Seguir o O MINHO

Braga

“Mais importante biblioteca particular sobre Braga” passa a estar disponível ao público

Na Biblioteca Pública de Braga

em

Imagem ilustrativa. Foto: DR / Arquivo

A Universidade do Minho vai ficar com o espólio bibliográfico de Afonso Manuel Braga da Cruz, considerado “a mais importante biblioteca particular sobre Braga”, um “honra” para o reitor daquela academia que realça o “potencial de estudo” da coleção.


Em declarações à Lusa, Rui Viera de Castro explicou que da coleção, que ficará a cargo da Universidade do Minho (UMinho), fazem parte mais de 20 mil obras, “muitas delas raras” e que desta forma poderão ser vistas, consultadas pelo público, naquela que “é também uma missão da universidade, a de conservação de novas obras e enriquecimento do espólio” da Biblioteca Pública de Braga.

Segundo referiu o reitor, “é um acervo riquíssimo do ponto de vista histórico e que pode dar uma visão única para entender a sociedade ao longo de várias épocas, nomeadamente em Braga, seja do ponto de vista económico ou social”.

Da biblioteca privada da família Braga da Cruz fazem parte manuscritos, folhetos e fólios de 1528 até à atualidade, incluindo um importante núcleo referente à história da cidade de Braga, publicações ligadas à literatura, com destaque para a camoniana e camiliana, à história de Portugal, genealogia e heráldica, numismática, arte e azulejaria, matemática, física, química, ciências naturais, agricultura e vinhos.

“Além de todo o conhecimento sobre a área geográfica onde estamos e sobre o país, fruto da vivência da própria família, há que destacar a possibilidade de também conhecer através daquele espólio a realidade de S. Tomé e Príncipe e ainda outras antigas colónias portugueses”, apontou Rui Vieira de Castro.

A biblioteca congrega ainda um leque de publicações referentes ao direito romano, civil, administrativo, penal, comercial e canónico, monografias de Lisboa, Porto, Coimbra, Guimarães, Barcelos, Gerês e Galiza, congregando constituições, vários sermões e livros ascéticos, assim como manuais sobre música sacra e profana, revistas dos séculos XIX e XX e vários dicionários.

O novo espólio da UMInho vai ficar instalado em duas salas, na zona onde se encontram acondicionadas as coleções particulares da Biblioteca Pública de Braga, no complexo do Largo do Paço.

“A nossa missão também é esta. Enriquecer o património da cidade, conservá-lo, dá-lo a conhecer ao público e também estudá-lo. Para a família é uma forma de garantir a salvaguarda de todo o espólio e que o acesso a ele seja mais livre e fácil. É uma relação de dias vias”, apontou o reitor.

Manuel António Braga da Cruz, pai de Afonso Manuel Braga da Cruz, nasceu em Tadim, Braga, em 1897. Terminou o liceu em 1915 e formou-se em Matemática em 1919. Casou em 1929 com Alice de Araújo Afonso, de quem teve sete filhos. Cedo optou pelo ensino, tendo sido professor em liceus nos Açores, em Viana do Castelo e, por fim, em Braga, no Liceu Sá de Miranda. Foi um homem de cultura, bibliófilo, apaixonado e possuidor da mais importante biblioteca particular sobre Braga. Insigne bibliófilo e estudioso da história da cidade e da região, faleceu em Braga em 1982.

A cerimónia de assinatura da passagem do espólio da família para a UMinho será sexta-feira às 18:00, no Largo do Paço.

Anúncio

Braga

ABB e Trofa Saúde em litígio sobre posse de prédio comprado por Domingos Névoa

Edifício no Porto destina-se a hotel ou residência sénior

em

Foto: DR / Arquivo

O edifício que está a ser construído em Campanhã pela construtora ABB-Alexandre Barbosa Borges, de Braga, e que originalmente se destinava a um hospital do grupo Trofa Saúde, vai albergar um hotel ou uma residência sénior.

O empresário Domingos Névoa, que comprou o prédio à ABB, revelou a O MINHO que tem duas “boas propostas, de empresas com credibilidade”, uma da área hoteleira outra da saúde para pessoas idosas, mas ainda não optou.

“A obra do prédio está ainda a 60 por cento. Tenho de ponderar bem as propostas e as garantias porque está em causa um investimento total de 40 milhões de euros”, sublinhou, manifestando-se confiante de que, em 2021, a solução será encontrada e o edifício começará a funcionar.

