Seguir o O MINHO

Actual

Macau discute futuro do mercado das apostas na Ásia em feira internacional

Apostas

em

Foto: DR

Macau, capital mundial do jogo, acolhe a partir de terça-feira a 13.ª Global Gaming Expo Asia, uma feira internacional para discutir a diversificação económica, o turismo e a entrada de outros protagonistas no mercado das apostas.

Mais de 18 mil pessoas são esperadas no evento que decorre até quinta-feira no hotel-casino Venetian e que vai ocupar cerca de 34.000 metros quadrados, em dois andares, neste ‘resort’ integrado que tem o maior casino e que é o sétimo maior edifício do mundo em área útil.

Em 2018 as receitas dos casinos em Macau cresceram 14% para 302,84 mil milhões de patacas (32,79 mil milhões de euros), mas este ano a tendência de crescimento dos últimos anos parece ter estagnado: as receitas dos casinos em Macau caíram 2,4% no primeiro trimestre deste ano face ao período homólogo do ano passado, e em abril caíram 8,3%, de acordo com os últimos dados oficiais.

A diversificação turística no território que acolhe em média todos os meses mais de três milhões de visitantes, assim como o comportamento dos turistas chineses e as suas tendências futuras, serão por isso alguns dos temas principais a serem discutidos ao longo dos três dias.

A renovação das licenças de jogo na “Las Vegas da Ásia”, que terminam em 2022, assim como o caderno de encargos do concurso público já anunciado, que deve incluir mais investimentos na diversificação em áreas ‘não jogo’, como concertos, exposições, espaços de lazer, sustentabilidade energética e até no reforço dos serviços de caráter social, é um dos temas mais ‘quentes’ a ser abordado em diversos painéis do Global Gaming Expo Asia (G2E Asia).

Macau não será, contudo, o único tópico desta conferência internacional: o crescimento do jogo no Sudeste asiático, casos do Camboja, Vietname e Filipinas, mas sobretudo a entrada do Japão nas apostas, é um dos pontos-chaves que deverá ser abordado.

Cinco dos seis concessionários de jogo em Macau (MGM, Sands, Wynn, Melco e Galaxy) já manifestaram publicamente interesse em garantir uma licença no Japão, depois de o parlamento nipónico ter aprovado a abertura de três casinos a partir de meados da próxima década.

O número de visitantes chineses em terras nipónicas “é hoje de 64 milhões, mas em 2025 espera-se que sejam 120 milhões de turistas chineses”, disse, na última edição do G2E Asia, o magnata Lawrence Ho, diretor executivo da Melco, filho do fundador da Sociedade de Jogos de Macau (SJM), Stanley Ho.

O evento, que normalmente conta com altos quadros da indústria do jogo em Macau, vai receber a presidente e diretor executiva da SJM, Daisy Ho.

A filha de Stanley Ho, de 53 anos, que assumiu o cargo que pertencia ao pai, vai fazer o discurso de abertura do evento que contará ainda com vários presidentes executivos de empresas asiáticas, analistas, académicos, com a diretora dos Serviços de Turismo de Macau, Maria Helena de Senna Fernandes, e com o diretor da Direção dos Serviços de Inspeção e Coordenação do Jogo de Macau, Paulo Martins Chan, entre outros.

Esta edição conta ainda com a atribuição dos prémios G2E Asia, para “reconhecer a excelência e a inovação” na indústria do jogo.

No ano passado, a conferência contou com mais de 16 mil visitas de profissionais do setor.

Anúncio

Actual

Vereador de Guimarães agradece aos autarcas socialistas no pós-pico da pandemia

Política

em

Foto: DR / Arquivo

Ricardo Costa, vereador da Câmara de Guimarães e candidato a Presidente da Federação Distrital de Braga do PS, em conjunto com Anabela Real, candidata a Presidente do Departamento Federativo das Mulheres Socialistas – ID, transmitiram “uma palavra de reconhecimento e gratidão” aos autarcas socialistas do distrito.

