Seguir o O MINHO

Região

Machados, Mercedes e mensagens sexuais. Homicídios que abalaram o Minho nos últimos três anos

Cronologia

em

Foto: Arquivo

O jovem menor de 16 anos suspeito de matar o pai com um machado, esta sexta-feira, dia 26 de julho, em Pereira, Barcelos, fica a aguardar julgamento em prisão domiciliária, decretou o juiz de instrução após primeiro inquérito judicial.

Este é apenas outro caso de homicídio com contornos horripilantes perpetrado na região minhota. O MINHO recorda alguns dos homicídios que fizeram manchetes um pouco por todo o país tendo como palco diversos concelhos da região minhota ao longo dos últimos três anos.

2017

Mata ex-mulher e suicida-se em dia de aniversário de casamento

A 16 de fevereiro de 2017, em Arnoso Sta. Eulália, Vila Nova de Famalicão, um homem de 56 anos matou a ex companheira a tiro, suicidando-se de seguida. O caso teve contornos ainda mais dramáticos por se tratar do dia em que a vítima completava 51 anos e ambos fariam anos de matrimónio. Manuel Braga, que habitualmente trabalhava como padeiro, encontrava-se desempregado e com um mandato judicial que impedia a sua aproximação da ex-mulher, Paula Forte. Naquela noite fatídica, aproximou-se da casa da vítima e, ao avistar a mesma, desferiu tiros fatais, alegadamente com uma caçadeira, suicidando-se de seguida. Quando os serviços de emergência chegaram ao local, encontraram ambos ainda com vida, mas não resistiram aos ferimentos.

Mata quatro vizinhos à facada em Barcelos

Foto: O MINHO / Arquivo

Cerca de um mês depois do anterior caso, a 23 de março de 2017, novo ato de terror acontece na região do baixo Minho, desta feita em Tamel S. Veríssimo, Barcelos, com um homem de 60 anos a matar quatro vizinhos com recurso a uma faca. Uma das vítimas estava grávida de sete meses. Adelino Briote, autor do massacre, acabou por se suicidar em dezembro do mesmo ano, na ala psiquiátrica do hospital prisional de Caxias, anulando assim o julgamento por quatro homicídios e um aborto. O homem, reformado, atravessava um processo de divórcio e terá, num ato psicótico, matado dois vizinhos idosos que não quiseram ser testemunhas abonatórias num processo que o mesmo estava acusado de agressões à filha e ex-sogra. Matou-os à facada. Assassinou ainda outra vizinha que tentou socorrer os idosos e uma grávida que vivia na casa em frente. Na altura, entregou-se à GNR confessando os crimes.

Mãe e filho acusados de matar empresário e simular sequestro em Vila Verde

Foto: O MINHO / Arquivo

A 25 de outubro de 2017, atos homicidas chegam ao concelho de Vila Verde. Um empresário foi encontrado sem vida dentro de uma carrinha Mercedes, junto ao aeródromo de Braga, em Palmeira. O homem estaria vendado e com as mãos atadas e foi vítima de disparo de arma de fogo na região do pescoço. A Polícia Judiciária desconfiou da família desde início acabando por deter, numa primeira instância, a viúva do suspeito, por ser “pessoa de interesse” na investigação, deixando-a no entanto em liberdade sujeita a apresentações periódicas na PSP. Deteve depois o filho da vítima, cerca de um ano depois do crime, a 21 de setembro de 2018, por o considerar o principal suspeito. O jovem de 21 anos estava em França, para onde tinha emigrado depois do homicídio do pai, e foi entregue à PJ pela polícia francesa. Encontra-se em prisão preventiva enquanto aguarda julgamento. Em abril de 2019, foi deduzida acusação de homicídio simples agravado por uso de arma de fogo ao jovem e à viúva, sua mãe. Segundo a acusação, o jovem terá disparado contra o pai depois de uma “violenta discussão”. A mãe e mulher da vítima nada terá feito para impedir o disparo fatal. A acusação refere que a mãe terá dado “sumiço” à arma e, juntamente com o filho, levado o corpo da vítima, dentro de uma Mercedes, deixando-o em Palmeira, Braga, de forma a simular uma execução procedente de rapto. O MP refere ainda que o que terá motivado este desfecho trágico na família foram “reiteradas agressões de que vinham sendo alvo por parte da vítima ao longo do tempo”.