Posse em litígio

No entanto, a propriedade do edifício em construção em Campanhã está em disputa na Unidade Cível do Tribunal de Braga. A juíza marcou já uma audiência preliminar entre as partes para setembro e juntou numa só ação cível as duas que haviam sido intentadas, uma pela construtora, e outra, de sentido contrário, pelo grupo Trofa Saúde.

Em causa está a construção, pela ABB, de um edifício para um Hospital Privado daquele grupo empresarial de Saúde. Na primeira ação, a ABB pede ao Tribunal que anule o contrato com a Trofa Saúde e exige 2,5 milhões de euros de indemnização, conforme uma cláusula penal do contrato.

Uma segunda ação, esta interposta pelo grupo trofense, é uma ação pauliana – de anulação de negócio – que intentou no Tribunal de Braga contra a venda pela ABB II-Imobiliária à empresa Predi 5 (esta do universo de empresas de Domingos Névoa) do edifício em construção no Porto destinado a acolher o tal hospital.

Sobre este litígio, Névoa foi lacónico: “Comprámos à ABB, em quem confiámos, e que nos garantiu que o prédio em construção lhe pertence”.

PDM não permite

Contactada a propósito, a Câmara do Porto disse que ainda não recebeu qualquer pedido ou pré-projeto, quer para um hotel quer para uma residência sénior, reafirmando que o PDM, à partida, não permite nenhuma das soluções.

“Só com o projeto é que se pode aferir. Como o terreno está classificado como sendo de equipamento, pode acolher, por exemplo, um hospital sénior. Mas depende do projeto”, sublinhou fonte do Gabinete de Comunicação.

Continuar a ler

Braga

Campanha para comprar em Vila Verde com um total de 150 mil euros em descontos

Comércio (Com)Vida

em

Foto: Divulgação / AEVH

A AEVH – Associação Empresarial Vale do Homem e a Câmara de Vila Verde lançaram uma campanha de descontos no comércio local, como forma de contribuir para alavancar o tecido empresarial local.

Em comunicado, a AEVH que foram distribuídos mais de 30 mil panfletos pelas caixas de correio por todo o concelho.

Cerca de 50 lojas aderiram à campanha, “totalizando mais de 1,5 milhões de cupões de descontos incentivando à compra no comércio local”.

Segundo a AEVH, o valor total dos descontos pode ascender aos 150 mil euros.

Os interessados têm apenas que destacar o cupão pelo picotado e apresentá-los nas respetivas lojas aderentes.

“Estamos atentos à realidade que afetou o comércio local e queremos ajudar na retoma, em segurança, mas de forma consistente”, avança o presidente da AEVH, José Manuel Lopes, citado no comunicado.

O responsável acrescenta que “a AEVH tem estado atenta, desde o primeiro instante, ao impacto que a pandemia gerou na economia, sobretudo no período de confinamento”.

“Estamos atentos às necessidades do tecido empresarial da região, integrando um conjunto de iniciativas que têm sido levadas a cabo por esta Associação, com o objetivo de estar presente nesta fase tão difícil para os empresários e comerciantes”, salienta.

A campanha Comércio (Com)Vida, com a distribuição de vales descontos por todo o concelho, das lojas e comércios aderentes de Vila Verde, pretende levar os vilaverdenses a fazer compras no concelho.

“Só será possível uma retoma efetiva com a união de esforços de todos, com sentido de pertença, com sentido inequívoco da nossa identidade. O convite que AEVH vos endereça é este: Se é de Vila Verde, deve comprar cá, invista cá. É cá que quer crescer e ver crescer”, conclui José Manuel Lopes.

Continuar a ler

Braga

27 ‘aceleras’ em corridas ilegais na cidade de Braga ‘apanhados’ pela PSP

Crime

em

Foto: DR / Arquivo

27 condutores foram multados pela PSP por excesso de velocidade durante corridas ilegais na cidade de Braga, entre as 22:00 horas de ontem e as 02:00 horas desta madrugada.

Em comunicado, a PSP dá conta da operação de fiscalização para “incrementar a segurança dos cidadãos, prevenção e operacionalidade”.

Como resultado final da operação, para além dos 27 condutores multados por excesso de velocidade, houve ainda uma multa por alteração de características de uma das viaturas.

Continuar a ler

Populares