Lusodescendentes desaparecidos em incêndios no Havai

Foto: ABC News

O Ministério dos Negócios Estrangeiros confirmou hoje que há lusodescendentes desaparecidos na sequência dos incêndios florestais no Havai, que provocaram a morte de pelo menos 80 pessoas. 

“Até ao momento, o Governo [local] ainda não publicou as listas de vítimas mortais, havendo no entanto conhecimento de membros de famílias lusodescendentes que se encontram desaparecidos”, adiantou, em resposta à Lusa, o Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Pelo menos 80 pessoas morreram nos incêndios que atingiram a ilha norte-americana de Maui, no arquipélago do Havai, segundo o mais recente balanço divulgado hoje pelas autoridades locais.

O Governo português garantiu estar a acompanhar a situação através do Consulado-Geral de Portugal em São Francisco, mantendo-se ainda em contacto com os líderes da comunidade portuguesa no Havai. 

De acordo com as autoridades do condado de Maui, cerca de 1.418 pessoas foram levadas para abrigos. 

Os fogos são os mais mortíferos e destruidores dos desastres ocorridos no Havai, desde o ‘tsunami’ de 1960, que causou a morte a 61 pessoas.

Estes incêndios são mesmo os mais mortais nos EUA desde o de 2018, em Camp Fire, no Estado da Califórnia, que provocou 85 mortos e reduziu a cinzas a cidade de Paradise.

Os riscos da cidade de Lahaina quanto a incêndios eram conhecidos. O plano de mitigação do condado de Maui, atualizado em 2020, identificou Lahaina e outras comunidades na parte ocidental de Maui como tendo frequentes incêndios e um grande número de edifícios em risco de sofrerem estragos pelos fogos.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Montenegro diz que é necessário "sobressalto" para evitar que jovens emigrem

Próximo Artigo

Já pode ir a banhos nas praias de Viana que estavam interditas

Artigos Relacionados
x