2018

Esfaqueiam pescador pelas costas em Viana do Castelo após SMS de cariz sexual

10 de dezembro de 2018. Um jovem pescador de 22 anos foi mortalmente esfaqueado nas costas em Areosa, Viana do Castelo, alegadamente por o atual namorado de uma ex-companheira da vítima, de quem tinha dois filhos. Dois homens, de 29 e 33 anos, foram detidos e acusados da coautoria material e na forma consumada de um homicídio qualificado, dois dias depois do crime, estando um deles em prisão preventiva e outro em prisão domiciliária. A vítima foi esfaqueada numa rua daquela freguesia e acabou por morrer já no hospital de Viana do Castelo, após sofrer “um colapso e laceração pulmonar, perfuração de diafragma e fígado”, resultantes do esfaqueamento com recurso a uma faca de cozinha com 34 centímetros de comprimento e quatro de largura. De acordo com a acusação do Ministério Público, os dois arguidos pretendiam “dar um corretivo” à vítima, a quem acusavam de enviar mensagens de cariz sexual às respetivas namoradas. A vítima terá sido esfaqueada pelas costas.

2019

Estrangula a mulher em Vieira do Minho e comenta assassinato no Facebook

Foto: Facebook

A 6 de março de 2019, António Fidalgo terá estrangulado a mulher, Ana Paula, de quem se estaria a divorciar. O caso deu-se em Salamonde, Vieira do Minho, com o homicida a entregar-se de seguida no posto territorial da GNR de Braga. No entanto, segundo o advogado do arguido, este não chegou a confessar o crime. O casal estaria dentro de casa, por cima de um café do qual eram proprietários, quando António terá estrangulado Ana Paula até à morte, alegadamente por ciúmes. O homem chegou mesmo a comentar o ato bárbaro na caixa de comentários da página de Facebook de O MINHO, dando a entender que existiria uma terceira pessoa relacionada com a vítima, de quem teria ciúmes. O advogado do arguido, João Magalhães, em declarações ao jornal SOL, indicou que “houve de facto uma discussão antes da mulher ter sido encontrada morta”, e que “o amante” da vítima esteve com ela na altura em que a vítima foi alvo de tentativas de reanimação pelos serviços de emergência. Dois dias depois do crime, o homem de 44 anos viu ser-lhe aplicada a medida de prisão preventiva por um juiz do Tribunal de Guimarães, situação em que ainda se encontra enquanto aguarda julgamento.

Esfaqueia quatro pessoas em esplanada de Guimarães devido a ruído

A 22 de abril de 2019, Joaquim Ferreira, de 52 anos, cansado do ruído que provinha de uma esplanada de café em Fermentões, Guimarães, terá esfaqueado quatro pessoas, matando uma mulher de 46 anos. A vítima foi golpeada por diversas vezes no pescoço. O filho desta, de 26 anos, foi outra das vítimas, ficando em estado grave. Na altura, a esplanada do café encontrava-se bastante composta em termos de clientes, que não se aperceberam, numa primeira fase, do ataque de Joaquim Ferreira. O mesmo esfaqueou ainda duas outras vítimas, até que os gritos destas alertaram os restantes presentes, iniciando o homicida uma fuga. Acabou por se entregar no posto da PSP de Guimarães. Ainda tinha a faca do crime na mão. Foi detido pela PJ de Braga aguardando julgamento em prisão preventiva.

Anúncio

Viana do Castelo

Viana entre 18 cidades europeias candidatas a prémio de liderança ambiental

Prémio Green Leaf 2021

em

Foto: Divulgação

Viana do Castelo está entre as 18 cidades europeias candidatas ao Prémio Green Leaf 2021, informou, esta segunda-feira, a Comissão Europeia. Oliveira do Hospital é a segunda representante do país nestes prémios que visam premiar cidades que lideram na implementações de medidas a nível ambiental e sustentável.

Além das duas cidades portuguesas, concorrem àquele prémio, as cidades Avignon e Vichy (França), Bistrita (na Roménia), Carballo e Riba-Roja de Túria (Espanha), Çiftlikköy (Turquia) e a cidade alemã de Coswig.