Para os candidatos, “a intervenção dos presidentes de Junta de Freguesia tem sido permanentemente sinónimo de sucesso e de superação e o contexto da pandemia veio reafirmar essa dimensão”.

Ricardo Costa e Anabela Real, consideram também que “os presidentes de Câmara eleitos pelo Partido Socialista, no trabalho em equipa com os seus vereadores, têm sido um exemplo de entrega e de responsabilidade”.

Continuar a ler

Actual

Covid-19: França ultrapassa os 28 mil mortos com mais 483 novos óbitos

Pandemia

em

Foto: DR / Arquivo

O número total de mortos em França, por causa da pandemia da doença provocada pelo novo coronavírus, aumentou hoje para 28.108, com mais 483 óbitos registados nas últimas 24 horas, anunciou o Ministério da Saúde francês.

Este aumento exponencial do número de mortos face ao dia anterior (96) ficou a dever-se à correção do número de vítimas mortais nos lares.

Assim, do total de vítimas mortais causadas pelo novo coronavírus, 17.466 foram registadas em unidades hospitalares e 10.642 ocorreram em lares de idosos e centros para pessoas que, por motivos de saúde ou incapacidade, necessitam de prestação de cuidados constantes.

Atualmente há 19.361 pessoas hospitalizadas em França devido ao novo coronavírus e 2.087 desses pacientes estão internados nos cuidados intensivos.

Nas últimas 24 horas foram confirmados 120 novos casos no país, elevando o número total desde o início da pandemia para 142.411. Há 61.213 pessoas curadas da covid-19 em França.

França é atualmente o quarto país no mundo com mais mortos devido ao novo coronavírus a seguir aos Estados Unidos da América (88.730 mortos), Reino Unido (34.636 mortos) e Itália (31.908 mortos).

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou perto de 312 mil mortos e infetou mais de 4,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,6 milhões de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

Actual

Covid-19: Itália acentua descida com 145 mortes e 675 casos em 24 horas

Pandemia

em

Foto: DR / Arquivo

Itália registou nas últimas 24 horas 145 mortes associadas à covid-19 e 675 novos casos de infeção por coronavírus, números que acentuam a tendência de descida da curva epidemiológica num dos países mais afetados do mundo.

Desde o início da pandemia em Itália, em fevereiro, o país registou 31.908 mortes em 224.760 casos, segundo números hoje divulgados pela Proteção Civil.

Os números de hoje são inferiores desde logo aos de sábado, dia em que se contabilizaram 875 novos casos de infeção e 153 mortes, embora as autoridades frisem que, no sábado, realizaram-se 60.101 testes, menos cerca de 9.000 que na sexta-feira.

A Lombardia (norte), região onde começou o surto, continua a ser a mais afetada do país, registando nas últimas 24 horas 326 novos casos, cerca de metade do total do país.

Há hoje 68.351 pessoas doentes, menos 1.836 que na véspera, 10.311 das quais hospitalizadas, 762 de entre elas em unidades de cuidados intensivos.

A tendência de baixa registada na curva epidemiológica levou o governo italiano a acelerar o desconfinamento, permitindo a reabertura de praticamente todos os estabelecimentos comerciais a partir de segunda-feira.

O primeiro-ministro, Giuseppe Conte, anunciou hoje que as piscinas e os ginásios vão reabrir a 25 de maio e teatros e cinemas a 15 de junho.

Itália decidiu também reabrir fronteiras com os países da União Europeia (UE) a 3 de junho.

Surgido em dezembro na China, o SARS-CoV-2 já infetou 4,6 milhões de pessoas em todo o mundo, quase 312 mil das quais morreram, segundo um balanço de hoje da agência AFP.

A Europa é a região do mundo mais afetada pela pandemia de covid-19, com 165 mil mortos e mais de 1,8 milhões de casos.

Depois do Reino Unido (34.636 mortes e 243.303 casos), Itália é o segundo país europeu mais afetado.

Continuar a ler

Populares