Maestro de Braga é o primeiro português na Orquestra Sinfónica Nacional de Cuba

Filipe Cunha

O maestro Filipe Cunha, director artístico da Orquestra Filarmónica de Braga, foi convidado para dirigir a Orquestra Sinfónica Nacional de Cuba, foi hoje anunciado.

De acordo com comunicado enviado a O MINHO, “será o primeiro maestro Português a dirigir esta Orquestra em toda a sua história”.

Além desta Orquestra, o maestro vai ainda trabalhar com a Symphonic Orchestra Lyceo Mozarteum de la Habana.

Os concertos terão lugar nos dias 04 e 12 de março 2023 sendo este último no Teatro Nacional de Cuba en La Habana.

Segundo o maestro, citado no comunicado, “vão ser concertos muito bonitos com obras difíceis mas altamente desafiantes” e sente-se por isso “muito motivado”.

Desde logo, o concerto nº2 para piano de Rachmaninov será interpretado por um pianista italiano (Luigi Borzillo) que o maestro deseja trazer a Portugal ainda este ano. No mesmo concerto será executada a 1.ª Sinfonia de Mendelsshon.

Depois, no segundo concerto, terá a companhia do clarinetista mexicano Angel Cedillo que vai interpretar o concerto nº2 de Louis Sphor. Neste concerto o maestro dirige ainda a 5.ª Sinfonia de Tchaikovsky.

“É um reconhecimento internacional do meu trabalho. Um convite que aceito com humildade e muita responsabilidade. Fiquei surpeendido por saber que serei o primeiro português a Sinfónica Nacional de Cuba. É uma honra muito grande”, refere o maestro, citado no comunicado.

“Levo comigo o nome da cidade de Braga e de Portugal, com toda a responsabilidade inerente a isso, e espero desenvolver por lá um bom trabalho, deixando boa imagem e realizando grandes concertos. Vão ser concertos muito especiais porque além das obras a executar, que eu adoro, principalmente Rachmaninov e Tchaikovsky, estarei a dirigir dois grandes solistas que são também meus amigos. Vai ser muito bonito”, conclui Filipe Cunha.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Polícia Municipal de folga apanha jovem de Braga a furtar carteira em loja do Porto

Próximo Artigo

Ciclovias Famalicão-Póvoa e Fafe-Guimarães podem voltar a ter comboio

Artigos Relacionados
x