Na lista estão também Elsinore, Nyborg e Ringkøbing-Skjern (Dinamarca), Gabrovo (Bulgária), Kemi e Lappeenranta (Finlândia), Sombor (Sérvia), Taurage (Lituânia) e Valmiera (Letónia), concorrem também aquele prémio europeu

Na nota, a Comissão Europeia informou ainda que além dos prémios Green Leaf (folha verde) 2021, há 18 cidades candidatas ao Prémio European Green Capital (cidades verdes) 2022.

Concorrem àquela distinção as cidades de Belgrado (Sérvia), Budapeste e Pécs (Hungria), Dijon, Grenoble e Lyon (França), Gdansk, Katowice, Cracóvia e Poznan (Polónia), Maribor (Eslovénia), Múrcia (Espanha), Parma, Perugia e Turim (Itália), Sofia (Bulgária), Tallinn (Estónia) e Zagreb (Croácia).

Segundo a Comissão Europeia, “as cidades da Europa estão cada vez a tornar-se mais sustentáveis”, referindo que “36 cidades de 18 países europeus estão a competir pelos prémios European Green Capital 2022 e European Green Leaf 2021”.

“Nos 13 anos de existência destes prémios, este é o maior número de cidades até agora a participar na competição”, reforça a nota.

A Comissão Europeia destaca ainda que aqueles prémios “mostram cidades e cidadãos que respondem com sucesso aos desafios do ambiente urbano e das mudanças climáticas”.

“Este ano, a competição atraiu inscrições de toda a Europa, em particular dos países do sul e do leste. A maioria é candidata pela primeira vez, com 23 estreias entre os 36 participantes”, especifica.

Segundo o comissário europeu para o Meio Ambiente, Assuntos Marítimos e Pescas, Karmenu Vella, citado naquela nota, face à “crise ecológica e climática” que o mundo enfrenta “as cidades estão na linha da frente das mudanças climáticas e de como melhorar a situação”.

“É por isso que estou muito animado ao ver um número recorde de candidatos ao Prémios European Green Capital 2022 e ao European Green Leaf 2021. As cidades europeias compreendem cada vez mais que, ao tornarem-se verdes, podem oferecer uma boa qualidade de vida aos cidadãos e proteger seus negócios dos riscos ambientais”, salienta.

Para o comissário europeu, aqueles títulos representam “uma grande responsabilidade que a rede de cidades vencedoras leva muito a sério”.

“Uma cidade vencedora é uma embaixadora global vitalícia para a liderança ambiental da Europa. Cidades de todo o mundo, incluindo Nova Iorque, estão agora a aprender com as nossas cidades europeias que lideram o caminho da transição ambiental”, destaca

Os prémios European Green Capital e o European Green Leaf “reconhecem cidades que estão a elevar a fasquia das práticas ambientais urbanas”.

Desde 2010, 12 cidades receberam o título de Capital Verde da Europa. Lisboa é a Capital Verde da Europa em 2020.

O European Green Leaf Award foi lançado em dezembro de 2014 e é dirigido a cidades europeias com entre 20 mil a 100 mil habitantes e que se demonstrem comprometidas com o ambiente e o crescimento da economia verde.

Limerick, na Irlanda, e Mechelen, na Bélgica, são as cidades europeias Folha Verde em 2020.

Continuar a ler

Alto Minho

Fundação da Bienal de Cerveira “completamente desiludida” com falta de apoio

Apoios da DGArtes

em

Foto: Divulgação

O presidente da Fundação Bienal de Arte de Cerveira (FBAC), Fernando Nogueira, disse, esta segunda-feira, estar “completamente desiludido” com a falta de apoio da Direção-Geral das Artes para 2020/2021, referindo que a decisão “prejudica a cultura e arte no Norte”.

“Estou completamente desiludido com esta decisão. O que devo dizer é que quem manda pode. Não sei se é uma decisão técnica ou política. Parece-me ser mais uma decisão política do que técnica, porque a candidatura da fundação estava bem sustentada. É uma decisão que prejudica os interesses da cultura e das artes no norte. Isso é uma constatação mais do que evidente”, afirmou Fernando Nogueira.

