Seguir o O MINHO

Desporto

Mamona iguala melhor marca pessoal do ano no triplo no nacional de clubes em Braga

em

Foto: DR/Arquivo

A atleta Patrícia Mamona, do Sporting, igualou este domingo a sua melhor marca do ano no triplo salto, conseguindo atingir os 14,19 metros, durante o campeonato nacional de clubes, em Braga.


Na segunda jornada da competição, Mamona superou toda a concorrência, e praticamente no primeiro salto, quando atingiu a marca de 13,98, garantindo, depois, um triunfo final folgado sobre as mais diretas adversárias: Shaina Mags, do Benfica, e Juliana Brites, da Juventude Vidigalense.

A atleta do Sporting, atingiu a marca de 14,19 metros no seu terceiro salto, igualando a distância conseguida, ainda esta semana, no ‘meeting’ de Sotteville-les-Rouen, em França.

“Comecei bem, com um salto que praticamente me garantiu a vitória. Depois, tentei competir mais pessoalmente, para conseguir uma boa marca, a melhor do ano se fosse possível. Igualei-a, mas o objetivo era os 14,20. Ainda assim, senti confiança para estar bem nos Europeus”, disse a ‘leoa’.

Precisamente sobre a sua presença no Campeonato da Europa de Atletismo, que acontece no próximo mês, em Berlim, na Alemanha, Patrícia Mamona acredita que se apresentará em competição “nas melhores condições”.

“Tive pouco tempo para treinar, mas tenho recuperado muito bem. Tenho conseguido estar estável, acima dos 14 metros, e mesmo sabendo que as duas semanas antes do Europeu vão ser muito difíceis, sinto que estou mais perto do objetivo de estar no campeonato nas melhores condições e com forças lutar pelo título”, prometeu a detentora do título europeu do triplo.

Anúncio

Futebol

CMVM levanta suspensão das ações da Benfica SAD

Operação ‘saco azul’

em

Foto: DR / Arquivo

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários levantou a suspensão das negociações de ações da Benfica SAD, suspensas desde terça-feira, quando foi divulgado que o presidente do clube e a SAD tinham sido constituídos arguidos por fraude fiscal.

Na nota hoje divulgada no ‘site’, a CMVM explica que decidiu levantar a “suspensão da negociação das ações Sport Lisboa e Benfica – Futebol SAD e outros instrumentos relacionados, na sequência da divulgação de informação relevante”.

Na terça-feira, a Procuradoria-Geral da República confirmou a constituição de três arguidos, uma pessoa singular e duas coletivas, por fraude fiscal, no âmbito da operação ‘saco azul’, que envolve o Benfica.

Continuar a ler

I Liga

FC Porto pode assegurar título no ‘clássico’ com o Sporting

I Liga

em

Foto: Twitter / FC Porto

O FC Porto pode celebrar hoje a conquista do seu 29.º título nacional, precisando para isso de pontuar na receção ao Sporting, no ‘clássico’ da 32.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, a partir das 21:30.

Os ‘azuis e brancos’ chegam ao ‘clássico’ após quatro vitórias seguidas e seis jogos sem perder – foram apenas derrotados pelo Famalicão na retoma do campeonato -, enquanto os ‘verde e brancos’ ainda não perderam nos oito jogos sob o comando de Rúben Amorim, contando seis vitórias e dois empates.

O embate entre ‘dragões’ e ‘leões’ vai ser arbitrado pelo barcelense João Pinheiro, da associação de Braga.

Antes do jogo do Dragão, a partir das 19:15, o SC Braga, quarto classificado com 56 pontos, pode igualar provisoriamente os ‘leões’, caso vença na receção ao ‘aflito’ Belenenses, que ocupa o 14.º lugar, com 31 pontos, apenas mais um do que a primeira equipa abaixo da linha de despromoção.

Os bracarenses somam duas vitórias sob o comando de Artur Jorge, que substituiu Custódio Castro, enquanto os lisboetas perderam os últimos dois jogos e seguem numa série de seis sem vencer.

