmo para que não permita o consumo de bebidas alcoólicas fora da esplanada.

No final da ação de sensibilização, a autoridade teve de rebocar um carro que se encontrava a bloquear a saída de outro, no parque de estacionamento daquela praia.

Continuar a ler

Populares