Seguir o O MINHO

Ponte de Lima

Mais de 60 anos depois, Ponte de Lima lança ao rio barco que ligava a vila a Viana

Maior barco do género no rio Lima

em

Foto: Florindo Sousa / Olhares (2015)

Uma réplica do barco “água arriba”, que antigamente fazia o transporte de pessoas e mercadorias no rio Lima, vai ser lançado à água, na sexta-feira, em Ponte de Lima, para “recuperar uma memória coletiva” e para fins turísticos.

“Há 60 anos que não existia uma “água arriba” nas águas do rio Lima. O nosso objetivo é recuperar uma memória coletiva associada à navegabilidade do rio e de toda a atividade comercial e social que existia nas margens do rio Lima, entre Ponte de Lima e Viana do Castelo”, afirmou hoje à agência Lusa o vereador da Câmara de Ponte de Lima, Paulo Sousa.

O “água-arriba” é uma construção artesanal que até meados do século XX assegurava o transporte de pipas, pelo rio Lima, das terras do interior até à foz, em Viana do Castelo, no Alto Minho.

“Já são escassos os exemplares deste tipo. Perde-se no tempo a memória da origem desta embarcação, que partia pela ribeira Lima, rumo às duas feiras mais importantes: Ponte de Lima e Viana do Castelo. Estes que foram dos mais emblemáticos barcos de trabalho do rio Lima saíam dos ancoradouros na hora da maré, de leme em mão, para que a corrente pudesse ser aproveitada. A vela era usada sempre que o vento o permitia. Mediam entre 12 a 15 metros e os seus compartimentos eram ocupados por pessoas, animais e mercadorias”, explicou Paulo Sousa.

Vídeo: Em 2010, conforme documentam as imagens partilhadas na Internet, foi lançado ao rio Lima o água-arriba “Lanhezes”, na freguesia de Lanheses, Viana do Castelo, que viajou até à vila limiana.

O responsável pelas áreas do Desenvolvimento Rural, Educação, Turismo e Modernização Administrativa disse que a embarcação, batizada com o nome de Ponte de Lima, pretende ainda “imprimir uma nova dinâmica turística no concelho, potenciando o turismo náutico a partir do centro histórico da vila, servindo de oportunidade para a criação de novos serviços e de novas experiencias turísticas”.

O “água arriba” era uma embarcação com vela e leme, com cerca de 12 a 15 metros de comprimento, que fazia a ligação pelo rio Lima entre Viana do Castelo e Ponte da Barca, transportando mercadorias e pessoas, nos tempos em que não havia transportes terrestres.

Paulo Sousa realçou ainda a vertente pedagógica, explicando que o “água-arriba” proporcionará aos alunos do concelho um “conhecimento da identidade local” e, através de passeios a realizar pelas escolas, conhecer a tradição do transporte e de comércio que era garantido por aquelas embarcações”.

Com 15 metros de comprimentos e entre quatro a cinco de largura, o barco “Ponte de Lima” vai ser lançado à água na sexta-feira, pelas 17:30.

Paulo Sousa adiantou que a embarcação, “em processo de certificação, terá capacidade para transportar 30 pessoas”.

A barco foi construído por um pescador da freguesia vizinha de Lanheses, no concelho de Viana do Castelo, conhecido por “Caninhas”.

“É um senhor com muita experiência na recuperação e construção deste tipo de embarcações antigas. Já construiu um barco igual para Lanheses e ainda réplicas das pirogas, achadas no rio Lima em 2003, ambas com cerca de 2.300 anos”, explicou Paulo Sousa.

O responsável adiantou que o autodidata “ofereceu” a mão-de-obra e o município investiu na aquisição dos materiais, a madeira, o ferro e um motor.

Imagem: Divulgação

Os preparativos para a construção da réplica arrancaram há seis meses, com a aquisição de um pinheiro de grandes dimensões, de onde foram serradas tábuas com o comprimento de 15 metros.

“O pinheiro foi comprado em Amares porque tinha de ser um exemplar de grandes dimensões”, especificou.

Na sexta-feira o Ponte de Lima irá fazer um passeio experimental para começar a operar “em breve”.

 

Notícia atualizada às 19h56 com mais informação

Anúncio

Ponte de Lima

Morreu Cinda Borges, histórica figura do Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima

Óbito

em

Foto: DR

Morreu aos 75 anos Maria Gracinda Pelote, mais conhecida como Cinda Borges, uma das figuras mais emblemáticas da gastronomia de Ponte de Lima, anunciou a família. Vítima de doença prolongada, Cinda terá morrido durante esta madrugada, com o anúncio a ser feita durante esta manhã.

Com três restaurantes fundados, entre os quais a Casa Borges, hoje em dia a cargo dos filhos, Cinda Borges, natural da freguesia de Correlhã, era uma figura emblemática na confeção do Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima, sendo alvo de entrevistas de vários órgãos de comunicação nacionais ao longo da sua vida.

O funeral da conhecida cozinheira realiza-se na igreja românica da Correlhã, esta quarta-feira, a partir das 17:00 horas, indo a sepultar no cemitério local.

Continuar a ler

Ponte de Lima

Joana Amaral Dias (ex-BE) em conferência de Abel Baptista (ex-CDS) em Ponte de Lima

Movimentos independentes na política

em

Foto: DR / Arquivo

A ex-deputada do Bloco de Esquerda, psicóloga Joana Amaral Dias, é uma das figuras públicas que irá marcar presença na conferência “A importância das candidaturas independentes na sociedade”, organizada pelo movimento independente “Abel Baptista – Ponte de Lima Minha Terra”, anunciou a organização do evento.

Para além da psicóloga que faz furor no Instagram, também o histórico militante e ex-líder do CDS, José Ribeiro e Castro, marcará presença no evento que decorre no próximo sábado, 26 de outubro, no auditório municipal de Ponte de Lima, a partir das 17:00.

Para além destes dois convidados, é ainda esperada a presença de Leonor Lêdo da Fonseca, ex-vereadora da Câmara de Espinho, que apresentou candidatura independente nas últimas autárquicas naquele município.

Recorde-se que Abel Baptista já se mostrou disponível para encabeçar uma candidatura independente à Câmara de Ponte de Lima nas eleições autárquicas de 2021.

“O objetivo desta conferência é ser um momento de reflexão e discussão acerca da crescente importância destes movimentos de pessoas no panorama autárquico nacional, e como o movimento PLMT em Ponte de Lima pode ser uma alternativa ao atual panorama político local”, referiu o antigo vereador e deputado à Assembleia da República pelo CDS.

Abel Baptista, licenciado em Direito, foi jurista e funcionário autárquico, tendo desempenhado funções de deputado à AR durante quatro legislaturas.

Foi ainda vereador em Monção e em Ponte de Lima, para além de diretor do Departamento da Câmara de Lamego, diretor do Centro Distrital de Solidariedade de Viana do Castelo; chefe de Divisão da Câmara da Nazaré; presidente da Assembleia Municipal de Ponte de Lima; secretário da Mesa da Assembleia da República e presidente da Comissão de Educação Ciência e Cultura

Continuar a ler

Ponte de Lima

Reaberto acesso à A27 mais de oito horas após acidente com camião em Ponte de Lima

Acidente

em

Foto Ilustrativa / Brisa (Arquivo)

O acesso à Autoestrada 27 (A27), em Refóios do Lima, Ponte de Lima, foi reaberto cerca das 17:50 depois de ter estado cortado, desde as 09:09, devido ao despiste de um camião, disse à Lusa fonte da GNR.

O camião, espanhol, que transportava madeira, despistou-se e tombou hoje, cerca das 08:56, naquele nó de acesso à A27, espalhando a carga e derramando gasóleo. Do acidente não resultaram feridos.

Em causa está o acesso, em Refóios do Lima, na transição entre a autoestrada A3 (Porto/Valença), e a A27, no sentido Ponte de Lima/Viana do Castelo.

Anteriormente, fonte da GNR adiantou que, devido ao derrame de gasóleo, foi acionado o Núcleo de Proteção do Ambiente e os meios para lavagem do pavimento.

A mesma fonte explicou que a madeira que o camião transportava “espalhou-se para a berma da estrada e para um talude”.

O motorista do camião, “pertencente a uma empresa espanhola, solicitou outro camião para fazer o transbordo da madeira”.

Ao local compareceram meios dos bombeiros de Ponte de Lima, com uma ambulância e dois operacionais, a GNR e a concessionária da Auto-Estradas Norte Litoral.

Continuar a ler

Populares