O primeiro jogo do dia vai opor o tranquilo Moreirense, oitavo classificado com 42 pontos, ao Paços de Ferreira, 13.º com 34, num encontro marcado para as 17:00.

A formação minhota não perde há cinco jogos, enquanto os pacenses chegam a este encontro em Moreira de Cónegos depois de sofrer uma goleada caseira frente ao SC Braga, por 5-1.

Resultados e programa da 32.ª jornada:

– Segunda-feira, 13 jul:

Marítimo – Rio Ave, 0-0.

Vitória de Setúbal – Famalicão, 1-2.

– Terça-feira, 14 jul:

Santa Clara – Desportivo das Aves, 3-0

Portimonense – Boavista, 2-1

Gil Vicente – Tondela, 3-2

Benfica – Vitória SC, 2-0

– Quarta-feira, 15 jul:

Moreirense – Paços de Ferreira, 17:00

SC Braga – Belenenses SAD, 19:15

FC Porto – Sporting, 21:30

Continuar a ler

Futebol

“Neste momento, não olhamos a ‘ses’”

Vítor Oliveira

em

Foto: DR

Declarações após o jogo Gil Vicente-Tondela (3-2), da 32.ª jornada da I Liga de futebol, disputado na terça-feira no Estádio Cidade de Barcelos, em Barcelos.

Vítor Oliveira (treinador do Gil Vicente): “A vitória foi justa, difícil e até podíamos ter sido penalizados no final. Tivemos 60 minutos de muita qualidade, mas depois esquecemo-nos de um aspeto fundamental: o futebol é um jogo coletivo.

Quando começámos a individualizar e a pensar mais com o umbigo do que com a cabeça, pusemo-nos a jeito. O mais importante era a seriedade que tinha de haver nestes jogos, porque está muita coisa envolvida para as equipas que lutam pela manutenção.

Nos últimos 25 minutos, não encarámos o jogo com a seriedade que seria exigida à nossa equipa, que chegou onde chegou porque mostrou sempre um grande sentido coletivo. Quando isso não aconteceu, demos barraca e mostrámos que somos fracos.

Vamos conversar sobre isso. Depois de 70 minutos de muito bom nível, em que fizemos três golos e até podíamos ter feito mais, acabámos com o credo na mão. Não nos entendemos, corremos disparatadamente sem nexo e o Tondela podia ter empatado.

Neste momento, não olhamos a ‘ses’. As coisas têm de ser como são e ganha quem marca mais golos. O Tondela entrou pressionado pela posição que ocupa na tabela, cometeu muitos erros, mas, se viesse cá tranquilo, também os cometeria”.

Gil Vicente volta a vencer e sobe ao nono lugar

Natxo González (treinador do Tondela): “Se demos uma hora de avanço? É verdade. O Gil Vicente foi muito superior no primeiro tempo. Mostrou ser uma equipa tranquila, feliz com o seu próprio jogo, com dinâmicas muito boas e sem qualquer responsabilidade.

O Tondela tinha muita necessidade de pontuar e não geriu isso muito bem. Pelo contrário, esteve com medo e o jogo desenrolou-se nesta toada até ao 3-0. Depois, veio ao de cima o orgulho, mas que não pode servir de consolo. Estamos todos muito dececionados.

Quando sentes que está tudo perdido e estás com o orgulho ferido, adotas outra atitude e arriscas mais nos duelos. Só que tínhamos de fazer isto desde o início e não apenas quando estávamos a perder. Precisamos de somar pontos e desta forma é impossível.

Esta situação é inquietante, mas, vendo a evolução da equipa, não me surpreende. Temos um objetivo difícil e estimulante pela frente. Há dois jogos decisivos e temos de somar pontos. Temos de pensar positivo, ainda que seja melhor não dizer o que sinto por dentro.

[Estreias absolutas de Jota e Telmo Arcanjo] É um prémio. Do que estava a ver no relvado, pior não iam fazer do que outros companheiros com maior trajetória no futebol. É um bom exemplo, pode ser decisivo para encarar o futuro e tenho de felicitá-los”.

Continuar a ler

Populares