Contactado pela agência Lusa, a propósito dos resultados definitivos do Programa de Apoio Sustentado 2020-2021 que hoje começaram a ser divulgados pela DGArtes e que excluem a bienal mais antiga da Península Ibérica, o responsável reafirmou ser “estranho que os apoios fiquem circunscritos à região de Lisboa”.

“Este concurso foi a prova provada de que Lisboa continua a ter muito força e a sobrepor-se ao resto do país, em todas as áreas e então nas artes é mais do que evidente. O Governo tomou esta posição ou quem decidiu, mas em última instância, como é óbvio, é o Governo que tem responsabilidade pelo que aconteceu”, frisou.

Três entidades culturais, todas da Área Metropolitana de Lisboa, vão receber um total de 550 mil euros de apoio sustentado à criação, na área das Artes Visuais, para 2020-2021.

Os resultados definitivos do Programa de Apoio Sustentado 2020-2021 começaram hoje a ser divulgados pela DGArtes e, na área das Artes Visuais, confirmam os resultados provisórios anunciados em 11 de outubro.

Fernando Nogueira, que é também presidente da Câmara de Vila Nova de Cerveira, garantiu que a bienal irá realizar-se em 2020.

“Haverá, com toda a certeza, bienal de artes no próximo ano. Certamente num modelo mais mitigado, mas tudo faremos para manter a qualidade a que a bienal nos habituou nos últimos anos. Terá de ser a Câmara Municipal a fazer um esforço suplementar. Vamos ter de reduzir na dimensão do evento”, especificou.

A Bienal Internacional de Arte de Cerveira, a mais antiga da Península Ibérica, realiza-se desde 1978.

Em 2018, decorreu entre 15 de julho e 16 de setembro, e recebeu cem mil visitantes. A 20.ª edição apresentou mais de 600 obras, de 500 artistas de 35 países em 8.300 metros quadrados, num total de 14 espaços expositivos.

Fernando Nogueira adiantou que irá tentar reunir-se com a “tutela” para “tentar esclarecer os pontos de vista da fundação”, mas “sempre no respeito pelo diálogo e relacionamento institucional correto”.

Na área das Artes Visuais, garantiram apoio as candidaturas de Artes Plásticas da Título Apelativo Associação Cultural, responsável pelo projeto Kunsthalle Lissabon, que vai receber cerca de 129 mil euros, e a Xerem Associação Cultural, que tem o projeto Hangar: Arte, Educação e Investigação, com cerca de 283.500 euros.

A terceira entidade a ser contemplada, a CADA, com o projeto CADA 2020-2021, na área dos Novos Media, receberá cerca de 137.500 euros.

Consideradas elegíveis para apoio pelo júri, mas para as quais não há financiamento disponível estão as candidaturas LAC – Laboratório de Actividades Criativas Associação Cultural (Algarve), Artistas de Gaia Cooperativa Cultural (Norte), Fundação Bienal Arte de Cerveira (Norte), Ectopia – Arte Experimental Associação (Área Metropolitana de Lisboa) e Movimento de Expressão Fotográfica – Associação Fotográfica de Carnide (A.M.Lisboa).

Continuar a ler

Braga

Carro arde na cidade de Braga

Em Lamaçães

em

Vídeo: Facebook de Joaquim Filho / Grupo "Moina na Estrada"

Uma viatura, de marca Renault Megáne, ficou destruída na sequência de um incêndio rodoviário, ao final da tarde desta segunda-feira, em Lamaçães, cidade de Braga, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

Desconhece-se a origem do incêndio, que terá deflagrado na parte da frente do veículo. De acordo com informações recolhidas junto do Comando Distrital de Operações e Socorro de Braga, não há feridos a registar neste incidente.

No local – Rua da Senra, junto ao Media Markt -, pelas 20:00 horas, encontra-se uma equipa dos Bombeiros Sapadores de Braga, que procedem à extinção das chamas. O trânsito encontra-se condicionado numa que é das principais artérias da zona comercial de Lamaçães.

A PSP está também  no local. O alerta foi dado às 19:11.

Vídeo: Facebook de Joaquim Filho / Grupo “Moina na Estrada

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares